Assine o fluminense

Vídeo no qual ministra fala em ‘nova era’ repercute nas redes

Damares Alves aparece falando ‘menino veste azul e menina veste rosa’

Damares disse ao receber o cargo que um dos desafios deste governo é acabar com a doutrinação ideológica de crianças

Wilson Dias/Agência Brasil

Um vídeo postado nas redes sociais em que a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, aparece rodeada por apoiadores dizendo “Atenção, atenção! É uma nova era no Brasil”. Menino veste azul e menina veste rosa!” foi alvo de muitos comentários nas redes sociais.

O apresentador televisão Luciano Huck postou uma foto no Instagram em que aparece de camisa cor de rosa ao lado da mulher, a também apresentadora de TV Angélica, vestida com uma camisa de cor azul. Na legenda da imagem, Huck escreveu: Rosa ou azul? Tanto faz”. O casal tem três filhos, dois meninos e uma menina. 

Defesa da família - Ao receber o cargo, na quarta-feira, a ministra Damares fez um discurso de 47 minutos no qual condenou qualquer tipo de discriminação, mas defendeu valores tradicionais da família. 

Ao contar um pouco da sua história, a ministra disse que todas as configurações de família serão respeitadas e lembrou que ela e sua filha formam uma família. Ela disse que adotou uma menina indígena: Kayutiti Lulu, da etnia Kamayurá. 

Falou de sonhos realizados ao chegar ao comando do ministério, para ela, o mais lindo e extraordinário da Esplanada. Diante de vários religiosos, a ministra, que é pastora evangélica, afirmou que o Estado é laico, mas ela é “terrivelmente cristã”. 

Gênero - Sobre a questão de gênero, Damares disse em seu discurso que “ninguém vai nos impedir de chamar nossas meninas de princesas e nossos meninos de príncipes. Meninos e meninas. Muito foi feito, mas muito ainda precisa ser feito. Nossos meninos e meninas vão brincar e não serão brinquedos. Criança brinca, mas não é brinquedo. (...) Um dos desafios deste governo é acabar com o abuso da doutrinação ideológica de crianças e adolescentes no Brasil.”

Proteção de todos - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (3) na conta pessoal dele no Twitter que as ações relativas aos direitos humanos na sua gestão não abandonarão “qualquer indivíduo” e que a proteção de todos está assegurada. Bolsonaro disse essas atribuições ficarão a cargo de conselhos e secretarias que fazem parte do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos.

“Não haverá abandono de auxílio a qualquer indivíduo nas diretrizes de Direitos Humanos. A Secretaria Nacional da Família, Secretaria Nacional de Proteção Global e o Conselho Nacional de Combate à Discriminação ficarão responsáveis por este papel”, disse o presidente no Twitter.

Na quarta-feira, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, negou que haverá ações discriminatórias na sua área. 

“Teremos um diálogo aberto com a comunidade LGBT. Nenhum direito conquistado pela comunidade LGBT será violado”, afirmou.

Segundo a ministra, as políticas destinadas à comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros) ficarão sob comando da Secretaria Nacional de Proteção Global em uma diretoria cujo titular será Sérgio Queiroz.

A Diretoria de Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, que era vinculada à Secretaria Nacional de Cidadania, será mantida, com a mesma estrutura, na Secretaria Nacional de Proteção Global. Damares disse que, no comando da nova pasta, vai lutar “pelo combate a todos os tipos de preconceitos nesta nação, inclusive LGBT”.

Na Secretaria de Proteção Global, estarão também o combate à tortura, temas ligados à anistia e ao combate ao trabalho escravo. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top