NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Decoração mais verde em casa

Plantas podem transformar o ambiente

Foto: Divulgação


O verde tem tomado conta do ambiente doméstico de quem se preocupa com decoração e harmonia visual. E não estamos falando só da cor, e sim de toda uma temática decorativa que envolve decalque, design de objetos e, inclusive, plantas. Sim, as mesmas plantas que têm lugar cativo em artes tradicionais, como o feng shui, e que, em várias culturas, acredita-se produzir inúmeros efeitos benéficos e até terapêuticos no ser humano.


Estamos falando da tendência "Urban Jungle" ou "Floresta Urbana", que consiste na técnica de adaptar os jardins para dentro de casa, mesclando a frieza material dos móveis e objetos com a leveza orgânica das plantas. A designer de interiores Gloria Marchesini explica que a tendência é o ideal para quem não tem espaço suficiente para um jardim, mas quer dividir espaço com as plantas. Portanto, é uma boa opção para quem mora em apartamentos.


“O contato com a natureza é mais que importante na nossa vida, e isso nas grandes cidades, muitas vezes, é mais difícil pelo pouco espaço verde que temos. Além disso, as plantas conseguem deixar qualquer ambiente mais agradável”, explica a especialista, que diz, ainda, ser possível conseguir esse efeito através de cores, texturas de móveis ou objetos de decoração.

Tendência é ideal para quem não tem espaço, mas não abre mão do contato com a natureza

Foto: Divulgação


Segundo a paisagista Wania Saramago, no “Urban Jungle” as plantas, começando por árvores, arbustos e forrações, se distribuídas de uma forma harmoniosa, são capazes de embelezar, atrair pássaros e valorizar os ambientes. A casa se torna um quadro vivo mutante. Porém, é imprescindível que se tome alguns cuidados, já que se trata de ambientes “fechados”.


“É importante saber sobre as plantas, os tipos de cuidado, se é de sombra, sol, se precisa molhar diariamente, o espaço disponível, buscando harmonizar com a arquitetura da residência e, claro, o estilo de vida do morador”, enfatiza Wania, que não indica espécies específicas para a composição decorativa.

Escultura assinadas pela artista plástica e paisagista Gloria Marchesini

Foto: Divulgação

Apesar de não ter espécies específicas, Glória Marchesini aponta que a maior questão na “Floresta Urbana” é o espaço. Com isso, ela dá preferência à utilização de esculturas que funcionam como vasos e que podem ser compostas com suculentas, plantas mais fáceis de serem cuidadas, privilegiando locais adequados que tenham luminosidade, ar. Dessa forma, os ambientes se tornam mais funcionais sem deixar de ter vida e beleza

Scroll To Top