Assine o fluminense

Ele dá a rota

Em 'Tête-à-Tête' deste mês, a repórter Ana Paula Soares conversou com o fundador e presidente da grife 'Roteiros de Charme', Helenio Waddington

Helenio Waddington, de 83 anos, é fundador e presidente da grife “Roteiros de Charme”

Foto: Lucas Benevides

Um dos homens mais engajados em causas ambientais do Brasil, Helenio Waddington, de 83 anos, fundador e presidente da grife “Roteiros de Charme”, é de Niterói. A associação, que reúne 70 empreendimentos brasileiros, como refúgios ecológicos, fazendas históricas, pousadas e hotéis, completa 26 anos – 20 deles como parte do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP). As viagens e o jeito diplomata herdado dos 30 anos como advogado internacional fizeram nascer a paixão pela hotelaria e parcerias.

A “Roteiros de Charme” se tornou um selo de credibilidade em opções de refúgios ecológicos, fazendas históricas, pequenas pousadas, hotéis confortáveis e alguns bastante sofisticados. Como funciona o acompanhamento dos empreendimentos para que a qualidade se mantenha?
É preciso seguir padrões de qualidade e se modernizar a cada ano. Realizamos inspeções anuais. São dois tipos de avaliação: uma relativa à qualidade hoteleira, feita por um dos diretores da associação, e outra da qualidade ambiental, feita pela nossa diretoria de meio ambiente, tendo à frente Luiz Penna Franca, e pela equipe de profissionais (biólogos e engenheiros) da área ambiental, que são contratados pela associação com essa finalidade. Além das informações pela internet, recebemos semanalmente cerca de 350 cartas de nossos hóspedes, o que nos permite uma avaliação permanente de todos os nossos associados. Em decorrência desses comentários, podemos melhor agendar as visitas de inspeções da diretoria, que chamamos de visitas técnicas, priorizando a visita àquele associado que, de alguma forma, não tenha atendido as expectativas de seu hóspede. Contamos, ainda, com a informação espontânea dos “Roteiristas”, os questionários preenchidos pelos hóspedes e a informação encomendada pela associação aos “Roteiristas Experts”. Estes, como já se hospedaram em mais de 10 hotéis diferentes e conhecem bem o perfil da grife, são nossos convidados para se hospedar anonimamente nos hotéis que indicamos, trazendo a informação que mais nos interessa, a do hóspede, de quem consome nosso produto.

São 70 empreendimentos cadastrados na “Roteiros de Charme”. Quais novidades o guia 2019 traz?
No guia 2019, que será lançado no dia 26 de novembro, teremos 70 hotéis, marcando presença em 61 destinos e 16 estados brasileiros. As novidades são o Jaguaribe Lodge & Kite, em Fortim, no Ceará, e o Hotel Santa Teresa Rio MGallery by Sofitel, em Santa Teresa, no Rio.

Vocês trabalham muito as boas práticas para criar uma consciência ambiental. Por que acham isso importante e por que transformaram em um dos pilares para um empreendimento fazer parte da “Roteiros de Charme”?
A preocupação com a sustentabilidade é um princípio que marcou a criação da “Roteiros de Charme”. Desde sua criação, buscamos desenvolver a atividade hoteleira de forma a amenizar os impactos sobre o meio ambiente. Sintonizada com a evolução dos conceitos e modelos que apontam para o caminho da sustentabilidade da atividade turística, a associação estabelece o firme propósito de que seus associados atuem como protagonistas em suas regiões incentivando, apoiando, promovendo ações que vão além da simples oferta de hospedagem de qualidade. Em 1998, a associação teve uma iniciativa pioneira no Brasil no que se refere à hotelaria sustentável, ao criar um Código de Conduta Ambiental, desenvolvido em parceria com o Unep, organismo da ONU responsável por meio ambiente. Sob as diretrizes do código ambiental, há todo um movimento de conscientização dos hotéis. Entre as boas práticas estão a conservação de energia e água, redução e reciclagem de resíduos, gestão responsável de efluentes e emissões nas instalações de hotelaria, além da interação com as comunidades do entorno, com ações que cuidem da valorização da cultura local. Cada associado da roteiros assume a missão de desenvolver suas atividades com elevada responsabilidade social e ambiental perante os respectivos destinos turísticos.

Os credenciados devem ter não só o olhar sustentável, mas também um olhar social, focado no cuidado com seu entorno, através de atividades culturais voltadas para a população. Por que esse vínculo é considerado importante?
Os hotéis da “Roteiros de Charme” se empenham em aproximar-se do modelo ideal de turismo conhecido como “geoturismo”, conceito lançado pela National Geographic Traveller como “o turismo que sustenta ou aumenta o caráter geográfico de um destino turístico: seu ambiente, paisagem, patrimônio histórico e cultural, e o bem-estar da população residente”. O Programa de Sustentabilidade da “Roteiros de Charme” alinha-se com os esforços requeridos para que se leve adiante o ideal do geoturismo em cada destino. Além das boas práticas de conservação de energia e água, redução e reciclagem de resíduos, gestão responsável de efluentes e emissões nas instalações de hotelaria, os associados se empenham em interagir com suas comunidades hospedeiras através de um sem número de formas de envolvimento, apoiando iniciativas dos atores locais que possam reforçar todos os aspectos de sua “identidade geográfica”. 

Fale sobre sua relação com Niterói. Quais as lembranças mais fortes que você carrega da cidade e da sua infância por aqui?
Minha família tinha uma fazenda, meio chácara, que terminava no Cubango. Fiz o primário no Curso Stella Trovão de Mello, na Rua Gavião Peixoto. Me lembro muito do Rio Cricket Associação Atlética e do trampolim na Praia de Icaraí. Me diverti tanto lá! A água era cristalina. Estou falando do século passado, literalmente (risos). 

Como sua formação profissional como advogado se desdobrou para que se tornasse hoteleiro e fundador da Roteiros de Charme?
Comandando por mais de 30 anos um escritório de Direito Internacional, viajava de quatro a seis meses por ano, me hospedando em hotéis pelo mundo. Fazia acordos bilaterais, negociava com todos os países da Cortina de Ferro, mesmo nos momentos políticos mais difíceis. Assim, me apaixonei pela hotelaria: observando os detalhes desses hotéis. Em 1986, fundei o Hotel Rosa dos Ventos, em Teresópolis, na Região Serrana do Rio, e, em 1992, logo após a Eco-92, fundei com outros quatro empresários a “Roteiros de Charme”.
 
Como vem buscando se atualizar nesses 26 anos da “Roteiros”? Faça um balanço, já que são quase três décadas de muitas transformações tecnológicas e ambientais.

Acompanho de perto as mídias sociais da “Roteiros de Charme”. A associação possui um estratégia de ação no ambiente digital com foco nas buscas de usuários no Google e YouTube (pontual), e-mail marketing e redes sociais em campanhas segmentadas com foco na divulgação dos hotéis associados. Mantemos há 2 anos uma posição de liderança mundial na mídia social em nosso setor. Hoje, com mais de 3 milhões de seguidores, a marca Roteiros de Charme tem, dentre todas as associações e cadeias de hotéis do mundo, a maior audiência no Facebook. Com isto, nossas ações de marketing envolvem milhões de seguidores e clientes, inclusive de nossos principais parceiros, nosso público-alvo. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top