Assine o fluminense

Em alta

Com boa relação custo-benefício e destinos de beleza estonteante, o chile é a bola da vez

Localizada em um imenso vale ao lado da Cordilheira dos Andes, Santiago combina cultura e ritmos latinos a um certo ar de metrópole europeia

Foto: Divulgação

De acordo com o Lonely Planet, um dos principais guias de viagens de turismo do mundo, o Chile é o primeiro destino na lista dos melhores países para se visitar este ano. A decisão é tomada por um time de especialistas que levam em consideração critérios como custo-benefício, destinos pouco explorados e beleza.

“A procura por viagens para o Chile tem aumentado ultimamente. Acredito que, além dos fatores econômicos, como a alta do dólar e do euro, o brasileiro está redescobrindo a América do Sul. O Chile possui uma história rica, é repleto de pontos turísticos e tem uma natureza muito diversa. O litoral de Viña del Mar, a pitoresca Valparaíso, o deslumbrante Deserto do Atacama, a agitação de Santiago com a paisagem montanhosa e branca da Cordilheira dos Andes ao fundo... Não faltam atrações para todos os gostos”, garante Daniel Calixto, gerente de turismo do site Peixe Urbano.

Um dos locais mais visitados é a capital Santiago, localizada em um imenso vale ao lado da Cordilheira dos Andes, que combina cultura e ritmos latinos a um certo ar de metrópole europeia. Praças e parques são visitados durante o dia, enquanto os bairros boêmios, como Bellavista, são a grande atração noturna.

Leandro e Tereza Ribeiro decidiram conhecer a região de Los Lagos e a Patagônica chilena

Foto: Arquivo Pessoal

“Em 2017, Santiago foi uma das cidades que mais cresceu na procura pelos brasileiros, em torno de 46%. Além das suas belas atrações, um dos motivos que mais atraem os brasileiros para visitar o país é o custo-benefício da viagem. Os principais passeios e atrações da cidade saem por menos de R$ 150. Na questão da alimentação, uma refeição acompanhada de um bom vinho chileno custa em torno de R$ 50. E por falar em gastronomia, a capital chilena é, ao lado do Alasca, os únicos dois lugares do mundo em que se pode degustar da Centolla, caranguejo gigante que vive em águas profundas e gélidas”, informa a gerente de produtos internacional da CVC, Bruna Castro. 

No começo deste ano, o contador Leandro Ribeiro, de 52 anos, e sua esposa, Tereza Ribeiro, de 46, conheceram os paraísos do Chile. Eles passaram pela região de Los Lagos e Patagônia.
 
“Sempre tive vontade de conhecer essas regiões. Escolhemos ir no mês de fevereiro e março pois ainda é verão, já que o inverno lá tem temperaturas muito baixas, é inviável. Na região dos lagos é onde tem o vulcão Osorno, fizemos passeios muito legais. E na Patagônia conhecemos o Parque Torres del Paine, que é onde tem muitos lagos, geleiras, muito bom para caminhar. Também vimos muita gente acampando. Um parque nacional realmente preservado da região”, relata Leandro.  

Ainda na Região dos Lagos chilena, o casal conheceu a cidade de Puerto Varas e a Ilha Chiloé, locais que giram em torno do turismo e com boa infraestrutura para atender essa demanda. 

“Em Puerto Varas, uma cidade colonizada por alemães, fizemos um passeio em volta dos lagos e fomos até o vulcão. Já na Ilha de Chiloé, conhecemos as cidades do local. Foi muito interessante visitar o interior do Chile. Almoçamos em uma casa de uma típica família local e visitamos as praças com suas feiras de artesanato e com muita música ao vivo regional”, conta o contador. 

Vale lembrar que não é necessário passaporte para conhecer o Chile, mas é importante que o RG esteja em bom estado de conservação e com menos de 10 anos de emissão. É aconselhável observar a cotação e o local para troca do real pelos pesos chilenos.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top