Assine o fluminense
Mão na Massa

O chef Romeu Valadares apresenta as novidades do mundo gastronômico e dicas sobre pratos saborosos e cheios de detalhes curiosos

A fôrma do pão

 

Foto: Divulgação

O substantivo “fôrma” e o verbo “pôr” sobreviveram ao acordo ortográfico assinado em 1990, ratificado pelo Brasil em 2008, implementado sem obrigatoriedade em 2009, e adotado definitivamente, no Brasil, 26 anos depois. Vou pôr a massa na fôrma! Dá gosto dizer isso, assim tão “circunflexamente”! O nome Otto Frederick Rohwedder pode não ter reconhecimento público imediato, mas a sua invenção impactou o cotidiano de casas e suas gentes na maneira de comer mundo afora. Em 1912 Otto vendeu três joalherias e dedicou-se a criar uma máquina capaz de fatiar pães. Sua trajetória sofreu catastrófica interrupção em 1917, quando um incêndio reduziu a pó sua fábrica e seus protótipos, mas sua determinação e gênio foram maiores. Em 1928 ele colocou no mercado a primeira máquina, que não só fatiava pão de fôrma, mas entregava-o embalado, pronto para a prateleira. 

É possível imaginar que graças à disseminação do pão fatiado outras indústrias se desenvolveram, como as das torradeiras e dos fabricantes de geleias destinadas a cobrir milhões de torradas. Poderíamos dizer que a invenção de Otto cai como uma luva num mundo que corre para se desenvolver, que tem pressa em se recuperar da primeira guerra e que logo enfrentaria a grande crise de 1929. Nesse contexto, um sanduíche muitas vezes foi a salvação de trabalhadores e o campeão na merenda das crianças. 

Em tempo, atingindo o elevado estágio de compreensão atual é compreensível que valorizemos pães de fermentação natural e possamos retornar aos sabores verdadeiros e saudáveis de uma panificação artesanal, assim nos afastamos, por um tempo do pão de forma, industrializado ao ponto de pouco lembrar o trigo de sua origem, na virada do milênio. Padeiros talentosos surgiram e empresas menores colocaram no mercado de volta o formato adorado de nossas infâncias dos anos 60/70/80, agora feitos com ingredientes especiais, misturados com cereais de valor nutritivo, estão novamente presentes no dia a dia das famílias e saltam felizes de torradeiras para retomar o reinado do café da manhã. Para voltar a ser criança recomendo as tortas salgadas, com recheios e maionese. Uma viagem no tempo para ser apreciada sem cautela.

Para voltar a ser criança recomendo pedir às tias e avós de plantão a receita daquela torta salgada com vários recheios e coberta com maionese. Uma viagem no tempo para ser apreciada sem cautela!

Torta Salgada

Ingredientes da massa

o 1 pacote de pão de forma, sem casca, cortado na horizontal. Esse tipo de pão pode ser encontrado em padarias ou supermercados.
o 1 vidro de maionese

Recheio doce

o 1 vidrinho de geléia de morango ou qualquer outra de sua preferência

Pasta de atum

o 1 lata de atum escorrido
o 1 cebola pequena ralada
o  maionese, o quanto baste
o  sal a gosto

Modo de preparo

Coloque em uma tigela o atum, a cebola e a maionese. Com a ajuda de um garfo, misture muito bem todos os ingredientes. Ajuste o sal e reserve.

Patê de presunto:

o 1 latinha de patê de presunto

o azeitonas pretas picadinhas, a gosto

o maionese o quanto baste

Modo de preparo

Coloque em uma tigela o patê, as azeitonas e a maionese. Com a ajuda de um garfo, misture muito bem todos os ingredientes. Ajuste o sal e reserve.

Creme de ricota

o 200 gramas de ricota

o 1 lata de creme de leite sem soro

o 1 colher de sopa de suco de limão

o sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo

Bata no liquidificador todos os ingredientes e reserve.

Pasta de cenoura

o 1 cenoura grande

o maionese ou requeijão, o quanto baste

o sal a gosto

Modo de preparo

Passe todos os ingredientes pelo processador.

Montagem

1. Em um prato plano retangular (13 cm x 30 cm), coloque uma fatia de pão.

2. Cubra a fatia de pão com maionese e distribua o recheio de atum.

3. Coloque uma fatia de pão sobre o recheio de atum e cubra-a com maionese.

4. Espalhe a pasta de cenoura.

5. Coloque uma fatia de pão sobre o recheio de cenoura e cubra-a com maionese.

6. Espalhe a geléia de sua preferência.

7. Coloque uma fatia de pão sobre o recheio de geléia e cubra-a com maionese.

8. Espalhe o creme de ricota.

9. Coloque uma fatia de pão sobre o recheio de ricota e cubra-a com maionese.

10. Espalhe o patê de presunto e cubra com uma fatia de pão.

11. Repita os recheios, se necessário. A última camada deve ser uma fatia de pão.

12. Cubra todo o bolo com o creme de ricota restante ou com maionese.

13. Decore a gosto e leve à geladeira até o momento de servir.

 
Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Mais notícias de Mão Na Massa

Scroll To Top