Assine o fluminense

Hora de florescer

A chegada da primavera traz a possibilidade de recomeçar, renascer e aflorar. Aproveite esse período para sair do casulo, socializar e colocar em prática projetos pensados durante o inverno

Maria Helena Altenburg e Agnes Altemburg Gentil administram a Florália, no Sapê. Para elas, primavera é também uma excelente época para os negócios

Foto: Lucas Benevides

No próximo dia 22, começa a estação mais florida do ano: a primavera, época em que os dias são mais longos e muitos animais começam o acasalamento. O período é cheio de simbolismos. A flor, por exemplo, símbolo da estação, representa o contato do homem com a natureza. 

Para a terapeuta holística e instrutora de Thetahealing Bárbara Ferreira, compreender os ciclos da natureza possibilita a compreensão de nossos próprios ciclos internos e nos faz reconectar como parte integrante do planeta. 

“Somos seres integrados à natureza e reconhecer isso faz com que nos conheçamos melhor e nos sintamos mais acolhidos, amados e mais tranquilos, desacelerando o ritmo colocado pela sociedade, trazendo um olhar com mais leveza sobre as situações. Às vezes, nos perguntamos: ‘Por que estou tão desanimada, não aceito mais convites para sair, quero apenas ler um livro, ver um filme?’. A resposta pode estar na natureza e, inclusive, no inverno. Nesse período mais frio, o qual estamos deixando agora, os animais hibernam e todos nós precisamos estar mais protegidos e agasalhados. Dentro de nós, isso simboliza introspecção e recolhimento também”, esclarece.

Com a chegada da primavera – período de florescer e romper com este “casulo” do inverno, segundo a terapeuta –, alguns aspectos internos são transformados, como a libido, que aumenta, e a vontade de sair, passear e viajar. 

“É um período de deixar para trás os excessos de roupas, os alimentos quentes e o filminho debaixo das cobertas. O sol começa a ficar mais presente no céu e a esquentar nossas relações”, revela.

Neste ano, durante o equinócio de primavera – quando dois hemisférios posicionam-se igualmente em relação ao sol – Bárbara vai celebrar a chegada da estação no Warmi Tinkuy, festival de saberes femininos dos Andes, no Vale Sagrado do Peru, onde mulheres se reúnem para compartilhar os ensinamentos do inverno e celebrar a fertilidade e abundância da primavera.

“Muitas culturas que não perderam seus costumes de conexão com a Terra celebram o equinócio de primavera com festa, música e muita alegria, já que entramos em um período de abundância na natureza. Celebre, sorria, plante uma planta no jardim ou em um vaso, agradeça a sabedoria que chegou na introspecção do inverno, e se dê a oportunidade de florescer. Celebre, é tempo de florescer!”, aconselha.

O engenheiro florestal André Teixeira de Lima Brandão acrescenta que, para a botânica, os fatores ambientais da primavera favorecem a floração de muitas espécies, trazendo beleza aos jardins e florestas, dando início à temporada de produção das plantas

Foto: Lucas Benevides

Do ponto de vista do xamanismo – prática espiritual ancestral – assim como a natureza reage a todas as mudanças de estações, o nosso corpo, nossa mente, nossas emoções e nosso espírito recebem as mesmas transformações e cada estação do ano tem uma significância ampla na vida de todos os seres, que ficam explicados com clareza na visão da roda medicinal do xamanismo. “Estamos saindo de um período silencioso que nos deu um ambiente confortável para planejar, aprender e organizar, onde entramos em contato com a nossa sabedoria ancestral, tendo uma visão mais madura sobre a vida, fazendo, assim, muitos planejamentos de mudanças, tanto de padrões de comportamento e pensamento, quanto de mudanças materiais. No entanto, a maioria dessas transformações ainda não foram colocadas em prática. Com a chegada desta estação de iluminação, deve-se aproveitar esta energia para seguir com mais segurança nossa intuição para o desenvolvimento de nossos projetos. Na primavera, eles serão analisados com mais clareza”, fundamenta Laércio Gonçalves de Oliveira, 27, mestre de Reiki, terapeuta musical e thetahealer, que destaca ainda alguns simbolismos presentes nesta estação, como o animal que a representa – a águia –, que voa bem próximo ao Sol e tem uma ótima visão, conseguindo enxergar de longas distâncias. 

“Também destacamos o elemento que simboliza essa energia – o fogo –, simbolizando o nosso espírito, a parte mais pura do nosso ser, que nos liga à nossa essência”, completa.

Com a chegada desta estação de iluminação, deve-se aproveitar esta energia para seguir com mais segurança nossa intuição para o desenvolvimento de nossos projetos, como explica Laércio Gonçalves de Oliveira

Foto: Arquivo pessoal

André Teixeira de Lima Brandão, 23, empresário e estudante de Engenharia Florestal, acrescenta que, para a botânica, os fatores ambientais da primavera favorecem a floração de muitas espécies, trazendo beleza aos jardins e florestas, dando início à temporada de produção das plantas, fase essencial para sua perpetuação. 

“A primavera é uma estação especial. Tem plantas que só florescem nesta época do ano, por isso, é essencial acompanhar espécies raras a fim de registrar sua floração”, revela o jovem fundador da Aldrago Soluções Ambientais, empresa de paisagismo e agricultura. André, inclusive, escolheu a área a partir da relação intensa com plantas e flores que cultivou desde novo. 

Já para as irmãs Agnes Altenburg Gentil, 57, e Maria Helena Altenburg, 55, sócias-gerentes da Florália, no Sapê, a chegada da primavera ainda é excelente para os negócios. 

“Passado o verão, não se precisa perder tanto tempo regando as plantas. É mais fácil mantê-las saudáveis e florindo. Por ser uma época mais amena, com a qual as pessoas estão conectadas, o movimento acaba aumentando”, explica Agnes.

Na primavera, segundo as empresárias amantes de plantas, há um apelo para as plantas frutíferas, que estão com floração para logo virem os frutos. Muitos também buscam plantas para enfeitar e humanizar suas casas e apartamentos, desde a singela jiboia às belíssimas orquídeas.

Segundo a astróloga Amanda Rodrigues, a partir da primavera, é iniciado um ciclo de seis meses no qual a socialização ganha força

Foto: Divulgação / Ana Paula Fiedler

“As plantas fazem isso, trazem aconchego e beleza. Além de mudas para jardim ou para pequenos vasos de minirrosas, beijo, tagetes, cravina, entre outras, as orquídeas são muito procuradas por sua durabilidade. Para mantê-las floridas, é preciso saber, primeiro, se a espécie precisa de sol ou só de claridade. Para cuidar de grande parte das orquídeas, da begônia e da cyclamen, por exemplo, basta deixá-las na claridade, observando quando está secando o substrato. É quando deve-se regá-las com água filtrada. Já para florescê-las novamente, é preciso adubá-las e colocá-las em um lugar mais claro, ou até mesmo sob um pouco de sol”, ensina Maria Helena.

Todo os anos, sempre na segunda quinzena de setembro, próximo ao início da primavera, as irmãs realizam uma exposição na Florália, que começou como orquidário em 1956 pelo avô, Rolf – que, coincidentemente, soletra “flor” ao contrário –, e posteriormente teve o cultivo expandido para plantas ornamentais pelo pai, Siegwald. Há, ainda, uma terceira irmã, a Sandra Altenberg, 60, que cuida do orquidário e carrega pelo mundo a paixão da família por plantas. 

“Semana passada, a Sandra foi para a Dinamarca participar de uma exposição e, assim, levar o nome de nossa empresa e de nossa cidade para lá”, completa Agnes.

No hemisfério sul, de acordo com a astrologia, a primavera é marcada pelo ingresso do Sol em Libra, signo da balança, que pertence ao elemento ar e é regido por Vênus, o planeta da beleza e do amor, reforçando este aspecto de recomeço e de novo ciclo. 

“Esse momento é marcado pelo renascer e florescer. Não só dos frutos, flores, como da nossa alma, de uma nova versão de quem somos. Ao contrário do inverno e seu movimento introspectivo, a primavera vem nos fazer emergir das profundezas e sombras do nosso ser e ir em direção à luz, onde toda semente plantada ganha forma, perfume e cor”, pontua Amanda Rodrigues, 23, do Astrodica.

Para Bárbara Ferreira, compreender os ciclos da natureza possibilita a compreensão de nossos próprios ciclos internos

Foto: Divulgação / Gabriel Oliveira

Segundo a astróloga, no primeiro semestre do ano, o “eu” foi muito trabalhado, e nos mantivemos imersos em nossas cavernas, mas, a partir da primavera, é iniciado um ciclo de seis meses no qual a socialização ganha força.

“Agora, o momento é de se abrir para a vida. O astral se torna leve, perfumado e colorido, mostrando a importância de caminhar em beleza, sendo grato pelas pequenas vitórias, por tudo que já somos, buscando ser o melhor que pudermos sempre. São novas flores, novas folhas e a bênção do recomeço. Estamos mais fortes e capazes.  Nos curando, não para nós, mas para o outro. Isso é Sol em Libra. Vamos vibrar a harmonia e o equilíbrio do que somos e do que é essencial para a vida. Todo inverno é necessário para a chegada da primavera e para o florescer da alma”, explica Amanda. 

A fim de aproveitar ao máximo a energia que a primavera traz de renascimento, renovação e expansão, aconselha-se entrar em contato com a natureza, integrando-se conscientemente a ela por meio de alguns exercícios.

“Podemos sentar em meditação de frente para a direção leste, que é a direção da primavera, e utilizar o elemento fogo através de uma vela ou outra representação desse elemento. Com a mente limpa, imagine uma águia dourada saindo de dentro do Sol e a convide a morar dentro do seu coração. Sinta a energia do amor incondicional, receba as orientações do seu Eu Superior, que vai mostrar de maneira clara a melhor forma de colocar os seus projetos em prática e também mostrar o que deve ser deixado para trás para a vida fluir com leveza e harmonia. Cria-se, assim, um ótimo ambiente para o renascimento, para brotar do seu interior o novo ser, pronto para vivenciar um mundo novo, de dentro para fora”, ensina Laércio. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top