Assine o fluminense

Meu amigo personal

Ter um treinador pessoal traz resultados físicos, mas também gera bons momentos de amizade

A personal Carla Mattos, que além de educadora física é psicóloga, indicando os treinos para sua aluna, a enfermeira Karina Leite

Foto: Lucas Benevides

Uma amizade que vale por um corpo bem torneado. Contar com um treinador pessoal é uma opção que traz excelentes resultados para boa forma física, mas também bons momentos de socialização e amizade. Profissional e aluno mantêm uma relação que rende bons papos, cumplicidade, saúde e movimento.

O treinador pessoal, do inglês personal trainer, é um profissional que deve ter uma formação em Educação Física, estando, assim, capacitado a ministrar e supervisionar os treinamentos individuais, buscando alcançar os objetivos de quem o contrata.

Segundo o personal Leonardo Ribeiro, de 32 anos, em um treino personalizado a amizade é quase indispensável, já que primeiro a relação profissional se estabelece, mas é praticamente impossível não se tornar um vínculo de amizade.

“E isso é importante, porque esse é um serviço no qual o cliente escolhe estar com determinada pessoa. Se não for uma boa convivência, ele pode trocar, assim como o próprio personal. Já trabalhei em diversas áreas, como treinador de futebol para crianças nos Estados Unidos e para adultos na Alemanha e também dando aulas em universidades. Em qualquer segmento, a relação de amizade é bem-vinda. Sendo que outras atividades, gostando ou não, as pessoas precisam dos conhecimentos que estão sendo transmitidos, e, mesmo se as relações forem difíceis, podem até se sustentar”, explica Ribeiro. 

A parceria entre o personal Leonardo Ribeiro e a aluna Vanessa Nunes já dura 5 anos

Foto: Lucas Benevides

A amizade possibilita um diálogo mais amplo e, assim, o treinador pode expressar suas opiniões de forma mais clara e realista, de acordo com Leonardo, lembrando que muitas vezes os alunos possuem metas fora da realidade e, como amigo, o profissional pode ajudá-lo a colocar o pé no chão, ou ainda, cobrá-lo nos treinos quando estiver desmotivado.

“A atividade física precisa de assiduidade e a pessoa que se sente bem na companhia do personal certamente treina mais e melhor. Amizade traz confiança e segurança e isso facilita o trabalho, mas também exige da gente uma sensibilidade muito grande para saber o dia que o papo é vazio e só vai atrapalhar o treino, ou quando o cliente enxerga em você um apoio, uma pessoa com a qual ele também pode desabafar. Mesmo que custe um tempo do treino, vale a pena”, ressalta o educador.
Uma solução para a preguiça de fazer atividade física foi o que motivou a bióloga e estudante de Odontologia Vanessa Nunes, 28, a procurar um treinador pessoal.

“O personal, de certa forma, me forçava a ir para o treino. Sem contar com o planejamento para alcançar meus objetivos e o auxílio para realizar cada movimento da maneira mais correta possível”, analisa a estudante.

A parceria de Vanessa com o personal já dura 5 anos, mas nem por isso, segundo ela, os treinos se tornaram menos árduos.

“Esse tempo todo só foi possível porque nos tornamos amigos. Mas, na hora de me fazer suar, não tem amizade que interfira. Indico o treino personalizado para todo mundo. Os resultados aparecem mais rápidos e sem lesões”, destaca Nunes.

O presidente do Conselho Regional de Educação Física do Rio de Janeiro e Espírito Santo (CREF1), André Fernandes, explica que a relação entre o personal trainer e o aluno é sempre profissional, no entanto, com toda a proximidade que existe, é natural que o aluno crie um sentimento de amizade em relação ao seu treinador.

“A orientação para os treinadores é que essa relação seja sempre vista de maneira profissional. Entretanto, o ideal é que realmente haja uma empatia por parte do profissional, como forma de deixar o cliente à vontade e, assim, buscar que ele alcance seu potencial. Por isso, como o profissional já parte do princípio de buscar empatia e ser acolhedor, é que os alunos acabam transformando-o em um amigo”, afirma Fernandes.

Contar com um treinador pessoal traz inúmeras vantagens. Segundo André, para que o serviço proporcione ótimos resultados, com sorte, estimulado por uma boa amizade, é preciso se certificar da qualidade do trabalho oferecido.

“Entre as vantagens está poder ser realizado em qualquer local, independente de academia, e em qualquer horário. Mas vale ressaltar que muitas pessoas contratam personal trainers e já começam seus treinos em casa ou nas ruas, o que dificulta a fiscalização do CREF1 para saber se esse profissional é devidamente registrado. Mesmo havendo muita fiscalização em praias e locais públicos. Nesses casos, cabe a quem contrata o serviço ao menos verificar no site do Conselho Regional – no site crefi1.org.br – a regularidade do profissional, o que possibilita um treino seguro e saudável”, conclui o presidente.

O cuidado e atenção com as dificuldades e limitações de cada pessoa também são fatores importantes para quem pensa em contratar o serviço de um personal, segundo a enfermeira Karina Leite, 27. 

“Na época em que procurei um exercício físico, estava sentindo dores fortes na lombar. Achei que na academia, sem uma orientação e atenção exclusiva, eu poderia piorar a minha situação. Concluí que um trabalho individualizado com a Carla seria o ideal para o meu caso. Particularmente, o que eu mais gosto é que cada aula seja única, exclusiva”, explica a enfermeira. 

A cumplicidade é uma ferramenta de incentivo. De acordo com a personal Carla Mattos, que além de educadora física é psicóloga, o suporte emocional e afetivo é um complemento bem-vindo quando se presta um serviço tão próximo e personalizado.

“Você vai ver a pessoa praticamente todos os dias, conviver, então, é necessário que a relação aconteça da melhor maneira possível. Conhecer o aluno bem é uma maneira de administrar melhor os treinos dele. Afinal, não é isso que um amigo faz? Dá força, incentiva e não deixa a gente desistir, nem desanimar”, conclui a personal. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top