Assine o fluminense

Presente da natureza

Entre seus benefícios, A amora miura combate o colesterol ruim e diminui sintomas da menopausa

A folha é conhecida por ser muito nutritiva, sendo seu chá 22 vezes mais rico em cálcio que o leite de vaca

Foto: Divulgação

Por Tamires Dias 

Conhecida por sua ação na melhoria do colesterol e na diminuição dos sintomas da TPM e menopausa, a amora miura ficou conhecida no Brasil desde 2007 e sua popularidade vem crescendo aos poucos. Famosa principalmente entre as mulheres, a planta pode ser consumida na forma de chá, cápsulas ou até mesmo através de massagens no couro cabeludo diretamente com a folha para evitar queda de cabelo. 

“O melhor jeito de consumi-la é na forma de chá, feito com as folhas da amora por infusão ou a fruta in natura. Desse jeito, a concentração de nutrientes é maior”, afirma a nutricionista Orion Araújo.

O chá de amora miura, diferente de outros chás, não é amargo e tem gosto de fruta. E o preparo é bem simples: para cada duas colheres de sopa, utiliza-se um litro de água. A mistura deve ser levada ao fogo e ficar por cerca de 10 minutos. Depois, é só coar imediatamente. O chá pode ser consumido tanto quente quanto frio, dependendo da preferência. 

A folha é conhecida por ser muito nutritiva, sendo seu chá 22 vezes mais rico em cálcio que o leite de vaca.

“Rica em água, pectina, vitamina C, vitamina E, potássio, cálcio, vitamina A, vitaminas do complexo B e antioxidantes, essa frutinha é maravilhosa na melhora do colesterol, no combate aos radicais livres, na prevenção do câncer (principalmente do intestino) e na melhora dos sintomas da menopausa”, reitera a nutricionista.

Além disso, para quem sofre de diabetes, o chá da folha de amora miura é ótimo para ajudar no controle glicêmico, devido à presença de um componente peculiar encontrado na folha – chamado DNJ –, que age na melhora da ação da insulina.

A nutricionista Dalila Marciele Nunes ressalta a característica do chá que é benéfica às mulheres e seus problemas hormonais.

“A amora miura age regulando os hormônios, por isso é eficaz nos sintomas da menopausa, como calores, suores frios, irritação, ansiedade, ressecamento da vagina, dificuldades para dormir, depressão, dores musculares e articulares”, afirma a profissional. 

A plantinha, porém, também pode beneficiar os membros do sexo oposto.

“Devido a todos os nutrientes citados e, principalmente, pela presença da pectina e dos antioxidantes que vão atuar no controle do peso, na prevenção de doenças crônicas, na melhora do estresse, além de possuírem ação anti-inflamatória e antibactericida”, ressalta a nutricionista Orion Araújo. 

O consumo da planta tem algumas restrições, por isso é importante um acompanhamento profissional. Pacientes diabéticos, por exemplo, devem ser orientados pelo médico ou nutricionista na quantidade correta.

“Como o chá atua na redução da glicemia, o uso de hipoglicemiantes orais (medicamentos para controle de diabetes), pode acabar reduzindo em excesso a glicose e a pessoa pode entrar em um quadro de hipoglicemia”, pondera a profissional, ressaltando que seu consumo não é recomendado para quem tem gastrite e úlceras gástricas.

Para se obter o melhor resultado, o consumo da amora miura deve ser associado com uma alimentação saudável e a prática de atividade física regular. “Somente com esse combo saudável é que teremos qualidade de vida e saúde”, afirma Orion. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top