Assine o fluminense

Prevenido

É cada vez maior o número de pessoas com 40 anos que já buscam a geriatria preventiva a fim de envelhecerem bem

De uma forma geral, não existe um segredo para prevenir doenças comuns nos idosos. É preciso manter hábitos de vida saudáveis, com uma boa alimentação, exercícios físicos regulares, atividades que reduzam o estresse e estimulem a memória, convívio social, além de consultas médicas periódicas e vacinação adequada

Foto: Divulgação

Por André Bernardo

Com o aumento da expectativa de vida, a importância da geriatria é cada vez maior. A população idosa vem aumentando muito e o médico geriatra é o profissional qualificado para atender a esse público. A geriatria já foi uma especialidade exclusiva dos idosos, hoje, ela é utilizada cada vez mais por pessoas mais novas que querem na verdade retardar o processo de envelhecimento. É a chamada geriatria preventiva. Tanto que, nos consultórios, é cada vez maior o número de pessoas a partir dos 40 anos buscando uma base sadia para viver bem o futuro.  

A médica Marcelle Xavier trabalha na área de geriatria há 10 anos já que a escolha pela especialidade foi realizada pelo desejo de conhecer o paciente como um todo e estudar todas as áreas da medicina por completo, entendendo o envelhecimento natural e as patologias associadas. Ela conta que, nos últimos tempos, pessoas mais novas têm procurado se consultar nessa área da medicina.

“Atualmente, muitos pacientes já reconhecem que o ideal é procurar um geriatra antes dos 60 anos, pois inúmeras doenças podem ser prevenidas ou diagnosticadas precocemente. A geriatria abrange desde a promoção de um envelhecer saudável até o tratamento e a reabilitação no idoso. Após os 40 anos, em média, já podemos dar um olhar diferenciado para estes pacientes e já recomendamos uma primeira visita ao especialista. De uma forma geral, não existe um segredo para prevenir doenças comuns nos idosos. É preciso manter hábitos de vida saudáveis, com uma boa alimentação, exercícios físicos regulares, atividades que reduzam o estresse e estimulem a memória, convívio social, além de consultas médicas periódicas e vacinação adequada”, revela.

Marcelle Xavier atenta para a prevenção

Foto: Lucas Benevides

Diversas modificações acontecem durante o nosso envelhecimento, e estas alterações são de início precoce. Embora sempre haja o que se fazer para melhorar a qualidade de vida de um idoso, existem aqueles que envelheceram bem e outros que envelheceram mal. Escolher que tipo de idoso queremos ser é privilégio de quem é jovem e está disposto a planejar o seu envelhecimento. A geriatria preventiva trabalha várias áreas do paciente. Cuida dos hábitos alimentares desenvolvendo cardápios mais ricos com a finalidade de suprir as necessidades orgânicas buscando proteger assim o coração, o cérebro, a memória e os ossos, entre outros. 

O processo de envelhecimento torna os idosos muito mais vulneráveis às doenças do que os indivíduos mais jovens. Isto acontece porque, em indivíduos mais idosos, ocorre a redução da capacidade de adaptação a sobrecargas funcionais.

Muitaas são as indicações e as áreas a serem trabalhadas através da geriatria preventiva, de acordo com o geriatra Espedito Rocha Amorim.

“Dormir bem; usar filtro solar diariamente; cuidar dos cabelos com produtos próprios; a pele também deve ser bem cuidada; procurar sabonetes hidratantes e cremes específicos para a pele; mudar a atividade física saindo da rotina e experimentando novas atividades; não ter  medo de fazer novos amigos e ter um grupo para passear, dançar e viajar”, enumera o médico. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top