Assine o fluminense

Heat: Centro de Trauma completa seis anos

Unidade, especializada no socorro de pacientes com múltiplos traumas, bate a marca com 20 mil atendimentos

Centro de Trauma do Heat é especializado no socorro de pacientes com múltiplos traumas

Foto: Divulgação

O Centro de Trauma do Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), em São Gonçalo, completou seis anos na quinta-feira (13) com a marca de mais de 20 mil atendimentos. Especializado no socorro a pacientes com múltiplos traumas, a unidade conta com tecnologia de ponta e é referência no estado do Rio de Janeiro quando o assunto é salvar vidas.

O diretor do Heat, Rafael Riodades, afirma que um dos diferenciais no atendimento é o protocolo utilizado, que pode ser comparado aos principais centros internacionais de trauma, onde a taxa de mortalidade é inferior a 5%. O sucesso do serviço prestado é resultado da combinação de profissionais capacitados e da utilização de equipamentos de última geração, com tecnologia alemã. "Este é o único Centro de Trauma do país com toda uma infraestrutura voltada ao atendimento de urgência e emergência em um único local".

No comando do Centro de Trauma está o médico José Alfredo Padilha, que garante que quanto menor o tempo entre o trauma e o procedimento cirúrgico, melhor o prognóstico para o paciente. Ele explica que ao chegar, o paciente recebe o primeiro atendimento na sala de estabilização, através da equipe multidisciplinar de cirurgia geral, anestesia e enfermagem. Depois, são realizados exames de sangue, ultrassom, tomografia, raios X, e é solicitado um parecer das especialidades de neurocirurgia, ortopedia, bucomaxilo facial, oftalmologia, cirurgia pediátrica, entre outros. Ao final, é tomada a decisão de encaminhar o paciente para o centro cirúrgico.

“O tempo de chegada é o fator determinante para salvar uma vida. O paciente chega de carro ou de helicóptero. Existe uma área totalmente livre e direta ao Centro de Trauma, onde todos os exames são realizados no próprio local. Um destes procedimentos é conhecido como Fast, que é a ultrassonografia feita e avaliada à beira do leito, o que ajuda a constatar com rapidez o nível de urgência da cirurgia”, explica o coordenador médico.

O Centro de Trauma conta diariamente com três cirurgiões, três anestesistas, quatro enfermeiros e 12 técnicos de enfermagem voltados para o atendimento às emergências que chegam ao local. A unidade é composta por três salas de cirurgia e um Centro de Imagens com equipamentos de exames Fast (Ultrassom), Tomógrafo, Raios X Móvel, Aparelho de Gasometria e Intensificador de Imagens (Raios X em arco para cirurgias).

O local possui ainda uma linha direta com Corpo de Bombeiros, Samu, Autopista Fluminense e Polícia Militar, que avisam da chegada de pacientes vítimas de trauma de alta complexidade devido à gravidade dos ferimentos.

Os profissionais que atendem no Centro de Trauma do Hospital Estadual Alberto Torres foram capacitados no Centro de Trauma de Baltimore, nos Estados Unidos, e treinados também no Ryder Trauma Center, da Universidade de Miami, e no Children’s Hospital, dedicado à criança em Washington.

Administrado pelo Instituto Lagos Rio, o Centro de Trauma ocupa uma área de mil metros quadrados logo na entrada do Hospital Estadual Alberto Torres. Além das salas de cirurgia, uma delas inteligente, onde o médico pode acompanhar a tomografia em tempo real, sem precisar esperar que o exame seja revelado, a unidade dispõe de cinco leitos de recuperação pós-anestésica, 35 leitos de retaguarda de CTI, quatro leitos de observação e heliponto para receber casos urgentes de todo estado do Rio.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top