Você faz a notícia

Maricá intensifica vacinação

Sete equipes estão percorrendo as áreas previstas de proteção indo nas casas para imunizar a população

Vacinação em residência em bairro rural do Espraiado

Foto: Divulgação

Sem vacinação em locais físicos por conta do feriado de Tiradentes, após a confirmação da morte de um morador por febre amarela, a Secretaria de Saúde de Maricá intensificou, nesta sexta-feira (21), a vacinação contra a doença na área de bloqueio do município, que compreende os bairros rurais do Espraiado, Jaconé, Bambuí, Bananal, Manoel Ribeiro, Marinelândia e Guaratiba. Sete equipes, compostas por enfermeiros, técnicos de enfermagem, guardas ambientais e pessoas que conhecem a região estão percorrendo as áreas previstas de proteção indo de casa em casa para imunizar os moradores, sobretudo nos locais de difícil acesso.

O prefeito Fabiano Horta garante que a situação está sob controle. “Intensificamos as vacinas na área afetada e, após essa etapa inicial, a vacinação será ampliada para outros pontos da cidade. Somente nessa semana, o município foi abastecido com 20 mil doses da vacinas”, esclareceu, acrescentando que a operação de imunização com busca ativa na área de bloqueio do distrito de Ponta Negra continua ao longo de todo este sábado.

No Posto Central, a vacinação volta na segunda-feira e será mantida a prioridade para pessoas que estejam se deslocando para áreas de endemia. Desde a última quarta-feira, cerca de 5 mil pessoas já receberam a imunização dentro da ação de bloqueio no município.

A secretária de Saúde do município, Simone da Costa Silva, explica que dois postos volantes foram instalados para suprir a demanda pela vacina em áreas rurais.

“Em Jaconé e no Bananal não existem unidades de saúde, portanto, instalamos postos volantes para que eles percorram essas localidades, vacinando a população em casa. Trata-se de um cinturão de bloqueio que visa impedir que exista a ação da parte silvestre para a parte urbana”, detalhou.

Paralelamente à ação dentro da cidade, o Governo do Estado informou que fará um reforço de imunização em áreas limítrofes a Maricá, seguindo o mesmo protocolo adotado nas outras regiões onde foram registrados casos confirmados.

Entenda - Nesta quinta-feira, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-RJ) confirmou o primeiro caso de febre amarela de vetor silvestre no município, um idoso de 60 anos, morador do bairro rural do Bananal, no distrito de Ponta Negra, que faleceu na madrugada do dia 19, no Hospital Evandro Chagas, da Fiocruz, no Rio.

Cabe ressaltar que a febre amarela silvestre é transmitida por um tipo de mosquito que vive em região de mata e que, desde 1942, não foi registrado qualquer caso da doença em área urbana em todo o país. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top