Assine o fluminense

Vacinação: aliada no combate de doenças

Campanha contra a influenza já foi iniciada em todo o Brasil

Todas as vacinas recomendadas pela OMS são ofertadas gratuitamente pelo SUS

Infográfico: Ana Paula Pires

O Calendário Nacional de Vacinação visa otimizar a cobertura vacinal no país, além de ampliar grupos e faixas etárias com o intuito de deixar uma maior parcela da população mais protegida. Neste ano, a novidade é que, a partir da primeira quinzena de julho, o Ministério da Saúde vai solicitar às pessoas que viajarão ou retornarão da República Democrática do Congo e Angola que apresentam o Cerificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP). A medida busca prevenir uma eventual epidemia de febre amarela.

No Brasil, todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) são ofertadas de maneira gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Mais de 36 mil salas de vacinação localizadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de todo o país estão aptas a receber a população.

“Durante as campanhas de vacinação, o governo oferece à população a oportunidade de atualizar a sua situação vacinal, não somente para a vacina que é alvo da campanha, mas também para todas as outras que estiverem pendentes. É uma excelente oportunidade para atualizar a caderneta de vacinação da criança, do adolescente, do idoso, da gestante, enfim, de qualquer pessoa. É o momento de garantir a proteção às doenças imunopreveníveis, isto é, doenças cuja única forma de prevenção ou a maneira mais eficaz de se prevenir é através da vacinação”, afirma a infectologista da Fundação Oswaldo Cruz, Diana Ventura.

No último dia 10 iniciou-se a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza em todo o país. Segundo o Ministério da Saúde, a campanha deve levar 58 milhões de pessoas aos postos de vacinação em todo o país, até o dia 31 de maio. Para isso, foram enviados aos estados 63,7 milhões de doses da vacina. O Dia D de mobilização está programado para 4 de maio.

Segundo o Ministério da Saúde, até o dia 18 de abril, serão priorizadas crianças e gestantes, grupos mais vulneráveis às complicações causadas pela influenza. Já a partir do dia 22 de abril, a vacinação se estenderá aos demais públicos-alvos da campanha, que são: trabalhadores de saúde; povos indígenas; puérperas (mulheres até 45 após o parto); idosos (a partir dos 60 anos); professores; pessoas portadoras de doenças crônicas ou imunidade baixa; jovens sob medidas socioeducativas e funcionários do sistema prisional.

O esquema de vacinação é recomendado conforme a idade do paciente: duas doses para crianças de seis meses a 8 anos de idade que nunca tenham sido vacinadas contra a gripe; e dose única para pacientes a partir de 9 anos.

Seguindo a recomendação da OMS, para a campanha deste ano, a vacina influenza trivalente é composta por cepas dos três tipos de vírus da gripe mais circulantes no Hemisfério Sul e com mais possibilidades de causar quadros graves da doença. Estudos apontam que a vacinação contra a gripe pode reduzir de 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% da mortalidade global e em, aproximadamente, 50% as doenças relacionadas à influenza.

A Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro informou que a expectativa é de que 1,5 milhão de pessoas sejam vacinadas no estado ao longo da campanha contra a influenza.

Em Niterói, a campanha de vacinação contra gripe começou um dia depois (11) do resto do país, por conta das fortes chuvas que ocasionaram instabilidade na rede elétrica de algumas unidades de saúde. Na cidade, a Fundação Municipal de Saúde disponibiliza 54 salas de vacina nas Policlínicas Regionais, Unidades Básicas de Saúde e módulos do Programa Médico de Família, de segunda a sexta, das 8h às 17h, para imunizar a população alvo. No “Dia D” cerca de 500 profissionais estarão aplicando as doses. A meta é vacinar aproximadamente 176 mil pessoas.

De acordo com a Prefeitura de São Gonçalo, o primeiro dia da campanha no município registrou baixa procura da vacina em relação à expectativa da Secretaria Municipal de Saúde. Apenas 3 mil pessoas foram imunizadas, sendo que o esperado era cerca de 5 mil pessoas. Segundo o Executivo, o Polo Sanitário Paulo Marcos Rangel, no Porto do Rosa, e o Polo Sanitário Jorge Teixeira de Lima, no Jardim Catarina, tiveram baixíssima procura por conta das chuvas.

A meta, ao longo da campanha, é imunizar 90% do público-alvo, o equivalente a 194.329 pessoas da zona urbana e rural do município. São ofertados 73 pontos de vacinação em funcionamento de 8h às 16h30.

Já em Itaboraí, a vacina está disponível durante a campanha em 35 Unidades de Saúde da Família, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. De 10 a 19 de abril, a vacinação vai focar em crianças de 6 meses a 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias) e gestantes. E do dia 22 de abril a 31 de maio será feita a vacinação de todos os grupos prioritários.

Procurada, a Prefeitura de Maricá não divulgou os dados da campanha de vacinação no município.

 
Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top