Assine o fluminense

Adeus, flacidez!

Fique por dentro de três procedimentos estéticos que prometem melhorar a textura da pele do rosto e corpo

Além do envelhecimento natural da pele, fatores como gravidez, obesidade, efeito sanfona , má alimentação, sedentarismo e exposição excessiva ao sol podem agravar a flacidez

reprodução

Já não é mais uma novidade que o Brasil ocupa o topo dos rankings no consumo e adesão de procedimentos estéticos. Não importa a época do ano, as brasileiras amam alternativas vindas deste mercado para a saúde e melhora da pele. A flacidez é um problema que atinge muitas pessoas, sobretudo mulheres, que, por uma série de fatores, acabam sofrendo com esta situação.

Além do envelhecimento natural da pele, fatores como gravidez, obesidade, efeito sanfona (variações rápidas no peso), má alimentação, sedentarismo e exposição excessiva ao sol podem agravar este quadro.

Procedimentos estéticos são uma ótima alternativa para quem está em busca de uma renovação na pele do rosto e corpo, a fim de melhorar a saúde e, é claro, a autoestima.

1- Ultrassom Microfocado:

Este tratamento foi desenvolvido com o intuito de proporcionar efeito de lifting facial de forma não invasiva e não cirúrgica. Esta tecnologia utiliza o calor para promover a melhora da flacidez. As ondas do ultrassom conseguem atingir e aquecer diferentes camadas da pele, até as mais profundas, nas quais a contração do colágeno começa a ocorrer. Ele consegue mapear toda a estrutura da pele e somente depois inicia o tratamento nos pontos necessários.

“Ele é um dos queridinhos do momento no combate à flacidez. Há um estímulo inicial da produção de colágeno em 48h após a sessão, atingindo o seu pico em torno de três meses, promovendo aumento da espessura da pele, melhora do contorno e da flacidez. O procedimento é indolor e rápido. Geralmente é anual e pode ser indicado para tratamento facial e corporal, incluindo pescoço e colo”, explica a dermatologista Roberta Andrade.

Além do envelhecimento natural da pele, fatores como gravidez, obesidade, efeito sanfona (variações rápidas no peso), má alimentação, sedentarismo e exposição excessiva ao sol podem agravar

reprodução

2- Ácido Poli-L-Lático:

É um bioestimulador, ou seja, estimula a produção de colágeno, além de exercer uma função de preenchimento. Este procedimento auxilia na sustentação dos tecidos e reposição de volume nas áreas afetadas pelo envelhecimento. O produto é aplicado através de uma agulha ou cânula, visando melhorar a flacidez do local. Sua ação permanece de dois a três anos, mesmo após a reabsorção do produto.

Segundo a Dra. Roberta, o Ácido Poli-L-Lático é indicado para flacidez facial e também corporal, como em braços, glúteos, coxas e abdome. São necessárias em torno de três sessões, inicialmente, com intervalo de 30 a 60 dias entre elas, e uma manutenção anual pode ser programada.

“Seguir o protocolo proposto de cada técnica, ter uma rotina de cuidados com a pele e uma alimentação equilibrada, além de praticar atividades físicas regularmente é fundamental para otimizar os resultados destes procedimentos”, indica.

3- Radiofrequência:

A Radiofrequência é um procedimento que já está há bastante tempo no mercado e seus resultados e avanços só mantêm sua relevância na indústria estética. Esta tecnologia promove o aquecimento da pele até a temperatura programada, com o objetivo de aumentar a circulação, a drenagem local, a quebra de células de gordura e a regeneração do colágeno. A técnica não é invasiva e tem efeitos apenas na área de tratamento. Suas principais indicações são no tratamento da celulite e da flacidez facial e corporal.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top