22
Ter, Set

Comércio no Rio não respeita decreto e abre antes

Medida da Prefeitura do Rio é para evitar aglomerações no transporte coletivo - Fernando Frazão/Agência Brasil

Rio de Janeiro
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Apesar do decreto publicado nesta segunda-feira (6) pela prefeitura do Rio de Janeiro determinando a abertura do comércio às 9h a partir desta terça-feira (7), a determinação não foi seguida por alguns lojistas.

Antes das 9h, havia supermercados, hortifrutis e lojas de material de construção abertos na região do Flamengo e de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, locais percorridos pela reportagem da Agência Brasil.

De acordo com o Decreto nº 47.336, estão autorizados a abrir antes das 9h as padarias e confeitarias, farmácias e drogarias, postos de combustível e lojas de conveniência, sem consumo nas lojas, e bancas de jornal, estabelecimentos que tradicionalmente abrem mais cedo.

Em nota, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) informa que "está consultando os representantes de diversos segmentos para avaliar os impactos da nova medida".

"A federação antecipa que qualquer alteração terá efeito colateral, principalmente em relação à diminuição do horário de funcionamento, como nos supermercados, locais que devem evitar aglomerações".

A Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj) foi procurada mas ainda não tem um posicionamento sobre a questão.

Segundo a prefeitura, o objetivo da mudança nos turnos de trabalho na indústria e no comércio é evitar aglomerações no transporte coletivo.

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.