10
Sex, Jul

No Rio, campanha de vacinação contra gripe termina nesta terça-feira

Maternidades do Rio vão oferecer a vacina para todas as gestantes e puérperas que são atendidas em seus ambulatórios de pré-natal - Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Rio de Janeiro
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realiza duas ações especiais na segunda (29) e terça (30). As maternidades municipais vão oferecer a vacina contra a gripe para todas as gestantes e puérperas que são atendidas em seus ambulatórios de pré-natal ou estão nos alojamentos das unidades.

A Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza termina nesta terça-feira (30) e a cobertura vacinal permanece abaixo do esperado – está em 78% dos grupos prioritários, enquanto a meta é de 90%. Mais da metade das gestantes, puérperas (mulheres em pós parto com até 45 dias do nascimento do bebê) e crianças ainda não se vacinaram.

O pedágio da TransOlímpica vai ganhar um posto de vacinação nestes dois dias, com funcionamento das 9h às 15h. A iniciativa é uma parceria da Prefeitura com o Comando Conjunto Leste e SEST SENAT (Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte) e estará disponível para todos os grupos que ainda precisam se vacinar – exceto crianças, que só estão sendo vacinadas nos postos de saúde.

A prioridade de vacinação no pedágio da TransOlímpica é para adultos de 55 a 59 anos, gestantes, motoristas e cobradores de ônibus), professores das redes pública e privada e caminhoneiros.

A vacina segue disponível em todas as 234 unidades da Atenção Primária – clínicas da família e centros municipais de saúde. A vacina contra influenza também pode ser encontrada em algumas farmácias que fizeram parceria com a SMS e vão imunizar a população até o dia 30 de junho.

Meta de vacinação ainda não foi alcançada

Até o momento, 1,56 milhão de pessoas foram vacinadas desde o início da campanha, em 23 de março. Isso representa 78% de cobertura. A meta é imunizar 1,8 milhão na cidade do Rio. Devido à pandemia do novo coronavírus, houve redução de cerca de 20% na cobertura vacinal da cidade.

Entre os grupos prioritários, mais da metade das gestantes, puérperas e crianças (com idade entre 6 meses e 6 anos) ainda não foram vacinados.

Vacinação é feita com todo cuidado e regras de afastamento

Entre os grupos que precisam se vacinar estão crianças de 6 meses a 6 anos incompletos; gestantes; puérperas; pessoas com deficiência; professores de escolas públicas e privadas; e adultos de 55 a 59 anos de idade.

O atendimento nas unidades segue um fluxo com assistência individualizada, resguardadas todas as medidas de distanciamento e de proteção individual, para segurança dos pacientes e dos profissionais das unidades de saúde.

A superintendente da Vigilância em Saúde, Nadja Greffe, reforça a necessidade de os pais levarem os filhos para tomar vacinas de rotina e contra a gripe. E explica que todas as 234 unidades de saúde oferecem segurança, com a adoção de fluxo diferenciado para a sala de vacinação. Além disso, os profissionais de saúde usam os equipamentos de proteção necessários para evitar o risco de contaminação nesses locais.

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.