22
Qui, Out

Segunda audiência sobre processo de privatização da Cedae acontece na segunda-feira

Audiência vai debater nova modelagem para universalização dos serviços públicos de captação, abastecimento e tratamento de água e esgoto - Foto: Divulgação

Rio de Janeiro
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O Governo do Estado realiza, nesta segunda-feira (6), às 10h, a segunda audiência pública para apresentação e debate da proposta de nova modelagem para universalização dos serviços públicos de captação, abastecimento e tratamento de água e esgoto, assim como a destinação final de esgotos sanitários nas regiões metropolitana, centro-sul, serrana, norte e noroeste do Estado do Rio de Janeiro.

O link para o acesso será disponibilizado no endereço eletrônico http://www.rj.gov.br/consultapublica.

Participarão do encontro virtual, representantes da sociedade civil; especialistas em saneamento; o defensor público Arnaldo Goldemberg; o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Lopes; o procurador-geral do município do Rio de Janeiro, Marcelo Marques; o presidente-executivo do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos; o chefe de departamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Guilherme Albuquerque; e o professor do Departamento de Planejamento e Análise Econômica Aplicados à Administração da FGV/SP, ex-presidente da Sabesp e ex-presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), Gesner de Oliveira.

"A primeira audiência pública foi realizada no dia 25 de junho. Seriam realizados dois encontros virtuais, mas o governo, atendendo a um pedido do Ministério Público do Estado, decidiu agendar uma terceira audiência, que será realizada no dia 4 de agosto, para ampliar a transparência do processo e garantir a maior participação da sociedade", explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Lopes.

A estimativa é de que sejam gerados mais de 46 mil empregos diretos e indiretos nas áreas concedidas

De acordo com a modelagem proposta pelo BNDES, a estimativa de investimentos dos operadores privados, em suas respectivas áreas de atuação, é de R$ 33,5 bilhões, que vão permitir que mais 8,7 milhões de habitantes tenham acesso a tratamento de esgoto e mais 1,6 milhão de habitantes tenham acesso à água tratada.

Os contratos de concessão preveem investimentos de R$ 1,7 bilhão em saneamento nas comunidades. A expectativa é de que sejam gerados mais de 46 mil empregos diretos e indiretos nas áreas concedidas até 2054.

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.