Decisão sobre o Carnaval 2021 será definida em setembro

Escolas de samba se recusam a desfilar sem vacina contra a covid-19 - Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio

Rio de Janeiro
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O adiamento ou não do carnaval do Rio de Janeiro de 2021 será definido em setembro. A decisão foi tomada durante reunião entre as escolas de samba do Grupo Especial com representantes da Liga Independente (Liesa) realizada na noite da última terça-feira (14).

As agremiações alegam que a realização dos desfiles na Marquês de Sapucaí só deve ser feita caso haja uma vacina contra a covid-19.

"Só imaginamos ter o desfile das escolas de samba em fevereiro se houver uma vacina. Se não houver a vacina nós não temos como fazer esse evento com aglomeração. Carnaval é isso. O jogo de futebol pode acontecer sem plateia, a Fórmula 1 pode acontecer sem plateia, mas os desfiles das escolas de samba não podem acontecer sem aglomeração dos desfilantes ou de quem tá assistindo", afirmou o presidente da Liesa, Jorge Castanheira.

O cenário de incerteza que gira em torno do futuro do carnaval carioca já influencia o cronograma de algumas escolas, visto que das 12 agremiações do Grupo Especial, 8 (Beija-Flor, Grande Rio, Mocidade Independente de Padre Miguel, Paraíso do Tuiuti, Portela, Salgueiro, Unidos de Vila Isabel e Viradouro) divulgaram os enredos para a festa do ano que vem. Imperatriz Leopoldinense, que voltou ao Grupo Especial, a São Clemente, a Unidos da Tijuca e a Mangueira ainda não definiram o enredo de 2021.

Além disso, normalmente nesta época do ano funcionários das escolas já estariam dando início aos trabalhos nos barracões, que, na atual situação, encontram-se fechados.

"Teríamos que avaliar se as escolas vão ter tempo de preparar o desfile a partir de setembro, não é uma coisa tão simples para pensar. Após esse prazo fica muito mais comprometido que as escolas possa conseguir viabilizar o desfile de carnaval", pontou Castanheira.  

Segundo a Prefeitura do Rio, ainda não é possível divulgar uma definição sobre o próximo carnaval por conta da pandemia da covid-19. O Executivo declarou que o planejamento do carnaval é complexo e, no cenário atual, requer cuidados especiais, mas que estuda alternativas para diversas situações possíveis.

A Riotur declarou que, a pedido da Liesa, a prefeitura não irá divulgar nenhuma informação sobre venda de ingressos até que haja uma definição sobre o Carnaval 2021.

Carnaval de rua 

A Riotur afirmou que mantém conversas com o Ministério Público para o desenvolvimento do Caderno de Encargos do Carnaval de Rua, com vigência para os carnavais de 2021, 2022 e 2023. “Em caso de adiamento para o próximo ano, o Caderno de Encargos será válido também por três anos, que seriam os subsequentes (2022, 2023 e 2024).

A Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro declarou que pretende definir em outubro o que será do carnaval de rua no próximo ano.