22
Qui, Out

Governo do Rio lança programa que transforma projetos de pesquisa e inovação em empreendimentos

O programa, criado pela Diretoria de Tecnologia da Faperj, é inédito no estado e tem como principal objetivo fomentar a conversão de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação - Foto: Divulgação

Rio de Janeiro
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Inovação no processo fermentativo do Kombucha em larga escala; novas tecnologias para monitoramento e controle de mosquitos vetores de doenças; tecnologia inovadora para combate de infecções bacterianas e virais; soluções para regeneração ósseas maxilofaciais. Estes são alguns dos projetos selecionados pela Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) no edital Doutor Empreendedor: Transformando Conhecimento em Inovação.

O programa, criado pela Diretoria de Tecnologia da Faperj, é inédito no estado e tem como principal objetivo fomentar a conversão de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação conduzidos por doutores residentes no Estado do Rio de Janeiro em empreendimentos baseados em conhecimento científico e/ou tecnológico.

No total, foram submetidas 60 propostas, que passaram por um processo de seleção minucioso e inovador, que foi dividido em três etapas e envolveu diversas pessoas. Primeiramente, foi realizada uma análise de conformidade, que eliminou 12 projetos. Em seguida, foi feita uma primeira avaliação de mérito a partir do material enviado (projeto e vídeo), com objetivo de verificar o potencial de mercado das propostas. Os 27 proponentes aprovados nesta etapa passaram por um treinamento com especialistas a fim de se preparar para a última fase do edital. Entre os dias 18 e 23 de agosto os candidatos fizeram apresentações e defenderam seus projetos para uma banca virtual formada por convidados externos e membros internos da Faperj. Por fim, 21 projetos foram aprovados.

Os contemplados terão direito a uma bolsa ‘Doutor Empreendedor’, para despesas de subsistência, e uma bolsa de iniciação tecnológica, para contratar um graduando na área do projeto, por até 24 meses. Além disso, os proponentes aprovados receberão um auxílio de até 50 mil reais para adquirir itens necessários ao desenvolvimento inicial da empresa. Em contrapartida, o edital demanda que os doutores empreendedores se instalem em algum mecanismo de geração de empreendimentos inovadores localizado no estado como forma de adquirir competências complementares e preparar sua entrada no mercado. Posteriormente, tais ambientes receberão um auxílio da Faperj para aprimorar sua estrutura de apoio aos empreendedores.

No que diz respeito às instituições de origem ou parceiras dos projetos, foram 12 os projetos selecionados que têm ligação com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e sete com a Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf). Os dois projetos restantes têm relação com o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (Idor) e à Swedish University of Agricultural Sciences.

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.