21
Qua, Out

Estátuas e canhão usado na Guerra do Paraguai são apreendidos pela polícia no Rio

Ação desarticulou quadrilha que furtava os itens de bronze para revender - Foto: Divulgação

Rio de Janeiro
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Policiais da 6ª DP (Cidade Nova) realizaram, na madrugada desta quinta-feira (24), uma operação para prender integrantes de uma quadrilha que roubava estátuas e outros materiais, especialmente em bronze, em praças do Rio de Janeiro. Dois homens foram presos durante a ação.

De acordo com os agentes, eles chegaram no momento em que quatro homens tentavam realizar mais um furto,na Praça Onze. Ao perceberem a presença dos policiais, houve troca de tiros e dois deles conseguiram fugir, em direção ao Morro da Providência, no centro do Rio. Eles usavam uma kombi para transportar o material furtado.

Com os criminosos foram encontrados uma cabeça de Rosária Trotta, mãe de Frederico Trotta, militar e político brasileiro; estátua de uma criança em homenagem a Álvaro Dias, professor da Igreja Presbiteriana; e uma placa em bronze. Além disso, um item histórico e secular também foi apreendido: um canhão usado na Guerra do Paraguai, o maior conflito internacional armado ocorrido na América do Sul, de dezembro de 1864 a março de 1870, que é Patrimônio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.