10
Sex, Jul

Equipamentos são fundamentais para o diagnóstico do novo coronavírus - Foto: Paulo Sérgio/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio entrega nesta nova semana três novos e modernos tomógrafos para unidades de saúde da rede municipal nas zonas Oeste e Norte da cidade.

Fundamentais para o diagnóstico do novo coronavírus, os equipamentos serão instalados nas policlínicas Lincoln de Freitas Filho – Santa Cruz, Rodolpho Rocco – Del Castilho, e Manoel Guilherme da Silveira Filho – Bangu.

Os tomógrafos têm 128 canais e alta definição das imagens captadas, o que vai ampliar a precisão do diagnóstico da covid- 19. Cada aparelho custou U$ 950 mil e deverá realizar, em média, 1.200 exames por mês.

A previsão é entrarem em funcionamento em até 15 dias, após as obras de adequação realizadas pela Secretaria municipal de Infraestrura, Habitação e Conservação. Os tomógrafos fazem parte do lote de seis que chegaram ao Rio no mês passado.

Mais 10 tomógrafos para chegar ao Rio

Outros 10 tomógrafos modernos como esses estão a caminho do Brasil, com previsão de chegada no final do mês. Eles fazem parte do investimento de mais de R$ 300 milhões da atual gestão municipal na compra de equipamentos para renovação do parque tecnológico da rede municipal de Saúde.

O hospital de campanha, construído pela Prefeitura no Riocentro para tratamento de pessoas infectadas com o covid-19, já recebeu um dos tomógrafos na quinta-feira (16/04). O outro será instalado no Hospital Miguel Couto e um equipamento será doado para o Hospital Mario Kroeff, na Penha, para ajudar no tratamento e diagnóstico de pessoas com câncer atendidas na unidade federal.

A Prefeitura do Rio já havia adquirido antes, na atual gestão, 11 novos equipamentos de tomografia para seus hospitais. Dez deles estão em funcionamento e realizaram mais de 140 mil exames. Eles foram instalados nos hospitais Souza Aguiar, Salgado Filho, Miguel Couto, Pedro II, Lourenço Jorge, Ronaldo Gazolla, Evandro Freire, Rocha Faria, Francisco da Silva Telles e Albert Schweitzer. O último entrará em funcionamento no Hospital da Piedade.

A atual gestão do prefeito Marcelo Crivella investiu mais de R$ 370 milhões na compra de mais de 18 mil equipamentos, entre eles 27 tomógrafos, 806 respiradores e mais de mil monitores, para reequipar a rede hospitalar do Rio.

No momento da retirada é necessário apresentar o Cartão de Identificação do Auxiliar de Transporte (CIAT), além de documento oficial com foto - Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), dará início à distribuição de cestas básicas para taxistas auxiliares com idade até 39, inclusive os que completam em 2020. A ação começa nesta segunda-feira (20), no Riocentro.

A distribuição para esse grupo será dividida em dois dias: segunda-feira (20/04) será a vez dos taxistas com nomes com iniciais de A a J, e na quarta-feira (22/04) será a vez dos nomes com iniciais de K a Z.

Na terça-feira (21) não haverá entrega de cestas básicas por conta do feriado de Tiradentes. Este é o último grupo de taxistas que pagam diária a ser contemplado e deve atingir cerca de 5.500 profissionais.

Os beneficiários já estão sendo informados pelo aplicativo Taxi.Rio. No momento da retirada é necessário apresentar o Cartão de Identificação do Auxiliar de Transporte (CIAT), além de documento oficial com foto. A entrada continua sendo pela Rua Olof Palm, portão D.

Entrega para Ambulantes Legais continua

A entrega para ambulantes também continua nesta segunda-feira (20/04), contemplando os autônomos com nomes com iniciais F e J. A distribuição continua nos 12 postos de inspetoria da Guarda Municipal, de 9h às 16h. Os ambulantes precisam apresentar a licença e documento com foto para receber o benefício.

Servidores negociaram a rendição dos menores - Foto: Reprodução TV Globo

O Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) informou que a rebelião, que começou no fim da manhã deste sábado (18) no Centro de Socioeducação Dom Bosco, na Ilha do Governador, na zona norte do Rio, foi controlada. O centro é uma das unidades do Degase, que é órgão responsável pela guarda de adolescentes em medidas socioeducativas.

De acordo com o departamento, os servidores do órgão negociaram a rendição dos adolescentes. “O Grupamento de Ações Rápidas (GAR), da instituição, e o Batalhão de Choque entraram na unidade Dom Bosco, na Ilha do Governador, por volta das 14h”, informou o Degase.

Ainda conforme o Degase, o foco de incêndio foi apagado e dois servidores ficaram levemente feridos na rebelião. Os dois foram levados para o Hospital Municipal Evandro Freire, também na Ilha do Governador. “Não há adolescentes machucados e os servidores vão fazer a contagem dos jovens para verificar se houve evasão. O Degase está verificando o que causou a revolta”, completou o órgão.

No começo da rebelião, além dos policiais militares do Batalhão de Choque foram para o local agentes do 17º Batalhão de Polícia Militar, da Ilha do Governador. Os bombeiros também atenderam ao chamado. Em casos de rebelião eles costumam ir para o local como medida de prevenção.

Medida é parte das ações de combate à pandemia do novo coronavírus adotadas pela prefeitura do Rio - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro (Cet-Rio) está alertando motoristas e pedestres, por meio de mensagem, sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção pela população. A mensagem está sendo veiculada nos 28 painéis eletrônicos fixos que dão orientações sobre trânsito e ficam posicionados nas principais vias da cidade.

A medida é parte das ações de combate à pandemia do novo coronavírus adotadas pela prefeitura do Rio, que decidiu, no último fim de semana, obrigar a população a usar máscaras nas ruas.

O decreto, que passa a valer a partir de quinta-feira (23), prevê que pessoas sem máscaras sejam impedidas de entrar em transporte público e nos estabelecimentos autorizados a funcionar no município.

Não é necessário usar nenhuma máscara especial. Apenas a máscara comum, feita em casa, já é suficiente, segundo informou o prefeito Marcelo Crivella, em entrevista coletiva no último sábado (18).

Foram registrados mais 194 casos confirmados neste sábado - Foto: Douglas Macedo/ Prefeitura de Niterói

O Estado do Rio de Janeiro registrou, até este sábado (18), 4.543 casos confirmados do novo coronavírus. São 194 novas notificações de sexta para hoje (18). De acordo com o boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES), mais 46 mortes provocadas pela covid-19 foram contabilizadas no estado, totalizando 387 óbitos. Há ainda 179 mortes em investigação. 

Os casos confirmados estão distribuídos da seguinte maneira:

Rio de Janeiro – 3.059
Niterói – 199
Duque de Caxias – 170
Nova Iguaçu – 160
Volta Redonda – 148
São Gonçalo – 104
São João de Meriti – 77
Petrópolis – 67
Belford Roxo – 63
Mesquita – 56
Maricá – 35
Itaboraí – 34
Magé – 33
Nova Friburgo – 30
Nilópolis – 25
Macaé – 21
Queimados – 16
Teresópolis –16
Rio das Ostras – 15
Barra Mansa – 14
Araruama – 12
Barra do Piraí – 12
São Pedro da Aldeia – 12
Resende – 11
Cabo Frio – 9
Casimiro de Abreu – 9
Angra dos Reis – 8
Paracambi – 8
Campos dos Goytacazes – 7
Itaguaí – 7
Rio Bonito – 7
Iguaba Grande – 6
Bom Jesus de Itabapoana – 5
Japeri – 5
Mangaratiba – 5
Miguel Pereira – 5
Tanguá – 5
Três Rios – 5
Bom Jardim – 4
Paraty – 4
Seropédica – 4
Arraial do Cabo – 3
Cachoeiras de Macacu – 3
Guapimirim – 3
Itaperuna – 3
Paraíba do Sul – 3
Quissamã – 3
São Fidélis – 3
Sapucaia – 3
Paty do Alferes – 2
Piraí – 2
Porto Real – 2
Quatis – 2
São Francisco de Itabapoana – 2
Saquarema – 2
Valença – 2
Areal – 1
Armação de Búzios – 1
Cantagalo – 1
Carapebus – 1
Itatiaia – 1
Mendes – 1
Pinheiral – 1
Porciúncula – 1
Rio das Flores – 1
São João da Barra – 1
Silva Jardim – 1
Sumidouro – 1
Município de residência em investigação – 1

As 387 vítimas foram registradas nos seguintes municípios:

Rio de Janeiro – 237
Duque de Caxias – 34
Niterói – 14
Nova Iguaçu – 13
Mesquita – 7
Belford Roxo – 6
Petrópolis – 6
São Gonçalo – 6
São João de Meriti – 6
Volta Redonda – 6
Itaboraí – 5
Macaé – 4
Maricá – 4
Rio das Ostras – 4
Magé – 3
Tanguá – 3
Barra do Piraí – 2
Iguaba Grande – 2
Itaguaí – 2
Mangaratiba – 2
Rio Bonito – 2
Resende – 2
São Pedro da Aldeia – 2
Araruama – 1
Arraial do Cabo – 1
Barra Mansa – 1
Bom Jardim – 1
Bom Jesus de Itabapoana – 1
Cachoeira de Macacu – 1
Campos dos Goytacazes – 1
Japeri – 1
Miguel Pereira – 1
Nova Friburgo – 1
Paraty – 1
Queimados – 1
São Francisco de Itabapoana – 1
Sapucaia – 1
Teresópolis – 1

 

O prefeito Marcelo Crivella durante coletiva de imprensa/Crédito: Rhavine Vaz/Prefeitura do Rio

A prefeitura do Rio de Janeiro entregou, neste domingo (19), o hospital de campanha do Riocentro, na zona oeste da cidade. A unidade de campanha da capital fluminense é a maior da rede pública em todo o estado, com 16,5 mil metros quadrados de pavilhão e 13 mil metros quadrados de área construída. Tem 500 leitos, sendo 400 de clínica médica e 100 de UTI, entre os quais 15 com recursos para hemodiálise.

Entretanto, a campanha do Riocentro entrará em funcionamento apenas quando o Hospital Ronaldo Gazolla chegar a 70% de ocupação dos seus 381 leitos. O hospital fica em Acari, zona norte da cidade, e é a referência para tratamento do novo coronavírus na capital.

Sobre o Ronaldo Gazolla, a prefeitura esclareceu que a ampliação dos leitos está sendo feita de maneira gradual e será concluída com a chegada, prevista para os próximos 10 dias, de novos respiradores e monitores, comprados pelo município antes da pandemia, visando reequipar os hospitais da cidade.

No hospital do Riocentro, foram montados um centro cirúrgico com aparelhos de autoclave e termodesinfectador, três salas para procedimentos, e um centro de imagens com tomógrafo e raio-x digital.

Nova leva
Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) saíra da China no próximo dia 27 trazendo uma nova leva de equipamentos e materiais para o hospital de campanha do Riocentro. A chegada ao Brasil é esperada entre os dias 29 e 30 deste mês. A Prefeitura já iniciou a contratação de pessoal para o trabalho no local, incluindo médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes de apoio.

O hospital de campanha do Riocentro tem também 13 postos de enfermagem, sendo um para cada grupo de 30 leitos. Ao chegar e sair do local, os profissionais de saúde farão a desinfecção na área externa do hospital, em contêineres com 18 chuveiros femininos e 18 masculinos, além de local para depósito de roupa suja. Todo fluxo de desinfecção foi elaborado com o apoio de técnicos da Subsecretaria de Vigilância Sanitária.

Monitoramento
Todos os leitos são monitorados por 90 câmeras espalhadas pelo espaço e têm rede de 'wi-fi'. Dos quatro mezaninos já existentes no Riocentro, três funcionarão como sala de descanso para médicos e enfermeiros. Toda parte de equipamento médico e pessoal será fornecido pela Secretaria Municipal de Saúde.

O investimento inicial para a construção do hospital de campanha foi de R$ 10 milhões, excluindo os recursos destinados à operação e manutenção.

Quem não estiver usando máscara pode ser impedido de entrar nos ônibus - Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, disse neste sábado (18) que publica ainda hoje uma edição extraordinária do Diário Oficial do Município com o decreto tornando obrigatório o uso de máscaras na cidade para quem sair às ruas e nos estabelecimentos abertos ao público.

O prazo para que a medida entre em vigor será de cinco dias a partir da publicação, ou seja, na quinta-feira (23). Quem não usar as máscaras poderá ser impedido de utilizar o transporte público ou entrar nos estabelecimentos autorizados a funcionar durante a pandemia do novo coronavírus.

Crivella informou que a regulamentação do decreto incluirá as eventuais punições para quem desobedecer à determinação. No entanto, ele destacou o caráter da conscientização:

"O mais importante não é punir, mas conscientizar a população sobre a importância do uso de máscaras neste momento em que a curva de contágio do novo coronavírus se acentua na cidade. É preciso a colaboração de todas as pessoas. Um deve alertar o outro que não estiver usando máscara a passar a usar, se proteger e proteger as demais pessoas", disse o prefeito.

Cartilha vai ensinar como fabricar e usar as máscaras

O decreto trará em anexo uma cartilha com orientações sobre como confeccionar as máscaras, usá-las e higienizá-las.

"É importante dizer que as máscaras de uso obrigatório são as comuns, feitas em casa. As profissionais, como consta em nota do Ministério da Saúde, serão reservadas aos médicos, enfermeiros e demais profissionais da saúde em campo. Se todo mundo usar máscaras profissionais, elas vão faltar nos hospitais", explicou Crivella.

"Estamos tomando as medidas com muito equilíbrio, sempre consultando a Comunidade Científica e o Gabinete de Crise contra a covid-19 – afirmou o prefeito – Temos agido com base nos alertas e nas informações da ciência para a proteção da população. Mas acreditamos e esperamos que essas medidas sejam por um período curto. Estamos medindo as curvas e, logo que elas começarem a cair, vamos voltar à vida normal", declarou o prefeito.

Contratação de mil leitos privados

O prefeito informou também nesta tarde que o edital para a contratação de leitos privados já foi lançado. Ao todo, a Prefeitura poderá pagar por até mil leitos particulares. O objetivo é garantir o tratamento aos pacientes da covid-19, enquanto os respiradores mecânicos comprados na China, fundamentais para o tratamento dos casos graves da doença, não chegarem ao país. Esses equipamentos, num total de 806 respiradores, começarão a chegar nos próximos dez dias e deverão estar todos entregues até o final de maio.

Outra iniciativa para ampliar a capacidade de atendimento na rede municipal foi o pedido de devolução de 80 respiradores mecânicos cedidos ao governo federal.

"Eu mesmo enviei oficío sexta-feira (17), pedindo que liberem esses equipamentos. Isso seria importantíssimo no momento em que estamos com cerca de 85% de ocupação de nossos leitos de UTI", disse Crivella.

Contrato não é papel, contrato tem rosto, é a campanha lançada - Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

A prefeitura do Rio de Janeiro, por meio do Procon Carioca e dos demais membros da Associação Brasileira de Procons (ProconsBrasil), iniciou a campanha “Contrato não é papel, contrato tem rosto”. De acordo com informação do Procon Carioca, a campanha objetiva orientar os consumidores sobre os seus direitos e deveres nesse momento de pandemia do novo coronavírus e como isso pode afetar a vida da sociedade como um todo, incluindo consumidores, fornecedores e trabalhadores.

O presidente do Procon Carioca, Benedito Alves, observou que a ideia é promover, de forma humanizada e transparente, o diálogo entre consumidores e fornecedores, para que esses possam buscar, juntos, negociações viáveis. Alves salientou que, diante dessa pandemia que ninguém esperava, nenhuma das partes dessa relação de consumo tem culpa e é preciso bom senso e equilíbrio do lado do consumidor e do fornecedor.

“Quebras de contratos podem prejudicar tanto a empresa, como a economia e até o consumidor. E o Procon Carioca está à disposição, através do 1746, rio.rj.gov.br/proconcarioca, e de suas redes sociais Facebook e Instagram, para fazer essa intermediação entre cliente e empresa quando o consumidor tiver dificuldades em negociar direto com o fornecedor”, afirmou Benedito Alves.

De acordo com o Procon Carioca, as negociações também podem ser feitas direto com as empresas através do site consumidor.gov.br.

Dois servidores tiveram ferimentos leves e foram levados a um hospital

Policiais militares do 17º Batalhão do Rio de Janeiro e do Batalhão de Choque estão do lado de fora do Centro de Socioeducação Dom Bosco, na Ilha do Governador, para atender a um chamado de rebelião. Os policiais chegaram ao local ao meio-dia, na hora em que foram acionados também os bombeiros.

O Centro Dom Bosco é uma das unidades do Departamento Geral de Ações socioeducativas (Degase), órgão responsável pela guarda de adolescentes em medidas socioeducativas. Os bombeiros costumam ser chamados nesses casos para prevenção.

Em resposta à Agência Brasil, o Degase informou que o Grupamento de Ações Rápidas, da instituição, e o Batalhão de Choque entraram na unidade do Dom Bosco por volta das 14h.

O Degase informou ainda que há um foco de incêndio em um dos pontos da unidade e que dois servidores, levemente feridos, foram levados ao hospital. “Não há informações sobre adolescentes machucados”, acrescentou.

Um helicóptero da Policia Militar sobrevoa o terreno do Centro Dom Bosco.

* Em atualização

Equipamentos funcionarão próximos à Central, Riocentro e estações de metrô, barcas e BRT - Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do Rio

Dentro das ações de enfrentamento ao novo coronavírus, a Prefeitura do Rio vai instalar cabines de desinfecção em pontos sensíveis para a circulação de pessoas, como a Central do Brasil e estações de Metrô, barcas e do BRT, começando pelo hospital de campanha do Riocentro.

O anúncio foi feito pelo gestor do Gabinete de Crise contra a Covid-19 e secretário municipal de Ordem Pública, Gutemberg Fonseca, neste sábado (18), no Riocentro, junto ao prefeito Marcelo Crivella – que havia acabado de detalhar à imprensa o decreto obrigando o uso de máscaras nas ruas e em estabelecimentos abertos ao público.

O prefeito foi o primeiro a testar hoje uma das duas cabines que funcionarão no hospital de campanha. A instalação da primeira das outras cinco cabines que serão usadas em áreas públicas da cidade está prevista para começar semana que vem.

"Primeiro de tudo, é importante conscientizar: continuamos insistindo que a população fique em casa. Se houver necessidade de sair para a rua, pedimos agora (diante do decreto municipal que obriga o uso): utilize a máscara e evite aglomerações. E temos ainda esta novidade, que é a cabine de desinfecção, onde a pessoa passa pela porta de entrada e quando sai do outro lado, ela está completamente desinfectada", disse Gutemberg.

Dentro da cabine, são ativados dispositivos que pulverizam, quase como uma poeira, um produto chamado Atomic 70, desenvolvido por laboratório de São Paulo e certificado pela Anvisa. A substância combate alguns tipos de vírus, incluindo a Covid-19.

"O produto é muito eficaz, usado inclusive para fazer desinfecção em centros cirúrgicos. O fabricante garante que esse produto fica de três a cinco horas na pessoa, na roupa. Por isso a eficácia é de suma importância neste novo dispositivo", afirmou Gutemberg.

Semelhante a um túnel, a estrutura dispõe de um sensor de presença que aciona borrifadores em seu interior liberando o produto - inofensivo aos olhos, pele e cabelos – a quem entra na cabine.

"Estamos em guerra contra o vírus e o prefeito Marcelo Crivella orientou que buscássemos iniciativas eficazes para o contra-ataque. É todo um esforço de guerra para enfrentar a doença", disse Gutemberg.

Um milhão de máscaras

O secretário de Ordem Pública anunciou também que a Prefeitura vai distribuir um milhão de um novo tipo de máscara, feita de celulose, biodegradável e com design mais eficiente para evitar a contaminação do lado interno.

"É um material reciclado, que você usa um dia e depois joga fora. É simples, de fácil manuseio e permite que você coloque no rosto sem contato das mãos com a parede interna da máscara", informou Guttemberg.

O objetivo é iniciar a distribuição a partir desta segunda-feira (20) em estações do BRT.

No carro foram encontrados pertences das vítimas - Foto: Divulgação/ GM

Guardas municipais do Rio prenderam, na manhã deste sábado (18), um assaltante em fuga após capotar com o carro na Avenida das Américas, na altura da estação BRT Novo Leblon, na Barra da Tijuca, Zona Oeste.

A equipe fazia supervisão na estação do BRT Novo Leblon, uma das medidas da Prefeitura do Rio para evitar aglomerações e conter a disseminação do novo coronavírus (covid-19) na cidade. Os agentes foram acionados por pedestres, que viram o acidente na Avenida das Américas, sentido Barra da Tijuca, a cerca de 50 metros da estação.

No carro, havia quatro suspeitos de praticarem assaltos na região que estavam em fuga. Três deles saíram do veículo e fugiram em direção ao condomínio Santa Marina. Com apoio de dois guardas, o inspetor Marco Aurélio Pereira, comandante da UOP Copacabana, prendeu um suspeito de 19 anos dentro do condomínio. Outro suspeito foi detido por policiais militares e, até o momento, não há informações sobre os comparsas.

Os guardas conduziram o suspeito, que ficou ferido com o acidente, para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Em seguida, ele foi conduzido para a 16ª DP (Barra da Tijuca) onde o caso foi registrado. No carro foram encontradas duas pistolas, além de relógios, celulares e outros pertences que foram furtados pelos assaltantes.

Mais Artigos...

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.