28
Seg, Set

Governador é acusado de fraudes no sistema de saúde do Rio

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou de forma unânime, por 69 votos a favor e nenhum contra, o relatório que pede o impeachment do governador afastado Wilson Witzel. A sessão, realizada nesta quarta-feira (23), reuniu 69 deputados, presencialmente ou de forma remota. Um deputado está afastado por problema de saúde.

O projeto precisava de um mínimo de 47 votos para ser aprovado. A resolução será publicada em Diário Oficial nesta quinta-feira (24) e o Tribunal de Justiça (TJ) será comunicado para dar início à formação do Tribunal Misto. O tribunal é formado por cinco deputados eleitos pela Alerj e cinco desembargadores eleitos por sorteio pelo TJ. A partir da formação do tribunal, o governador é afastado por até 180 dias enquanto os seus membros analisam a questão.

Witzel, que desistiu de comparecer presencialmente à Alerj, falou por videoconferência ao final dos discursos de 28 deputados, todos com críticas a ele. O governador afastado falou por cerca de 60 minutos. Ele se defendeu, dizendo que foi um julgamento injusto: “Estou sendo linchado moral e politicamente, sem direito de defesa. A tirania escolhe suas vítimas. Felizmente a história mostra que mártires nunca morrem”. Citou o Sermão da Montanha, “bem-aventurados os que têm fome e sede de Justiça, porque eles serão fartos”.

Witzel também falou sobre a democracia, criticando a forma como ele foi afastado pela Justiça: “Estamos matando a nossa democracia. O bem maior é o voto. O respeito e a força do voto estão sendo solapados. Eu fui afastado sem o direito de falar, sem inquérito prévio. Estou sendo afastado por 180 dias, em pleno exercício do mandato, outorgado pela população. Não pude exercer o meu amplo direito de defesa”.

Witzel adotou um tom forte, por vezes com ataques ao Legislativo: “Eu jamais fui omisso em ouvir e procurar corrigir. Quantos deputados foram investigar as OSs [organizações sociais]? Se tinha pagamento irregular, os senhores e as senhoras também foram omissos. Muitos aqui jamais me procuraram. Só falam da tribuna, só reclamam, mas não trazem solução nenhuma. Só fazem projetos autorizativos, atos politiqueiros”.

O governador afastado encerrou dizendo que não se importava de ser julgado, porque tinha a convicção que jamais havia praticado ato ilícito: “Não encontraram um centavo na minha conta. Eu não tenho milhões. Só tenho a minha casa no Grajaú. Eu já estou julgado, previamente condenado. Estou sendo amputado do meu cargo. Estou sendo linchado politicamente, de uma forma muito triste. Eu não vim aqui para roubar, vim aqui para mudar a política. E a política não vai me mudar”.

Processo

O início do processo de impeachment de Witzel foi aprovado em 10 de junho, por 69 deputados, de um total de 70 parlamentares  . Ele é suspeito de envolvimento em compras fraudulentas e superfaturadas de equipamentos e insumos para o combate à pandemia de covid-19.

Witzel foi alvo, no dia 26 de maio, da Operação Placebo, autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), que investiga corrupção na compra de equipamentos e insumos para o combate à pandemia no estado. Além dele, também foram alvos a primeira dama, Helena Witzel, a empresa Iabas, que presta serviços de saúde, e outras pessoas. Os policiais federais chegaram a realizar buscas no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador, e na casa da família Witzel, no bairro do Grajaú.

Dias antes, o seu então secretário de Saúde, Edmar Santos, já havia sido afastado do governo, por acusações de desvios na pasta, em favor de grupos empresariais, com o recebimento de propinas  .

Witzel foi afastado do poder, por 180 dias, no dia 28 de agosto, no âmbito da Operação Tris in Idem, um desdobramento da Operação Placebo, que investiga atos de corrupção em contratos públicos do governo do Rio de Janeiro. A ação foi autorizada pelo ministro do STJ Benedito Gonçalves.

A remuneração e as exigências para cada função são variáveis e devem ser consultadas no programa Sine

Esta semana, nas unidades SINE-RJ, divulgamos 665 oportunidades de trabalho nas regiões Metropolitana, Centro Sul-Fluminense, Médio Paraíba e Serrana do Rio de Janeiro.

Na região Metropolitana, estão sendo oferecidas 422 vagas. Entre elas, 60 para repositor de mercadorias, 20 para supervisor de vendas, 5 para nutricionista, 61 para pessoas com deficiência, entre outras.

No Centro Sul-Fluminense, estão sendo oferecidas 100 vagas para garçom e auxiliar de cozinha. Na região Serrana divulgamos 82 vagas, entre as opções 15 para vendedor, 10 para empregado doméstico, 11 para técnico de suporte de TI, entre outras.

Também são oferecidas 61 vagas na região do Médio Paraíba, entre elas opções para pedreio, pizzaiolo, consultor de vendas, entre outras. Além de 30 vagas para pessoas com deficiência.

As vagas são ofertadas na rede SINE-RJ e disponibilizadas aos candidatos de acordo com o perfil profissional cadastrado no programa.

A remuneração e as exigências para cada função são variáveis e devem ser consultadas no programa SINE.

Para verificar as oportunidades, é necessário realizar o cadastro e acessar o programa através dos canais digitais empregabrasil.mte.gov.br ou aplicativo Sine Fácil.

Para esclarecimentos de dúvidas, os candidatos podem entrar em contato com a nossa Central de Captação, através dos e-mails: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Universidade está entre as sete instituições brasileiras contempladas para integrar a 'Iniciativa para a Erradicação do Racismo na Educação Superior'

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) é uma das sete instituições brasileiras contempladas para integrar a “Iniciativa para a Erradicação do Racismo na Educação Superior”, proposta pela Cátedra da Unesco para Educação Superior, Povos Indígenas e Afrodescendentes na América Latina. Projeto do Grupo de Pesquisa Cultura e Identidades no Cotidiano, vinculado ao Programa de Pós-graduação em Educação (Proped) da Universidade, é uma das 26 iniciativas selecionadas em diversos países para compor a campanha.

A intenção é promover ações na internet voltadas às reflexões e discussões sobre as modalidades de racismo que ainda persistem nas instituições de ensino superior do Brasil, sejam de natureza discriminatória, estrutural ou sistêmica. A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) busca combater essas atitudes excludentes, que acabam por restringir visões de mundo, histórias, línguas, conhecimentos e modos de produção dos diversos povos e comunidades indígenas e afrodescendentes.

Assim, a partir desta quarta-feira (23), a comunidade universitária e o público em geral poderão acompanhar “Conversas para uma Educação Antirracista: dialogando com imagens”, de forma gratuita, pelo YouTube. Serão sete sessões semanais com duas horas de duração, dedicadas a diferentes temáticas, até o dia 11 de novembro. Na programação, vídeos fornecidos pela Unesco, além de curtas metragens independentes, sempre seguidos de debate.

De acordo com a coordenadora do projeto, Mailsa Passos, os temas abordados nos encontros agradarão a amplas faixas de público.

"Estamos contando prioritariamente com estudantes de graduação e pós-graduação, mas todos os interessados em problematizar situações de racismo nas políticas e nos sistemas de ensino estão convidados", afirma.

Para a professora, a participação da Uerj, com outras instituições da Argentina, Brasil, Colômbia, Equador, Guatemala e México, tem um sabor especial.

"Esse resultado é muito importante, na medida em que reconhece a história da Universidade nas lutas antirracistas e como pioneira dos programas de ação afirmativa no Brasil, além de dar visibilidade ao seu caráter democrático, que sempre nos encheu de orgulho", ressalta Passos.

Conversas para uma Educação Antirracista: dialogando com imagens

Assista no YouTube, sempre às 18h.

23/09 – Microvídeos: Bernardine Dixon (Universidad de las Regiones Autônomas de la Costa Caribe Nicaraguense); Nelly Yendy Arrechea Riasco (Universidad Nacional de La Plata, Argentina); Guilherme Diniz (Universidade Federal de Minas Gerais – Brasil). Curta-metragem: “Magdalena Santos – a imaginação também é minha.”

30/09 – Microvídeos: Clara Pedraza Goyeneche (Universidade Nacional Aberta e a Distância, Colombia); Eugenia Maldonado (Universidade Iberoamericana, México). Curta-metragem: “Eunice e Fabrice”. Racismo institucional – interculturalidade – afrodiáspora.

07/10 – Microvídeos: Maria Nilza da Silva (Universidade de Londrina); Antonio Jeovany da Silva Ferreira (Universidade da integração Internacional da Lusofonia afro-brasileira); Notas # 4 – Amaral, Wagner “Uma presença indígena e afro-descendente interroga o Ensino Superior e o torna possível ou confrontado com o racismo”. Curta-metragem: “Casca de Baobá”. Afrodiáspora – encontro – universidade.

14/10 – Microvídeos: Guilherme Diniz (Universidade Federal de Minas Gerais – Brasil); Notas # 10 – Da Silva, Maria Nilza “Como dimensões para estudantes negros originais ou nenhuma instituição pública”. Curta-metragem: “A Fábula de Vó Ita”. Estética – auto estima – jovens negros.

21/10 – Microvídeos: Professor José de Almeida (Universidade Federal Rural de Pernambuco); Maria Nilza da Silva. Universidade de Londrina. Curta-metragem: “Simplesmente Irani”.

04/11 – Microvídeos: Henry Rebolledo (Colômbia), David Navarrete (Centro de Investigação Estudos de Antropologia do México). Curta-metragem: “A história de Akykysia – o dono da caça”. Saberes indígenas, cultura e contação de história

11/11 – Microvídeos: Shailili Zamora Aray (Argentina), Marcia Mandepora Chundary (Guarani, Presidente fundadora da Educação em Contextos de Multilinguismo e Pluralidade, Bolivia). Curta-metragem: “O boto”. Cultura indígena e contos populares.

Volume em um dia foi 57% maior do que o esperado para todo o mês - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Prefeitura do Rio continua trabalhando para reduzir o impacto da forte chuva que atingiu a cidade desde a noite de segunda-feira (21) até a madrugada desta quarta (23). Equipes de diferentes órgãos atuam nas ruas sem interrupção. Choveu mais no período do que o esperado para todo o mês. A média histórica da cidade para setembro é de 72,5 mm. Das 18h de segunda às 6h desta quarta, o volume de chuva 57% maior, de 114,3 mm.

Às 8h, a cidade recuou do estágio de atenção (terceiro numa escala de cinco) para o de mobilização. O estágio de atenção vigorava desde 8:15 de terça. Também na manhã desta quarta (23/09), às 7h10, a Defesa Civil desligou as sirenes que soaram desde 8h10 de terça em 17 comunidades com alto risco de deslizamento. As sirenes são acionadas sempre que são atingidos os índices pluviométricos necessários para desocupação preventiva.

Com o solo ainda encharcado em diversas encostas, no entanto, a recomendação para a população é que se mantenha alerta. O telefone da Defesa Civil para solicitação de vistorias é o 199.

Confira mais informações dos órgãos municipais:

CENTRO DE OPERAÇÕES RIO (COR)

De acordo com o Alerta Rio, as estações pluviométricas que registraram maior volume de chuva foram a do Alto da Boa Vista (média histórica para setembro de 148,3mm, com acúmulo nas últimas 24 horas de 201,2 mm) e da Grota Funda, onde a média histórica é de 107,3 mm e choveu, nas últimas 24 horas, 142 mm.

Os maiores acumulados pluviométricos, das 18h de segunda-feira (21/09) até 8h30 desta quarta (23/09), são os seguintes:

Em 15 minutos:

-Recreio dos Bandeirantes - 16,2 mm (22/09 às 10h30)
- Grota Funda - 13,6 mm (22/09 às 10h15)
- Av. Brasil / Mendanha - 10,8 mm (21/09 às 22h)
- Barra/Barrinha - 10,8 mm (22/09 às 10h30)
- Alto da Boa Vista - 10,8 mm (22/09 às 11h15)

Em uma hora:

- Recreio dos Bandeirantes - 46,2 mm (22/09 às 10h45)
- Grota Funda - 43,8 mm (22/09 às 10h45)
- Alto da Boa Vista - 34,4 mm (22/09 às 12h).

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informa que NÃO HÁ MAIS PREVISÃO DE CHUVA FORTE. Ainda existem ocorrências relacionadas à chuva, como alagamentos em Jardim Maravilha, em Campo Grande; queda de árvore na Estrada da Pedra Bonita e na Estrada da Barra da Tijuca, altura da Ilha dos Pescadores, sentido Estrada de Furnas; deslizamento na Estrada da Gávea Pequena. Para esta quarta-feira, segundo o Alerta Rio, há previsão de chuva fraca, podendo ser moderada apenas no período da manhã.

Para ter informações sobre todas as ocorrências e o balanço completo do COR, acesse o link: http://cor.rio/noticias/?id=9888.

DEFESA CIVIL

A Defesa Civil municipal registrou, desde as 21h desta segunda-feira (dia 21), 171 chamados pelo canal 199, sendo as principais ocorrências por ameaça/desabamento de estrutura (64), para imóveis com rachadura e infiltração (54) e por ameaça/deslizamento de encosta (28).

Das 13 interdições realizadas pelo órgão até as 10h desta quarta (23), 11 foram na região do Alto da Boa Vista, uma em Rio Comprido (área central) e uma na comunidade do Faz Quem Quer, em Rocha Miranda (Zona Norte). Equipes do órgão continuam atuando em diversos pontos da cidade, além de permanecerem de prontidão no Centro de Operações Rio e na sede da Defesa Civil, em Vila Isabel.

Os bairros mais atendidos são Tijuca, Campo Grande, Itanhangá, Vidigal, Santa Cruz, São Cristóvão, Botafogo, Alto da Boa Vista, Bangu, Paciência, Todos os Santos, Santa Teresa, Freguesia (Jacarepaguá), Guaratiba, Vargem Grande.

Alertas sonoros - O sistema de alertas sonoros é baseado no monitoramento dos índices críticos de chuva por meteorologistas do Alerta Rio, lotados no COR, onde profissionais da Defesa Civil municipal atuam, de forma integrada, 24 horas/dia. O trabalho conta ainda com a participação de líderes e voluntários das comunidades, além de pontos de apoio previamente definidos, caso haja a necessidade de evacuar provisoriamente moradores. Integram o sistema, 83 pluviômetros, 165 sirenes e 194 pontos de apoio.

Informações via SMS - Qualquer pessoa pode receber alertas de chuva forte da Defesa Civil por meio de adesão voluntária. O cadastro é simples, rápido e gratuito: basta enviar mensagem de texto com o CEP de interesse para o número 40199.


COMLURB

A Comlurb está com equipes em prontidão desde a noite de segunda-feira (21/09) atuando nas ocorrências de bolsões de água e queda de árvores em consequência das chuvas na Cidade do Rio. O contingente é de 1.038 garis nas áreas atingidas.

As equipes atuaram, até as 17h de hoje, dia 23, em 49 bolsões d'água em diferentes pontos da cidade, dos quais apenas três ainda estão em andamento. Foram limpas 1.395 caixas de ralos. Houve 62 registros de quedas de árvores e grandes galhos, somente sete ainda não tiveram os serviços concluídos.

Devido à ressaca no mar, na praia do Leblon, os garis também trabalharam hoje na remoção do lixo trazido pela maré e pouca quantidade de areia na ciclovia.

A Comlurb ressalta que é de grande importância a colaboração da população no descarte correto de seu lixo domiciliar nos períodos de chuvas. Pede que os moradores aguardem que diminua a precipitação das águas para dispor o lixo para o caminhão de coleta.

A Companhia atua permanentemente na limpeza das caixas dos ralos de escoamento das águas pluviais e intensifica os serviços quando há previsão de chuvas fortes.


CONSERVAÇÃO

A Subsecretaria de Conservação está efetiva em todas as regiões da cidade. Os serviços para mitigar e sanar os alagamentos e eliminar os bolsões d'água vão continuar. Todas as equipes dispõem de pás, retroescavadeiras, compressores e caminhões dos tipos basculante e conjugado, que auxiliam na drenagem da água.

Trabalhos finalizados nas seguintes vias:

Av. Borges de Medeiros - Alt. da Rua Batista da Costa - Lagoa - Sent. Gávea;
Av. Ayrton Senna Alt. Av. Isabel Domingues - Gardênia Azul;
Estrada da Pedra, Guaratiba;
R. do Catete Alt. R. Silveira Martins - Catete;
Rua Pacheco Leão Alt. R. Von Martius - Jardim Botânico;
Av. Epitácio Pessoa - Sent. Rebouças;
Av. Epitácio Pessoa Alt. R. Tabatinguera - Lagoa - Ambos os sentidos;
R. Gabriela Prado Ribeiro - Alt. Conde de Bonfim - Tijuca;
R. do Catete Alt. R. Pedro Américo - Catete;
Av. das Américas Alt. Dowtown - Barra da Tijuca - Sent. S. Conrado;
Av. Armando Lombardi Alt. R. Aldo Bonadei - Barra da Tijuca - Sent. S. Conrado;
Av. Armando Lombardi Alt. R. Pedro Lago - Barra da Tijuca
Av. Min. Ivan Lins Alt. Praça Euvaldo Lodi - Barra da Tijuca - Sent. S. Conrado;
Av. das Américas Alt. Barra Garden - Barra da Tijuca - Sent. S. Conrado;
Av. Armando Lombardi - Alt. Barra Point - Barra da Tijuca - Sent. Recreio;
Av. Ministro Ivan Lins - Alt. Hotel IBIS - Barra da Tijuca - Sent. São Conrado;
Estr. Eng. Fernando Mac Dowell Alt. Entrada Túnel Zuzu Angel - São onrado - Sent. Lagoa;
R. Prof. Saldanha Alt. R. Jardim Botânico - Jardim Botânico;
Estr. do Catonho 17 - Sent. Sulacap;
Rua Tonelero Alt. R. Tonelero - Copacabana;
Av. Brasil - Alt. do Cemitério do Caju - Caju - Sent. Centro;
Descida do Viaduto de Lucas - Parada de Lucas - Sent. Centro;
Av. Brasil - Alt. Viaduto Ataulfo Alves - Benfica - Sent. Centro;
Av. Niemeyer - Alt. n° 318 - São Conrado - Sent. Leblon;
Av. Ayrton Senna - Alt. do SESC - Barra da Tijuca - Sent. Linha Amarela;
Rua Vinícius de Moraes - Alt. da Av. Epitácio Pessoa - Lagoa;
Autoestrada Eng. Fernando Mac Dowell - Alt. da Rocinha - São Conrado - Sent. Barra;
Av. Brasil - Alt. do Canal do Cunha - Manguinhos - Ambos os sentidos.

Bolsões d'água e alagamentos em andamento:

- Jardim Maravilha, Guaratiba;
- Muzema, Rio das Pedras.

RIO-ÁGUAS

A Fundação Rio-Águas trabalha na operação dos reservatórios de controle de enchentes da Grande Tijuca. Os equipamentos operam normalmente, liberando os volumes reservados, conforme a capacidade da rede de drenagem local. O desvio do Rio Joana também está em funcionamento, desaguando as águas excedentes que chegam ao Rio Joana diretamente na Baía de Guanabara. Na Zona Sul, a Rio-Águas faz a operação das comportas da Lagoa Rodrigo de Freitas. Todas as comportas seguem abertas desde o início das chuvas, na noite de segunda, 21/09. Duas escavadeiras hidráulicas trabalharam no desassoreamento do Canal do Jardim de Alah, nesta quarta.

Os trabalhos de manutenção em canais e rios da cidade são constantes. Em agosto e setembro deste ano, os seguintes rios receberam serviços de limpeza: Rio Cação Vermelho, em Santa Cruz; Rio Guarajuba, em Campo Grande; Rio da Prata Mendanha, em Campo Grande; Rio Guarajuba, em Santíssimo; afluente do Rio da Prata Mendanha, em Campo Grande; Rio Dom Carlos, no Caju; Rio Retiro Saudoso, no Caju; Rio Maracanã, na Tijuca; Rio Joana, em São Cristóvão; Rio Rainha, na Gávea; Rio Carioca, no Cosme Velho; Rio Marinho, em Realengo; Rio das Pedras, próximo à Avenida Brasil; Rio Itanhangá, no Itanhangá; Arroio Pavuna, em Curicica; Canal da Avenida Isabel Domingues, na Gardênia Azul; Rio Vargem Pequena, em Vargem Pequena; Rio da Barra, na Barra da Tijuca; Rio Amendoeira, no Itanhangá; Rio Covanca, no Tanque; Rio Cascalho, em Vargem Grande; e a foz do Canal Sernambetiba, com serviço contínuo de desassoreamento.


GUARDA MUNICIPAL

A Guarda Municipal do Rio de Janeiro atua com o plano de contingência para implantação de bloqueios viários e o monitoramento de 69 pontos para minimizar os transtornos causados pelas chuvas no trânsito.

Ao todo, 144 agentes, com apoio de 28 viaturas, trabalham nesta quarta-feira, 23/09, no controle do trânsito em todas as regiões da cidade para orientar motoristas e pedestres. As equipes atuam em pontos de alagamentos ou com risco de acidentes e deslizamentos em diversos bairros, implantando bloqueios e desvios viários nas ruas, estradas e avenidas mais atingidas. Entre os pontos cobertos estão vias principais do Jardim Botânico, Humaitá, Catete, Glória, Lagoa, na Zona Sul; Praça da Bandeira, São Cristóvão, Maracanã e Estrada Grajaú-Jacarepaguá, na Zona Norte; Avenida Burle Marx, em Guaratiba; vias do Itanhangá, Barrinha, Anil, Muzema e Barra da Tijuca, na Zona Oeste.

A execução de bloqueios viários acontece sempre que o Rio entra em Estágio de Atenção. As ações são integradas com a CET-Rio, o Centro de Operações e em apoio à Defesa Civil do município e aos demais órgãos da Prefeitura do Rio.


CET-RIO

A CET-Rio interditou nesta quarta a Estrada Alceu de Carvalho, em Vargem Grande, por conta de transbordamento do Rio Morto. A companhia atua também na Estrada das Canoas e na Estrada da Gávea Pequena, devido a queda de árvores. Outra equipe dá apoio à Comlurb na Rua Jardim Botânico para retirada de troncos. Operadores também estão na Estrada Fernando Mac Dowell e no túnel Zuzu Angel, devido a resquícios da chuva. A CET-Rio segue monitorando as principais vias da cidade, como Avenida Brasil, Linha Vermelha, Estrada Grajaú Jacarepaguá, Avenida Airton Senna, Estrada dos Bandeirantes e Avenida Radial Oeste, entre outras.

Acusado é polipátrida - Foto: Tania Rego/Agência Brasil

Policiais da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) prenderam nesta terça-feira (22) um estrangeiro que era investigado por intermediar armas e explosivos para uma facção criminosa do Rio. Essas armas, segundo a investigação, eram usadas em ações contra instituições financeiras.

O acusado, que era polipátrida (americano e britânico com origem israelense), foi preso em flagrante na Rua Frei Caneca, no centro do Rio. Ele estava com um veículo Mitsubishi Eclipse Cross roubado, clonado e com documentos falsos.

Segundo o delegado titular da DRF, Gustavo Rodrigues, as investigações vão continuar para esclarecimento dos crimes do acusado. O criminoso foi encaminhado ao sistema penitenciário, onde ficará à disposição da Justiça.

Secretaria de Estado de Agricultura e Ministério da Agricultura orientam sobre o perigo de recebimento de sementes não solicitadas entregues pelos correios - Foto: Divulgação

Devido à notícia de que sementes vindas da China estariam sendo enviada pelos correios para endereços diversos no país sem a solicitação dos destinatários e sem a devida certificação fitossanitária, a Secretaria de Estado de Agricultura e a Superintendência Federal de Agricultura fizeram um alerta em conjunto aconselhando que esses pacotes de remetentes desconhecidos não sejam abertos e, além disso, que os casos suspeitos sejam informados imediatamente aos canais oficiais dos órgão.

É fundamental estar atento aos possíveis riscos oferecidos, especialmente por materiais de propagação vegetal, inclusive por sementes. Para o secretário de Agricultura, Marcelo Queiroz, as atividades agrícolas do Estado do Rio de Janeiro precisam estar preservadas.

"Temos uma agricultura bem representada por produtores de olerícolas, flores, café, cana-de-açúcar, citros e diversas outras culturas de grande importância econômica. Não podemos deixar que ameaças fitossanitárias prejudiquem a produção fluminense", afirma o secretário de Agricultura.

Levando em conta que esse material possui procedência e qualidade desconhecidas, podendo causar prejuízos à sanidade vegetal, o superintendente de Defesa Agropecuária, Paulo Henrique Moraes, alerta sobre a importância da participação da sociedade nesse processo de vigilância sanitária.

"A atenção da sociedade para esses riscos e a notificação em caso de suspeita de ameaças é o que precisamos para auxiliar o nosso trabalho. Estaremos sempre divulgando notícias e orientações para produtores e consumidores, visando a garantia da sanidade vegetal no nosso estado", ressalta o superintendente de Defesa Agropecuária.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento orienta que, em casos de recebimento de material semelhante a sementes, a pessoa não abra o envelope e entre em contato com os órgãos responsáveis.

"Por se tratar de produto que entrou no Brasil sem nenhum tipo de inspeção, pode representar riscos à saúde humana, animal e também ao meio ambiente. As sementes aprendidas serão encaminhadas para laboratórios oficiais para identificação", concluiu a chefe da Divisão de Defesa Agropecuária da Superintendência Federal de Agricultura no RJ, Jamyle Vianna.

A presença de agentes causadores de doenças ou pragas exóticas podem oferecer riscos à produção nacional. Sendo assim, notifique! Para mais orientações, o cidadão pode entrar em contato com a Superintendência Federal de Agricultura no Estado do Rio de Janeiro, pelo telefone (21) 98164-2632 ou e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Outra opção é comunicar a Superintendência Defesa Agropecuária da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, através do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou telefone: (21) 3607-6035.
*Os contatos das unidades da Defesa Agropecuária podem ser obtidos no link a seguir: https://bit.ly/2FUeQqT

Provas apresentadas mostram corrupção e lavagem de dinheiro - Foto: Tânia Rêgo/Divulgação

Policiais federais cumprem hoje (23) mandados de busca e apreensão na operação Boeman, a 75ª fase da operação Lava Jato. São 25 mandados que estão sendo cumpridos nas cidades do Rio de Janeiro, de Macaé (RJ), São Paulo, Aracaju e Barra dos Coqueiros (SE).

Segundo a Polícia Federal (PF), as medidas são resultado de informações repassadas em acordo de colaboração premiada de lobistas que atuavam junto a funcionários da Petrobras e a políticos com influência na estatal.

As provas apresentadas pelos colaboradores mostram indícios de corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro durante processo de contratação de navios lançadores de linha (PLSV) pela Petrobras.

Segundo a PF, um dos investigados teve acesso a informações privilegiadas da estatal para ter vantagens no processo licitatório. Investigações feitas por autoridades holandesas também teriam constatado ilegalidades no fornecimento desses navios.

As empresas estrangeiras vencedoras da licitação, posteriormente, subcontrataram uma companhia holandesa para execução do serviço licitado. A companhia holandesa contratada era representada por um empresário brasileiro.

Os mandados de busca e apreensão de hoje têm por objetivo cessar a atividade criminosa, aprofundar o rastreamento dos recursos de origem criminosa (propina) e concluir a investigação policial.

Projeto ainda vai passar pelas comissões da Casa e ser votado por todos os deputados - Foto: Divulgação

O município do Rio poderá ganhar um Hospital do Olho no prédio anexo da Assembleia Legislativa do Estado (Alerj), que será desativado. A implantação da unidade especializada em oftalmologia, proposta pelo projeto de lei 3.140/2020, de autoria de Rosenverg Reis (MDB), com coautoria do presidente André Ceciliano (PT) e do deputado Marcio Canella (MDB), foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (23).

Ao anunciar no plenário que havia protocolado o projeto, o autor afirmou que já conversou com o governador em exercício, Cláudio Castro (PSC). "O governador adorou a nossa ideia de ceder o prédio para viabilizar a construção de um moderno Hospital do Olho. Com a aprovação dessa iniciativa, poderemos dar início a todas as etapas para que essa conquista possa ser alcançada o mais breve possível", afirmou Rosenverg.

A instalação da unidade de oftalmologia ocorreria após a mudança dos gabinetes dos deputados para a nova sede, o Edifício Lucio Costa, no antigo Banerj. O projeto de lei foi inspirado no Hospital do Olho de Duque de Caxias, referência na especialidade e que recebe paciente de todas as regiões do Estado.

Criado em dezembro de 2017, o Hospital do Olho Julio Cândido de Brito foi a primeira unidade municipal especializada em oftalmologia gratuita da Baixada Fluminense. Conta com equipamentos de última geração e já realizou mais de dois milhões de atendimentos, 1,3 milhão de exames e 33 mil cirurgias de catarata.

"Nada mais justo que tenhamos outro hospital de referência para cuidar da visão da população do Rio de Janeiro, que carece dessa especialidade tão essencial que pode evitar que pessoas fiquem cegas", defendeu Rosenverg.

O projeto ainda vai passar pelas comissões da Casa e ser votado por todos os deputados. Se aprovado, segue para sanção do governador, que deve regulamentar a lei.

Mau tempo prejudicou o trânsito e houve engarrafamentos - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A cidade do Rio de Janeiro permanece em Estágio de Atenção na manhã desta quarta-feira (23), por conta da forte chuva que cai desde a noite de segunda-feira (21). O estágio é o terceiro em uma escala de cinco e significa que ocorrências impactam na rotina da população. O Rio entrou em Estágio de Atenção às 8h15 de ontem.

Segundo o radar meteorológico do Centro de Operações da Prefeitura (COR), agora pela manhã não há previsão de chuva forte, mas pode ocorrer chuva fraca a moderada isolada nas próximas horas.

Nas últimas 24 horas, algumas áreas registraram mais chuva do que a média de setembro. Na estação Alto da Boa Vista, a média histórica para setembro é de 148,3mm e o acumulado em 24 horas - por volta das 7h de hoje - era de 201,2mm. A estação Grota Funda registrou 142,0mm em 24 horas, onde a média histórica para o mês é de 107,3mm.

Houve rajadas de vento forte ontem, que chegaram a 70,4 km/h no Aeroporto Santos Dumont e a 64,4 km/h no Forte de Copacabana, às 12 horas de ontem. Às 11h os ventos chegaram a 55,6 km/h na Base Aérea de Santa Cruz e 59,3 km/h na Base Aérea do Campo dos Afonsos.

De acordo com o COR, nesta manhã ainda estavam em andamento bolsões de água na Estrada do Itanhangá e na Estrada de Jacarepaguá. Houve, ainda, alagamento na Estrada Vereador Alceu de Carvalho e no Jardim Maravilha e lâmina d'água na Avenida Borges de Medeiros, na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul da cidade.

Queda de árvores

Ao todo, foram registrados desde a noite de segunda-feira 39 ocorrências relacionadas à chuva, sendo 27 bolsões d'água em vias e 14 quedas de árvore. Uma árvore caiu na Estrada da Pedra Bonita, no Alto da Boa Vista.

Um deslizamento na Estrada da Gávea Pequena deixou a pista interditada. As sirenes do sistema Alerta Rio foram acionadas em 17 comunidades, sendo desligadas às 7h10 de hoje. Os locais que passaram por risco foram a Rocinha, Formiga, Sitio Pai João, Guararapes, Salgueiro, Sumaré, Borel, Santa Marta, Ladeira dos Tabajaras, Cabritos, Escondidinho, Prazeres, Vila Elza, Babilônia, Chapéu Mangueira, Cantagalo e Pavão-Pavãozinho.

A Marinha prorrogou o aviso de ressaca para o litoral do Rio até as 21h de hoje. O alerta é para a ocorrência de ondas de até três de altura.

Prefeitura atua para reduzir impacto da chuva

A Prefeitura do Rio trabalha para reduzir o impacto da forte chuva que atingiu a cidade desde a noite de segunda-feira (21) até a madrugada desta quarta (23). Equipes de diferentes órgãos atuam nas ruas sem interrupção. Choveu mais no período do que o esperado para todo o mês. A média histórica da cidade para setembro é de 72,5 mm. Das 18h de segunda às 6h desta quarta, o volume de chuva 57% maior, de 114,3 mm.

Às 8h, a cidade recuou do estágio de atenção (terceiro numa escala de cinco) para o de mobilização. O estágio de atenção vigorava desde 8:15 de terça. Também na manhã desta quarta, às 7h10, a Defesa Civil desligou as sirenes que soaram desde 8h10 de terça em 17 comunidades com alto risco de deslizamento. As sirenes são acionadas sempre que são atingidos os índices pluviométricos necessários para desocupação preventiva.

Com o solo ainda encharcado em diversas encostas, no entanto, a recomendação para a população é que se mantenha alerta. O telefone da Defesa Civil para solicitação de vistorias é o 199.

Confira mais informações dos órgãos municipais:

CENTRO DE OPERAÇÕES RIO (COR)

De acordo com o Alerta Rio, as estações pluviométricas que registraram maior volume de chuva foram a do Alto da Boa Vista (média histórica para setembro de 148,3mm, com acúmulo nas últimas 24 horas de 201,2 mm) e da Grota Funda, onde a média histórica é de 107,3 mm e choveu, nas últimas 24 horas, 142 mm.

Os maiores acumulados pluviométricos, das 18h de segunda-feira (21/09) até 8h30 desta quarta (23/09), são os seguintes:

Em 15 minutos:

-Recreio dos Bandeirantes - 16,2 mm (22/09 às 10h30)

- Grota Funda - 13,6 mm (22/09 às 10h15)

- Av. Brasil / Mendanha - 10,8 mm (21/09 às 22h)

- Barra/Barrinha - 10,8 mm (22/09 às 10h30)

- Alto da Boa Vista - 10,8 mm (22/09 às 11h15)

Em uma hora:

- Recreio dos Bandeirantes - 46,2 mm (22/09 às 10h45)

- Grota Funda - 43,8 mm (22/09 às 10h45)

- Alto da Boa Vista - 34,4 mm (22/09 às 12h).

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informa que NÃO HÁ MAIS PREVISÃO DE CHUVA FORTE. Ainda existem ocorrências relacionadas à chuva, como alagamentos em Jardim Maravilha, em Campo Grande, e na Estrada do Rio Morto, em Vargem Grande; queda de árvore na Estrada da Pedra Bonita e deslizamento na Estrada da Gávea Pequena. Para esta quarta-feira, segundo o Alerta Rio, há previsão de chuva fraca, podendo ser moderada apenas no período da manhã.

Para ter informações sobre todas as ocorrências e o balanço completo do COR, acesse o link: http://cor.rio/noticias/?id=9888.

DEFESA CIVIL

A Defesa Civil municipal registrou, desde as 21h de segunda (21/09), 107 chamados pelo canal 199. As principais ocorrências foram por ameaça/desabamento de estrutura (41), imóveis com rachadura e infiltração (32) e por ameaça/deslizamento de encosta (23).

Foram feitas 13 interdições pelo órgão: 11 na região do Alto da Boa Vista, uma no Rio Comprido (área central) e uma na comunidade do Faz Quem Quer, em Rocha Miranda (Zona Norte). Técnicos do órgão continuam de prontidão e em atendimento aos chamados em diversos pontos da cidade.

Os bairros mais atendidos são Tijuca, Campo Grande, Itanhangá, Vidigal, Alto da Boa Vista, São Cristóvão, Santa Teresa, Bangu, Todos os Santos, Freguesia (Jacarepaguá), Guaratiba, Vargem Grande e Bangu.

Alertas sonoros - O sistema de alertas sonoros é baseado no monitoramento dos índices críticos de chuva por meteorologistas do Alerta Rio, lotados no COR, onde profissionais da Defesa Civil municipal atuam, de forma integrada, 24 horas/dia. O trabalho conta ainda com a participação de líderes e voluntários das comunidades, além de pontos de apoio previamente definidos, caso haja a necessidade de evacuar provisoriamente moradores. Integram o sistema, 83 pluviômetros, 165 sirenes e 194 pontos de apoio.

Informações via SMS - Qualquer pessoa pode receber alertas de chuva forte da Defesa Civil por meio de adesão voluntária. O cadastro é simples, rápido e gratuito: basta enviar mensagem de texto com o CEP de interesse para o número 40199.

COMLURB

A Comlurb está com equipes em prontidão desde a noite de segunda-feira (21/09), atuando nas ocorrências de bolsões de água e queda de árvores em consequência das chuvas na cidade do Rio. O contingente é de 1.038 garis nas áreas atingidas. As equipes atuaram, até 9h30 desta quarta (23/09), em 43 bolsões d`água em diferentes pontos da cidade. Desses serviços, 37 estão concluídos, e seis permaneciam em andamento. Foram limpas 606 caixas de ralos. A Companhia faz permanentemente a limpeza das caixas dos ralos de escoamento das águas pluviais e intensifica os serviços quando há previsão de chuvas fortes.

Houve 40 registros de quedas de árvores, 37 deles já com os serviços concluídos e três em andamento. Devido à ressaca no mar, na Praia do Leblon, garis removem o lixo que chega com a maré e a pouca quantidade de areia na ciclovia.

A Comlurb ressalta que é de grande importância a colaboração da população no descarte correto de seu lixo domiciliar nos períodos de chuvas. Pede que os moradores aguardem que diminua a precipitação das águas para dispor o lixo para o caminhão de coleta.

CONSERVAÇÃO

A Subsecretaria de Conservação está efetiva em todas as regiões da cidade. Os serviços para mitigar e sanar os alagamentos e eliminar os bolsões d'água vão continuar ao longo desta quarta. Todas as equipes dispõem de pás, retroescavadeiras, compressores e caminhões dos tipos basculante e conjugado, que auxiliam na drenagem da água.

Trabalhos finalizados nas seguintes vias:

Av. Borges de Medeiros - Alt. da Rua Batista da Costa - Lagoa - Sent. Gávea;

Av. Ayrton Senna Alt. Av. Isabel Domingues - Gardênia Azul;

Estrada da Pedra, Guaratiba;

R. do Catete Alt. R. Silveira Martins - Catete;

Rua Pacheco Leão Alt. R. Von Martius - Jardim Botânico;

Av. Epitácio Pessoa - Sent. Rebouças;

Av. Epitácio Pessoa Alt. R. Tabatinguera - Lagoa - Ambos os sentidos;

R. Gabriela Prado Ribeiro - Alt. Conde de Bonfim - Tijuca;

R. do Catete Alt. R. Pedro Américo - Catete;

Av. das Américas Alt. Dowtown - Barra da Tijuca - Sent. S. Conrado;

Av. Armando Lombardi Alt. R. Aldo Bonadei - Barra da Tijuca - Sent. S. Conrado;

Av. Armando Lombardi Alt. R. Pedro Lago - Barra da Tijuca

Av. Min. Ivan Lins Alt. Praça Euvaldo Lodi - Barra da Tijuca - Sent. S. Conrado;

Av. das Américas Alt. Barra Garden - Barra da Tijuca - Sent. S. Conrado;

Av. Armando Lombardi - Alt. Barra Point - Barra da Tijuca - Sent. Recreio;

Av. Ministro Ivan Lins - Alt. Hotel IBIS - Barra da Tijuca - Sent. São Conrado;

Estr. Eng. Fernando Mac Dowell Alt. Entrada Túnel Zuzu Angel - São onrado - Sent. Lagoa;

R. Prof. Saldanha Alt. R. Jardim Botânico - Jardim Botânico;

Estr. do Catonho 17 - Sent. Sulacap;

Rua Tonelero Alt. R. Tonelero - Copacabana;

Av. Brasil - Alt. do Cemitério do Caju - Caju - Sent. Centro;

Descida do Viaduto de Lucas - Parada de Lucas - Sent. Centro;

Av. Brasil - Alt. Viaduto Ataulfo Alves - Benfica - Sent. Centro;

Av. Niemeyer - Alt. n° 318 - São Conrado - Sent. Leblon;

Av. Ayrton Senna - Alt. do SESC - Barra da Tijuca - Sent. Linha Amarela;

Rua Vinícius de Moraes - Alt. da Av. Epitácio Pessoa - Lagoa;

Autoestrada Eng. Fernando Mac Dowell - Alt. da Rocinha - São Conrado - Sent. Barra;

Av. Brasil - Alt. do Canal do Cunha - Manguinhos - Ambos os sentidos.

Bolsões d'água e alagamentos em andamento:

- Jardim Maravilha, Guaratiba;

- Muzema, Rio das Pedras.

RIO-ÁGUAS

A Fundação Rio-Águas trabalha na operação dos reservatórios de controle de enchentes da Grande Tijuca. Os equipamentos operam normalmente, liberando os volumes reservados, conforme a capacidade da rede de drenagem local. O desvio do Rio Joana também está em funcionamento, desaguando as águas excedentes que chegam ao Rio Joana diretamente na Baía de Guanabara. Na Zona Sul, a Rio-Águas faz a operação das comportas da Lagoa Rodrigo de Freitas. Todas as comportas seguem abertas desde o início das chuvas, na noite de segunda, 21/09. Duas escavadeiras hidráulicas trabalharam no desassoreamento do Canal do Jardim de Alah, nesta quarta.

Os trabalhos de manutenção em canais e rios da cidade são constantes. Em agosto e setembro deste ano, os seguintes rios receberam serviços de limpeza: Rio Cação Vermelho, em Santa Cruz; Rio Guarajuba, em Campo Grande; Rio da Prata Mendanha, em Campo Grande; Rio Guarajuba, em Santíssimo; afluente do Rio da Prata Mendanha, em Campo Grande; Rio Dom Carlos, no Caju; Rio Retiro Saudoso, no Caju; Rio Maracanã, na Tijuca; Rio Joana, em São Cristóvão; Rio Rainha, na Gávea; Rio Carioca, no Cosme Velho; Rio Marinho, em Realengo; Rio das Pedras, próximo à Avenida Brasil; Rio Itanhangá, no Itanhangá; Arroio Pavuna, em Curicica; Canal da Avenida Isabel Domingues, na Gardênia Azul; Rio Vargem Pequena, em Vargem Pequena; Rio da Barra, na Barra da Tijuca; Rio Amendoeira, no Itanhangá; Rio Covanca, no Tanque; Rio Cascalho, em Vargem Grande; e a foz do Canal Sernambetiba, com serviço contínuo de desassoreamento.

GUARDA MUNICIPAL

A Guarda Municipal do Rio de Janeiro atua com o plano de contingência para implantação de bloqueios viários e o monitoramento de 69 pontos para minimizar os transtornos causados pelas chuvas no trânsito.

Ao todo, 144 agentes, com apoio de 28 viaturas, trabalham nesta quarta-feira, 23/09, no controle do trânsito em todas as regiões da cidade para orientar motoristas e pedestres. As equipes atuam em pontos de alagamentos ou com risco de acidentes e deslizamentos em diversos bairros, implantando bloqueios e desvios viários nas ruas, estradas e avenidas mais atingidas. Entre os pontos cobertos estão vias principais do Jardim Botânico, Humaitá, Catete, Glória, Lagoa, na Zona Sul; Praça da Bandeira, São Cristóvão, Maracanã e Estrada Grajaú-Jacarepaguá, na Zona Norte; Avenida Burle Marx, em Guaratiba; vias do Itanhangá, Barrinha, Anil, Muzema e Barra da Tijuca, na Zona Oeste.

A execução de bloqueios viários acontece sempre que o Rio entra em Estágio de Atenção. As ações são integradas com a CET-Rio, o Centro de Operações e em apoio à Defesa Civil do município e aos demais órgãos da Prefeitura do Rio.

CET-RIO

A CET-Rio interditou nesta quarta a Estrada Alceu de Carvalho, em Vargem Grande, por conta de transbordamento do Rio Morto. A companhia atua também na Estrada das Canoas e na Estrada da Gávea Pequena, devido a queda de árvores. Outra equipe dá apoio à Comlurb na Rua Jardim Botânico para retirada de troncos. Operadores também estão na Estrada Fernando Mac Dowell e no túnel Zuzu Angel, devido a resquícios da chuva. A CET-Rio segue monitorando as principais vias da cidade, como Avenida Brasil, Linha Vermelha, Estrada Grajaú Jacarepaguá, Avenida Airton Senna, Estrada dos Bandeirantes e Avenida Radial Oeste, entre outras.

Esquema causou um prejuízo de mais de R$ 6 milhões aos cofres públicos - Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado de Polícia Civil, por meio da Delegacia de Capturas (DC-Polinter) e da Delegacia do Consumidor (Decon), realiza, nesta quarta-feira (23), uma operação para cumprir 21 mandados de prisão e 30 de busca e apreensão contra uma organização criminosa que realizava fraudes em cartões de bilhete único. O esquema causou um prejuízo de mais de R$ 6 milhões aos cofres públicos. Até o momento seis pessoas foram presas.

De acordo com os agentes, a investigação durou pouco mais de um ano e desbaratou uma quadrilha que inseria créditos fraudulentos nos cartões de transportes. Eles eram usados nas roletas de diversas estações de trem, causando um grande prejuízo ao Estado, já que as passagens são subsidiadas pelo Poder Público, por meio dos impostos dos contribuintes.

A apuração levantou que os criminosos atuavam em diversas estações de trem do estado do Rio de Janeiro, causando um prejuízo mensal de mais de R$ 500 mil, totalizando mais de R$ 6 milhões somente durante a investigação. Eles responderão na Justiça pelos crimes de organização criminosa e estelionato.

Mais Artigos...

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.