09
Qui, Jul

Alunos do Colégio Pedro II produzem máscaras e doam para posto de saúde do Barreto

Equipamentos de proteção foram desenvolvidos em uma impressora 3D - Foto: Divulgação

Niterói
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Vencedores no ano passado do projeto Desafio Cria Brasil, os alunos do Colégio Pedro II de Niterói, Kim Kakeya e Mauro Moledo produziram na impressora 3D (ganha como premiação) 50 máscaras de acetato para serem usadas pelos profissionais que trabalham no Posto de Saúde João Vizella, no bairro do Barreto, Zona Norte de Niterói, mesmo local onde funciona a unidade do tradicional colégio federal na cidade. A entrega das máscaras aconteceu no início da tarde desta segunda-feira, no laboratório de robótica do Pedro II, na presença dos dois alunos, da diretora do colégio Monica Coimbra, do professor de robótica, Marcio Medina e das duas diretoras da unidade de saúde, Denise de Carvalho Amorim e Paola Valadares Console.

No Desafio Cria Brasil, no ano passado, os alunos propuseram criar um sistema de apoio a pessoas com deficiência visual no sistema de transporte público. O projeto foi o vencedor e como prêmio, a unidade de educação ganhou uma impressora 3D, usada agora para proteger os médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e pessoal de apoio durante a pandemia. “Ganhamos o Desafio e nada mais justo do que beneficiarmos os profissionais que enfrentam diariamente o Covid-19 no bairro onde está localizada a nossa escola”, explica Kim Kakeya. O aluno Mauro Moledo lembra da dificuldade em conseguir a s folhas de acetato. “Com o comércio fechado, tivemos dificuldade em conseguir as folhas, mas com jeitinho e boa vontade, conseguimos achar um fornecedor”, conta ele.

Para a administradora da Policlínica João Vizzela, Denise Amorim, o material chega em boa hora. “Ficamos realmente emocionadas em receber essa doação das máscaras. Além de ser muito útil para nós, é encantador saber que foram produzidos por alunos de uma escola que funciona em nossa comunidade”, afirma ela.

Diretora do Pedro II de Niterói, Monica Coimbra lembra que a escola tem como papel fundamental a educação de seus alunos e também a formação de seu caráter e de seu papel dentro da comunidade. “É um duplo orgulho. Ganhar o prêmio que é um desafio nacional e ter a sensibilidade de atender a comunidade na qual estamos inseridos e envolvidos”. Marcio Medina, professor titular da cadeira de robótica do Pedro II faz coro com a diretora. “O propósito desse projeto é inspirar outros jovens com acesso a esse tipo de equipamento a fazer o mesmo, na medida do possível, para a sua comunidade”, conclui.

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.