Prefeitura de Niterói faz primeiro depósito para empresas inscritas no programa Empresa Cidadã

Projeto vai preservar mais de 8.200 postos de trabalho em micro e pequenas empresas da cidade - Foto: Divulgação

Niterói
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

 A Prefeitura de Niterói realizou nesta terça-feira (05) o primeiro depósito para as mais de 2 mil empresas inscritas no Programa Empresa Cidadã. O projeto prevê o pagamento de um salário mínimo, nos meses de maio, junho e julho, para até nove empregados de empresas, entidades religiosas e organizações sindicais com alvará na cidade, e que tenham até 19 funcionários. Como contrapartida, as empresas se comprometem a não reduzir seu número de funcionários até outubro.

A secretária municipal de Fazenda, Giovanna Victer, destacou que o programa vai preservar mais de 8.200 postos de trabalho em pequenas e médias empresas da cidade.  

“Estamos enfrentando algo muito grande, que provavelmente a nossa geração ainda não teve que enfrentar. Mas, com coragem, estamos tomando as medidas necessárias para que você fique em casa, proteja as pessoas que você ama e todos aqueles ao nosso redor. O Empresa Cidadã é um programa para apoiar a economia, garantir a manutenção de milhares de empregos e, assim, salvar vidas”.

Entre as empresas cadastradas no Programa Empresa Cidadã estão restaurantes, lanchonetes, livrarias, papelarias, salões de beleza, comércio varejista em geral, empresas de turismo, de serviços de manutenção e consultórios odontológicos, entre outras atividades.

O chef Alexandre Henriques, sócio do restaurante Gruta de Santo Antônio, localizado na Ponta D’Areia, ressaltou que o programa traz segurança aos empresários de Niterói.  

“Estou presenciando algo inédito, nunca pensei que, nesse momento de crise, o poder público nos ajudaria com nove salários mínimos para ajudar na folha de pagamento da nossa empresa”, afirmou.

Paula da Matta, da Beira-Mar Decoração, relatou a importância para quem, como ela, possui uma equipe de trabalho enxuta, já que assim conseguirá manter todos os postos de trabalho.

“Foi a salvação para nós. Nossa intenção sempre foi manter todos os nossos postos de trabalho e o programa fez todo sentido para nossa empresa. Foi algo muito bem pensado e bem amarrado, todos os prazos foram cumpridos com perfeição e estamos muito felizes, pois foi muito importante para o setor comercial da cidade”.

O empresário Marinho Marcelino Neiva Filho, proprietário da Central Sat Telecomunicações, no Centro, lembrou que o programa também tem um caráter social importante.

“O Empresa Cidadã, além de apoiar o empresariado de Niterói, preserva empregos em um momento de dificuldade para todos. Foi uma grande colaboração para o setor de comércio e serviços da cidade. Já falei hoje com vários empresários que ficaram muito felizes com essa iniciativa”.

A praticidade, facilidade e rapidez para as inscrições no programa foram elogiadas por Helena Falcão, dona da Gráfica e Papelaria Falcão, sediada no Centro.

“Foi um projeto muito bem pensado, muito organizado. Fizemos a adesão de forma rápida, prática e em pouco tempo a primeira parcela já foi depositada. O programa tem um alcance enorme, vai auxiliar milhares de empresários e manter muitos empregos na cidade. É gratificante ver que a Prefeitura de Niterói aproveitou a boa gestão fiscal ao longo dos anos para sair na frente, com um projeto necessário para a sociedade nesse momento de crise provocada pelo novo coronavírus”.

Maurício Ferreira, proprietário da lanchonete Transasuco, em Icaraí, comentou que o comércio de todo o país já vivia um momento difícil pelo cenário de crise econômica antes mesmo da pandemia.

“A iniciativa é fundamental para pequenas empresas da cidade, que já vinham enfrentando um momento complicado. Vai ajudar a garantir a saúde financeira dos negócios nesses próximos três meses. Tomara que surjam outras iniciativas das demais esferas de governo para apoiar o setor empresarial em um período que deve ser bem difícil para todos”, afirmou.