04
Ter, Ago

Projeto vai oferecer vagas para crianças de 2 e 3 anos em escolas particulares com subsídio do Município por meio do custeio de bolsas de estudo - Foto: Arquivo/Agência Brasil

A Prefeitura de Niterói lançou, na segunda-feira (3), o edital para credenciamento de instituições de ensino para o Programa Escola Parceira, criado pelo decreto (Nº 13.654/2020). O projeto vai oferecer vagas para crianças de 2 e 3 anos em escolas particulares com subsídio do Município por meio do custeio de bolsas de estudo nas modalidades de turno parcial ou integral. A iniciativa se insere nas propostas da Prefeitura que objetivam mitigar os efeitos econômicos e educacionais ocasionados pela pandemia do coronavírus. As aulas estão suspensas pelo menos até 31 de agosto devido ao coronavírus. Ainda não há previsão de retorno das atividades presenciais nas escolas e creches.

“Nós vamos dar esse apoio para pequenas e médias empresas do setor de ensino da área de educação infantil não obrigatória da cidade porque elas foram as que tiveram maior dificuldade com a suspensão das aulas presenciais devido à pandemia. Assim, poderemos ampliar a oferta de vagas e contribuir para a redução do desemprego no setor de educação”, afirmou o prefeito Rodrigo Neves, em vídeo ao vivo nas redes sociais da Prefeitura, na noite desta segunda-feira (3).

Para pleitear uma vaga, a criança deverá já ter realizado sua inscrição na lista de espera de vagas da rede municipal de educação para o ano de 2020. Serão duas modalidades: tempo parcial, com mínimo de quatro horas diárias, ou tempo integral, com no mínimo sete horas por dia. As vagas destinam-se apenas aos moradores de Niterói, que deverão apresentar os comprovantes exigidos. Não poderão concorrer as crianças já matriculadas na rede municipal de ensino ou em creches conveniadas.

A Fundação Municipal de Educação, junto à Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia, irá credenciar escolas particulares de diversas localidades do município. As escolas credenciadas não poderão fazer nenhum tipo de cobrança à família, seja de material, uniforme ou de qualquer outro tipo.

O atendimento educacional às famílias beneficiadas será custeado totalmente pelo Município, por meio da remuneração contratada, de acordo com o Projeto Pedagógico, o Regimento Interno e o calendário letivo definido pela Instituição Privada de Ensino, que assegurem o cumprimento da legislação em vigor.

A FME pagará às escolas credenciadas, mensalmente, o valor correspondente ao quantitativo de crianças matriculadas, segundo a modalidade de período (parcial ou integral) e o valor acordado, conforme a proposta de preços, mediante encaminhamento mensal de relatório para a Fundação. O pagamento dos seis primeiros meses referentes às vagas concedidas pelas instituições privadas de ensino que matricularem as crianças indicadas pela Secretaria de Educação será antecipado pelo poder público municipal. A partir do sétimo mês, o pagamento será realizado mensalmente de acordo com relatório de prestação de contas.

Os interessados deverão retirar o edital no site da Fundação Municipal de Educação (www.educaçãoniteroi.com.br) até o dia 25 de agosto, preencher o recibo de entrega e enviar para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. O mesmo endereço eletrônico pode ser utilizado para dúvidas ou esclarecimentos sobre o programa.

Município já tem mais de 8.300 recuperados da doença - Foto: Divulgação

Focado no combate a pandemia do novo coronavírus, o município de Niterói atingiu no boletim atualizado nesta segunda-feira (03) pela prefeitura 8.801 casos de Covid-19 confirmados em moradores da cidade. E nessa nova atualização o município contabilizou mais 1 caso fatal da doença em relação ao último boletim divulgado chegando a um total de 302 óbitos.  Na contagem de domingo (02) a prefeitura divulgou 301 óbitos na cidade.

Dos pacientes confirmados com a covid-19, 116 estão em isolamento domiciliar e sendo acompanhados pela Fundação Municipal de Saúde, 78 se encontram hospitalizados confirmados e 8.305 recuperados. Vale ressaltar que o município segue firme no isolamento social. Já está em prática na cidade um plano de retomada gradual a um novo normal. O município se encontra atualmente no estágio amarelo ll , com algumas atividades econômicas retomadas no município.

Rodrigo Neves ainda lembrou a população que os casos confirmados seguem aumentando por conta do programa de testagem massiva em moradores de Niterói através dos testes rápidos, que foram iniciados no dia primeiro de maio. Com isso o município já tem uma proporção de testes em relação a habitantes superior a cidades de países desenvolvidos com em média um teste para cada dez pessoas.  O prefeito ainda ressaltou que já foram realizados mais de 60 mil testes em moradores da cidade . Niterói é cidade que mais realiza testes no país.

Além disso, cravou que o município conseguiu  achatar a curva de contágio se tornando a cidade com a  menor taxa de letalidade do estado. A ocupação dos leitos está atualmente em 26%.

Objetivo é evitar concentração em Icaraí. Já no carnaval, Viradouro poderá desfilar em Niterói - Foto: Luciana Carneiro/Prefeitura de Niterói

O novo formato de réveillon em Niterói será definido em setembro. Diversos projetos estão sendo analisados, como a realização da festa em um espaço público ou privado sem acesso do público com transmissão virtual, celebrações em pontos espalhados da cidade e queima de fogos em pontos turísticos. De acordo com Paulo Novaes, presidente da Neltur, responsável pela organização da festa, a única certeza até o momento é de que mudanças no segundo maior réveillon do estado do Rio de Janeiro serão feitas. Em relação ao carnaval, a Neltur também estuda uma festa com as grandes escolas da cidade desfilando na Av. Amaral Peixoto caso o maior espetáculo da Terra for adiado na capital.

"Ainda não temos um modelo ideal para seguir, a única certeza que temos é que vai haver mudança. Todas as decisões serão tomadas em conjunto com o Gabinete de Crise criado pela prefeitura, para que tenhamos as melhores condições para a realização da festa. Pensamos em fazer fazer o réveillon em um espaço fechado sem acesso do público, somente com transmissão on-line, mesmo que seja numa área pública mas que o acesso seja restrito. Porém ainda precisamos pensar em como esse modelo seria adotado", disse Paulo Novaes.

Uma das preocupações da Neltur é que mesmo que optem por uma festa virtual, ocorra aglomeração nos locais de transmissão.

"Existe a preocupação de que mesmo com uma festa on-line as pessoas se desloquem para o local da transmissão. Ou seja, se a gente optar em fazer uma transmissão pela internet de algum show na Praia de Icaraí, as pessoas podem querer ir até a praia e formar uma aglomeração. Vamos aprofundar todas as ideias neste mês de agosto para setembro ter uma definição", afirmou.

Na virada de 2019 para 2020, a Neltur expandiu a celebração do réveillon para outros pontos da cidade. Uma das propostas estudadas para este novo modelo de réveillon, é manter essa dispersão da festa.

"Já estávamos estudando, antes da chegada da pandemia, uma ampliação desse projeto da festa do réveillon em outros pontos da cidade. Nossa ideia era incluir Piratininga, pois com a inauguração do túnel Charitas - Cafubá, criamos uma via expressa que facilita o acesso à Região Oceânica. Entendemos que os espaços são pequenos e que não existe a possibilidade de fazer uma grande festa como ocorre em Icaraí, então a tendência é que seja uma celebração pequena. É uma solução que ganha força", afirma o presidente da Neltur.

Em relação à queima de fogos, uma novidade está sendo estudada. "Pode ocorrer em vários locais da cidade, como pontos turísticos, por exemplo, mas também temos que discutir as condições cabíveis para a realização dessa ideia", declarou Novaes.

O presidente da Neltur reconhece que um dos setores que mais pode ser afetado com as mudanças do réveillon é o hoteleiro. Segundo levantamento da Neltur, nos últimos anos até os 15 primeiros dias de dezembro toda a rede hoteleira da cidade está ocupada, o que não deve acontecer em 2020.

"O setor hoteleiro depende do planejamento da cidade para que o público tenha interesse em vir para Niterói. Temos o Conselho Municipal de Turismo com diversos representantes da rede hoteleira e estamos disponíveis para ouvir propostas. Podemos realizar um fórum de discussão para apresentar a melhor opção para todos. Sabemos da importância do turista em Niterói', afirma.

Carnaval - O presidente da Neltur adiantou que caso haja um adiamento do carnaval do Rio, e que as condições epidemiológicas estejam estáveis, as três escolas de Niterói que desfilam na Marquês de Sapucaí, inclusive a grande campeã de 2020, a Unidos do Viradouro, possam participar de um carnaval na cidade.

"Uma mudança no carnaval da capital impacta também em Niterói. Se o Rio optar em adiar, podemos fazer um carnaval intermediário em Niterói com a participação dessas grandes escolas desfilando na Amaral Peixoto, relembrando o carnaval do passado. É uma questão a ser analisada", declarou Paulo Novaes.

 

Roubos de rua e roubos de veículo também seguem tendência de queda no município, que vem investindo em tecnologia e inteligência para apoiar as forças de segurança - Foto: Divulgação

Os dados parciais do mês de julho divulgados nesta segunda-feira (03) pelo Observatório de Segurança de Niterói mostram que, mesmo após a retomada gradual das atividades dentro do Plano de Transição Gradual Para um Novo Normal, o município segue registrando queda nos principais indicadores de criminalidade. Os índices, demonstraram uma redução recorde de 72% no indicador letalidade violenta, comparado ao mesmo período do ano passado. Outros índices que apresentaram quedas expressivas foram roubo de rua (68,61%) e roubo de veículos (58,63%).

 

“Os números do Observatório de Segurança apontam uma redução recorde na letalidade violenta em Niterói, com 90 óbitos a menos, em comparação com o mesmo período do ano passado”, afirma o prefeito Rodrigo Neves. “. Esse foi o melhor resultado da série histórica em quase 20 anos. É uma grande conquista. Mesmo após a retomada gradual das atividades, ainda nos mantivemos com os melhores resultados da Região Metropolitana. Isso confirma que Niterói está no caminho certo no combate à criminalidade. Todos os investimentos que estamos fazendo para ajudar as forças de segurança no combate à violência estão surtindo efeito. É um trabalho diário de prevenção, com apoio da inteligência”, destacou o prefeito.

 

A Prefeitura de Niterói investe cerca de R$ 250 milhões por ano em ferramentas que auxiliam as forças de segurança no combate a violência. Os dados antecipados pelo Observatório de Segurança demonstram que, desde a implantação do Pacto Niterói Contra a Violência, os indicadores de criminalidade seguem caindo na cidade. O Pacto é um plano um plano municipal de Segurança Pública que prevê investimento de R$ 304 milhões em 18 projetos nos eixos de prevenção, policiamento e Justiça, convivência e engajamento dos cidadãos e ação territorial integrada.

 

“Por mais um mês, Niterói mostra o resultado positivo de uma política de segurança pública integrada, que não deixa o combate à criminalidade apenas a cargo das forças policiais”, observou Gilson Chagas, secretário do Gabinete de Gestão Integrada da Prefeitura.

 

O secretário lembra que, nos últimos anos, Niterói investiu em inteligência, tecnologia e material humano.

 

“Niterói conta hoje com um sistema de cercamento eletrônico que usa inteligência com 70 câmeras espalhadas pela cidade. Elas identificam carros roubados ou furtados, acionando de imediato a força de segurança mais próxima para que seja feito o cerco. Tudo isso com auxílio de 600 câmeras de monitoramento do Centro Integrado de Segurança Pública que fazem a vigilância do município durante 24 horas”, ressaltou Chagas.

 

A Prefeitura também é responsável pelo custeio do programa Niterói Presente, um convênio entre a Prefeitura de Niterói e o Governo do Estado. Os agentes hoje atuam nos bairros do Barreto, Icaraí, Santa Rosa, Centro, Fonseca, Charitas, São Francisco e Jurujuba, com uma média de 488 agentes nas ruas.

 

“Independentemente da pandemia, estamos trabalhando para reduzir os números. Em Niterói acontece um fenômeno que não se vê em outros municípios, com uma queda expressiva nos indicadores. Não estamos vendo esse resultado em nenhuma outra área da Polícia Militar  e é uma prova que não descuidamos em nenhum momento e vamos continuar em frente. Não vamos recuar um só minuto”, declarou Sylvio Guerra, comandante do 12º Batalhão da Polícia Militar.  

 

Além disso, a Prefeitura de Niterói é responsável pelo pagamento do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) para policiais trabalharem em horário de folga e pagamento de Regime Adicional de Serviço (RAS) para guardas municipais, entre outras iniciativas. Na atual gestão, o número de guardas passou de cerca de 300 para mais de 700 agentes, todos concursados, e a meta da Prefeitura é chegar a mil guardas, que é o limite permitido por lei.

 

O cercamento eletrônico e as câmeras de Inteligência do Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) são aliados das forças policiais e responsável por ajuda na elucidação de diversos crimes da cidade além dos cercos e do cruzamento de dados que é feito com o monitoramento de guardas municipais.

 

Dados estatísticos por região - De acordo com os dados, casos de letalidade violenta tiveram redução significativa no acumulado de janeiro a julho, comparado ao mesmo período do ano passado. Na área das 76ª DP (Centro), a queda foi de 66,67%, na 79ª DP (Jurujuba), de 50%, a 78ª DP (Fonseca), teve redução de 78,57%, e na área da 81ª DP (Itaipu), a queda foi de 80,33% no acumulado do semestre.

 

No indicador roubo de veículos, o melhor resultado foi nas regiões de Icaraí, com queda de cerca de 82,82 % no acumulado de janeiro a julho, seguido por Jurujuba (-81,08%), Itaipu (-68,75%), Fonseca (-62,19%) e Centro (-51,47%) em comparação com o mesmo período do ano passado.

 

A 79ª DP (Jurujuba) registrou o maior percentual de queda nos índices de roubo de rua de janeiro a julho em comparação ao mesmo período do ano passado, com -76,84%. Na 76ª DP (Centro), a redução foi de 59,09%. A 77ª DP (Icaraí apresentou queda de 54,12%. A região da 78ª DP (Fonseca) teve uma redução de 47,83% e a 81ª DP (Itaipu) teve um índice de -44,73% nos roubos de rua de janeiro a julho.

Aplicativo já está sendo usado nas emergências da rede pública municipal - Foto: Divulgação

Uma nova ferramenta de auxílio às emergências cardiológicas chamada TeleCárdio está disponível para os profissionais de saúde na rede municipal. O aplicativo é uma plataforma de telemedicina que permite uma orientação diagnóstica e terapêutica aos plantonistas das unidades de emergência do município. O procedimento avalia de forma rápida as necessidades de pacientes com alterações no coração.

O TeleCárdio é uma ferramenta avançada de suporte que permite uma rápida comunicação à distância entre os plantonistas do hospital e os cardiologistas da central de telemedicina, possibilitando um auxílio na conduta médica e diagnóstico seguro e de alta precisão em tempo real.

O aplicativo funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, de maneira simples e objetiva. Após dar entrada em alguma unidade de emergência com suspeita de infarto, por exemplo, e passar por exames, como o eletrocardiograma, os dados do paciente são imediatamente inseridos no sistema para a central onde os especialistas fazem a avaliação. Em seguida, o médico cardiologista de plantão avalia e encaminha o laudo para o médico clínico da unidade em minutos.

A médica Izadora Bighetti Brito, 26 anos, é clínica geral na Unidade de Urgência Dr. Mário Monteiro, em Piratininga, e avalia que a plataforma tem auxiliado bastante no dia a dia de atendimento.

"A cardiologia é um tema bem complexo e você ter um auxílio rápido de especialistas é super importante para um atendimento mais eficiente e para a evolução positiva do paciente. O sistema é bem rápido, eficiente e prático de usar. Tanto nós profissionais de saúde ganhamos, como o próprio paciente que tem o diagnóstico mais rápido e mais completo", elogiou Izadora.

Ainda de acordo com a médica, a velocidade na resposta é um dos fatores que mais contribuem para a eficiência do dispositivo.

"Lembro de um plantão que o paciente chegou grave, com dor torácica bem típica de síndrome coronariana aguda. Fizemos os primeiros procedimentos e pedimos auxílio através do aplicativo. Em menos de um minuto o especialista já avaliou e indicou a conduta mais eficiente a ser seguida de acordo com o quadro. A agilidade salvou a vida de mais um paciente", destacou a médica.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, a ideia é melhorar as redes de atendimento ao paciente com doenças cardiológicas aumentando o acesso ao diagnóstico e ao tratamento por meio da integração das equipes pelo aplicativo.

"A urgência no atendimento desses casos é crucial para redução dos óbitos, das sequelas graves e incapacitantes, além do número de internação hospitalar, taxas de reinternação e outros fatores", explicou o secretário.

Capacitação - A Secretaria Municipal de Saúde de Niterói realizou três dias de capacitação para todos os profissionais que estão envolvidos com o projeto. A iniciativa também conta com treinamentos multidisciplinares periódicos desses profissionais.

 

O horário de atendimento do serviço é 9h às 18h - Foto: Divulgação

A Controladoria Geral do Município de Niterói passou a contar, na última semana, com mais um canal de contato com a sociedade. Através do WhatsApp (21 96992-7444), o cidadão poderá registrar sua manifestação de forma mais simples e direta. O acesso pode ser feito também através do link https://wa.me/message/ZBSVHOU7EOVEA1.

O horário de atendimento do serviço é 9h às 18h, de segunda à sexta-feira, exceto feriados. Para agilizar o atendimento, basta enviar o seu nome completo, endereço de e-mail e sua manifestação, que pode ser uma sugestão, elogio, solicitação, reclamação ou denúncia.

Além do WhatsApp, o cidadão niteroiense pode entrar em contato com a controladoria pelos seguintes canais: Sistema Fala.Br, disponível no link https://sistema.ouvidorias.gov.br/publico/RJ/Niteroi/Manifestacao/RegistrarManifestacao?fbclid=IwAR0IswuoO_cBfEcb9Ny2JD7mFZ4gfE1Fpd3A-dSCuqKy08OpftFsmtIcRLM, pelo telefone 21 2622-1045 ou de forma presencial na rua Visconde de Sepetiba, 935 - Edifício Tower 2000, 8º andar - sala 813, Centro, Niterói.

“A função de Ouvidoria contempla uma das 4 macrofunções de um Sistema de Controle Interno e possibilita o exercício do controle social, sendo um importante canal de escuta da sociedade. Dessa forma, estamos ampliando as possibilidades para que o cidadão possa fazer sua denúncia, reclamação e até mesmo elogios. Além do recente número de whatsapp disponibilizado, temos outros canais tais como o sistema fala.br, a ouvidoria física, por telefone e até mesmo por caixa postal. Esta é a prova que Niterói quer ouvir os usuários dos serviços públicos ofertados”, afirmou a controladora-geral do município, Cristiane Mara Rodrigues Marcelino.

Empreendimento irá aliar Mercado Municipal, Entreposto Pesqueiro e dragagem do Canal de São Lourenço e ajudar a retomada daquela região - Foto: Luciana Carneiro / Prefeitura de Niterói

As imediações do Canal de São Lourenço, na Região Portuária de Niterói, estão próximas de ter o visual completamente repaginado. Além de uma revitalização na paisagem, a localidade deve se tornar um gigante pólo econômico, com abertura de milhares de vagas de emprego.

Três grandes intervenções estão programadas para serem postas em prática ao longo dos próximos anos. São elas a reinauguração do Mercado Municipal, prevista para novembro; a implementação de um entreposto pesqueiro; e a dragagem do Canal de São Lourenço, cujo objetivo é desenvolver o setor naval naquela região.

Além dos empreendimentos citados anteriormente, naturalmente estão previstas obras de revitalização no entorno. Esforços que, somados, marcam a retomada de uma localidade que, por anos, ficou subutilizada. De acordo com o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Luiz Paulino Moreira Leite, serão gerados cerca de 23 mil empregos diretos.

"Nós temos três projetos que são grandiosos. Em termos de retomada da economia, mas também para a empregabilidade que vai gerar, que podem trazer para a cidade tranquilamente 20 mil empregos para a indústria naval e o Mercado que vai gerar em torno de 3 mil empregos", disse.

Ainda segundo o secretário, o investimento necessário para o andamento das obras é obtido por meio de alianças entre a Prefeitura e empresários, que são as tradicionais parcerias público-privadas (PPPs). Para ele, o incentivo do governo é fundamental para garantir a competitividade da cidade na economia.

"São parcerias público-privadas, o governo tem que gastar porque você, por exemplo, não vai montar uma empresa em Niterói sabendo que em Curitiba tem um incentivo para ela. O governo tem que ser o primeiro a dar o crédito porque se ele não investir o investidor não entra", explicou.

Mercado Municipal Feliciano Sodré

Dos três empreendimentos, o que está mais próximo de iniciar suas atividades é o Mercado Municipal Feliciano Sodré, previsto para novembro. No dia 11 agosto, a Prefeitura de Niterói e o Consórcio Novo Mercado farão o lançamento virtual do empreendimento, com o objetivo de atrair comerciantes e produtores interessados em se estabelecer no local.

Segundo Luiz Paulino, a expectativa é de que todas as 180 lojas estejam ocupadas já na inauguração. De acordo com o secretário, a demanda pelos espaços no Mercado Municipal deve superar a quantidade de vagas disponíveis nesta primeira fase de lançamento do empreendimento.

"Eu acho que, após o lançamento, o mercado estará todo vendido. Tem muita gente interessada e isso aí é uma coisa que será marcante nacionalmente. Todas as cidades importantes do mundo têm o seu mercado e o que vai se fazer ali será melhor. A princípio irá faltar espaço", afirmou Luiz Paulino.

O edifício da Avenida Feliciano Sodré, que abrigou, de 1930 a 1976, o Mercado Municipal da cidade e depois passou a ser o Depósito Público Estadual, está recebendo um trabalho meticuloso e feito com cuidado para manter todas as características da arquitetura neoclássica do lugar. O imóvel faz parte de um conjunto arquitetônico da região portuária de Niterói.

Com uma área de cerca de 9.700 metros quadrados, o local estava desativado há cerca de 30 anos. A Prefeitura de Niterói municipalizou o mercado e lançou a PPP (Parceria Público Privada) para a revitalização. A ideia é que o local se transforme em um dos principais espaços gastronômicos, de cultura, lazer e turismo do Estado do Rio de Janeiro.

Em uma segunda fase, serão construídas uma nova praça e um centro cultural e edifício garagem com 300 vagas. Todo o local contará com medidas de sustentabilidade, como o uso da luz natural, reaproveitamento de água de chuva e telhado verde.

A Prefeitura e o consórcio Novo Mercado, vencedor da licitação, firmaram uma PPP para a reforma e gestão do espaço por 25 anos. O investimento do consórcio será de R$ 69 milhões em três anos, sendo R$ 30 milhões na reforma do atual prédio.

Dragagem do Canal de São Lourenço

Luiz Paulino aponta para a importância da dragagem do Canal de São Lourenço, cujo objetivo é retomar o desenvolvimento do setor naval em Niterói. Segundo o secretário, o empreendimento irá propiciar que empresas especializadas em manutenção de embarcações se instalem na cidade.

"Sobre a dragagem, agora em outubro vamos fazer a concorrência desta obra. É uma concorrência internacional, que não é algo simples de se fazer. Tem suas condicionantes, suas licenças. Vamos trazer de volta barcos maiores para fazer reformas aqui em Niterói e toda aquela pujança no reparo e construção naval", disse.

Ainda de acordo com o secretário, o potencial de Niterói para a atividade é muito grande e não há outro lugar no Brasil tão preparado para a indústria naval. "O Brasil não tem uma área, uma região tão preparada para isso. O pólo naval brasileiro está em Niterói, inclusive a Esquadra Naval da Marinha está aqui", complementou.

Entreposto pesqueiro

Completando o pólo econômico também será implantado o Entreposto de Pesca na cidade. A Prefeitura está elaborando um plano para a captação de empresas interessadas em investir no empreendimento, que será aos moldes de grandes mercados como os existentes em Nova York, Paris, Portugal e Japão.

Luiz Paulino explica que a atividade pesqueira é muito forte em Niterói, sendo a segunda maior do Brasil, perdendo apenas para Itajaí, em Santa Catarina. O secretário afirma que a diferença entre os municípios é que lá são utilizados terminais privados e aqui será implementado um terminal público.

"Não é só descarregar o pescado. Nós vamos descascar, limpar, selecionar e colocar para vender aqui. Serão vendidos através de um leilão eletrônico. Nessa atividade hoje, Niterói é a segunda no Brasil, só perde para Itajaí, por pouca diferença. Só que lá são terminais privados e aqui faremos um terminal público", explicou.

No estado, Niterói é a líder com produção média anual de 31.400 toneladas, seguida por Angra dos Reis com 31 mil toneladas e Cabo Frio com 17.250. A região de mar aberto próximo a Niterói é considerada uma das melhores de todo o país, já que produz pescados nobres, como robalo.

"A gente trazendo esses barcos de volta [do Rio, mas que estão descarregando em Itajaí] Niterói volta a ser a primeira. Aqui vai ser o grande point da colocação desse produto não só para o Brasil, mas para o mundo todo. Esse porto vai ter SIF (Serviço de Inspeção Federal) e poderá exportar", ressaltou o secretário.

A planta foi elaborada para uma área de 6.548 m quadrados. O local terá prédio principal, para comercialização, fábrica de gelo, área para expedição e box para recepção de pescados junto ao cais, expedição rodoviária, área das docas, além de espaços para lojas, restaurantes e entretenimentos. O local fica na Avenida do Contorno, próximo à Ponte Rio-Niterói.

Empregos indiretos

Além dos cerca de 23 mil empregos diretos que serão proporcionados pelos três empreendimentos, Luiz Paulino ressaltou a possibilidade de inúmeros empregos indiretos que poderão surgir. Ele explica que empresas privadas deverão ter interesse em se instalar nos arredores do pólo econômico.

"É incalculável no momento, primeiro porque são três coisas inéditas. Imagina o que terão no entorno do mercado de depósitos de frutas, atacadistas, depósitos de flores. Imagina os carros de entrega, motoboys, movimenta uma economia. A dragagem irá trazer novas oficinas, novas fábricas. Com o entreposto terão que vão embalar camarão, filé", destacou o secretário.

Segundo Luiz Paulino, existem até mesmo empresários interessados em reativar o antigo Moinho Atlântico. "Já tem gente interessada em colocar o moinho para funcionar para fabricar farinha de trigo. Vai ser a farinha mais barata do Brasil, o navio encosta e já vai triturado", contou.

De acordo com o secretário, todos os três empreendimentos estarão concluídos até o final de 2021.

Com a nova forma de pagamento, o passageiro não precisa mais comprar ou recarregar um bilhete específico - Foto: Divulgação

Com o objetivo de aprimorar a experiência do usuário do transporte aquaviário do Rio de Janeiro, promovendo mais segurança e agilidade na hora de pagar a passagem do modal, a CCR Barcas e a Visa deram início ao projeto de pagamento por aproximação nas estações Arariboia e Praça XV, nesta segunda-feira (3).

Com a nova forma de pagamento, o passageiro não precisa mais comprar ou recarregar um bilhete específico. Basta ir a uma das roletas sinalizadas com o uso da nova tecnologia e aproximar cartões ou dispositivos eletrônicos móveis com a tecnologia NFC aos validadores. A novidade permite economia de tempo para o cliente e mais fluidez no embarque. A cobrança da tarifa será debitada diretamente na fatura do cartão, sem custo adicional ou taxas, ao final de cada dia de uso.

“Assim como as demais empresas do Grupo CCR, a CCR Barcas tem a segurança e o conforto dos usuários como valores essenciais. Com certeza, a implementação desse serviço vai transformar a experiência dos passageiros das barcas”, conta João Daniel Marques da Silva, diretor-presidente da CCR Barcas.

"Essa parceria com a CCR Barcas leva inovação para o carioca e para o turista, promovendo uma jornada de transporte completa e mais segura. Nossa atuação na cidade tem sido muito positiva e, com a expansão para outros modais, esperamos levar uma experiência mais fluida para os passageiros”, conta Marcelo Sarralha, diretor executivo de Soluções da Visa do Brasil.

O sistema conta com o Visa Secure Access Module (SAM), que permite a aceitação de qualquer cartão, celular ou dispositivo com a tecnologia de pagamento por aproximação, sem a necessidade de trocar sua atual infraestrutura de validadores das roletas.

Solução química é a mesma usada pela China e outros países da Europa para desinfecção das ruas  - Foto: Luciana Carneiro/Prefeitura de Niterói

A Prefeitura de Niterói inicia mais uma fase de sanitização nas ruas da cidade neste domingo (2). Equipes da Companhia de Limpeza Urbana de Niterói (Clin) estarão atuando no Centro com a utilização do sais quaternário de amônio de quinta geração. A solução química é a mesma usada pela China e outros países da Europa para desinfecção das ruas.

O quaternário de amônio de quinta geração age como uma película que mata os micro-organismos que estão no local (vírus, bactérias, fungos e ácaros) e forma uma camada protetora que mantém a superfície desinfetada por semanas, dependendo da circulação de pessoas.

Niterói foi a primeira cidade do Rio de Janeiro a fazer a sanitização de todos os bairros e das principais comunidades utilizando o quaternário de amônio de quinta geração. A ação está sendo reforçada pelo Município em pontos onde há maior circulação.   

 “A equipe da Clin continuará com o trabalho enquanto for preciso para manter as ruas de Niterói em boas condições de higiene. Seguimos com os caminhões e as equipes atuando em pontos que identificamos como estratégicos”, afirmou o presidente da Clin, Luiz Carlos Fróes Garcia.  

Também foram vistas muitas pessoas sem máscara caminhando pelo calçadão - Foto: O Fluminense

A manhã deste domingo (2) foi agitada nas praias de Niterói. Apesar da cidade possuir um decreto proibindo o uso das praias para o lazer, permitindo somente a prática de atividades físicas com horário pré-estabelecido, a praia de Icaraí estava cheia de pessoas na areia, tomando sol e aproveitando o dia quente e ensolarado.

O local contou com pouca fiscalização, durante todo o percurso no calçadão, foram visto apenas quatro Guardas Municipais e seis Policiais Militares. Além disso, pessoas caminhavam sem máscara, descumprindo mais um dos decretos estabelecidos pela Prefeitura de Niterói.

Segundo informações, os agentes responsáveis pela fiscalização não estavam intervindo e nem multando as pessoas que descumpriam o decreto.

A Secretaria Municipal de Ordem Pública informou que a Guarda Municipal de Niterói segue fiscalizando as praias e as ruas da cidade com o objetivo de fazer cumprir os decretos municipais de prevenção sanitária e combate à Covid-19. Desde o dia 21 de maio, quando se tornou obrigatório o uso de máscaras na cidade, quem é flagrado sem o equipamento de proteção individual recebe multa no valor de R$ 180.

Diariamente os guardas realizam a fiscalização nas praias da cidade onde estão liberadas apenas atividades físicas individuais.

Sempre que a Guarda Municipal flagra pessoas fazendo o uso da praia para banho, orienta e explica que neste estágio amarelo nível 2 a permanência no local e o banho de mar ainda não estão liberados.

Curso será realizado no dia 19 de agosto, das 19h às 22h - Foto: Divulgação

Encerram nesta segunda-feira (3) as inscrições para o curso online sobre Raiva oferecido pelo Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura de Niterói (CCZ). A Raiva é uma doença infecciosa viral aguda que pode acometer mamíferos, inclusive o homem, e tem letalidade de aproximadamente 100%. A capacitação é gratuita e voltada para médicos veterinários e estudantes da área. As inscrições podem ser realizadas até segunda-feira (03) através do link: https://bit.ly/2P7hBWV
O curso, que será realizado no dia 19 de agosto, das 19h às 22h, e ministrado pelo professor Flavio Moutinho, é uma parceria da Secretaria Municipal de Saúde de Niterói com o Laboratório de Vigilância em Saúde da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal Fluminense (UFF).

“Há sempre a necessidade de atualizar os profissionais sobre essa doença, que às vezes ainda é identificada em animais silvestres. A intenção é que os médicos veterinários fiquem vigilantes em identificar as alterações dos animais como possíveis sintomas da doença”, afirmou Fabio Villas Boas, chefe do CCZ.   

Mais Artigos...

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.