04
Ter, Ago

Foto: Tomaz Ferreira / Divulgação

O Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) enviou ofício nesta segunda-feira (11/5) às empresas de ônibus e prefeituras dos 13 municípios de sua área de atuação reivindicando a adoção, em ampla escala, de testes para detecção do Covid-19 em motoristas, cobradores e despachantes. No documento, também exige a adoção, pelas empresas e autoridades municipais, da higienização dos coletivos, que são vetores potenciais da doença, e a aplicação de multas para os passageiros que não utilizarem máscara no interior dos ônibus.

As medidas, na avaliação da diretoria do Sintronac, são urgentes diante do aumento dos casos de infecção pelo coronavírus na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O sindicato tomou conhecimento de pelo menos quatro mortes de rodoviários em sua base, dois casos em recuperação e 17 sob suspeita. Os números, no entanto, podem ser maiores, uma vez que muitos rodoviários ficaram sem trabalhar em consequência da redução da circulação de ônibus municipais e intermunicipais; e as cidades, à exceção de Niterói, não estão fazendo testes em massa para detecção da virose.

Em 27 de abril, o Sintronac já havia exigido de prefeituras e empresas fornecimento de máscaras e álcool em gel para os rodoviários e uma intensa fiscalização para que não houvesse circulação de pessoas desprotegidas no interior dos ônibus. No entanto, até hoje passageiros insistem em embarcar e fazer suas viagens sem as máscaras.

“Não é possível que trabalhadores essenciais, como os rodoviários, ainda estejam sendo tratados dessa forma pela sociedade. Teremos que acionar o Ministério Público do Trabalho, o Estadual ou o Federal para que medidas óbvias tenham que ser adotadas para salvaguardar as vidas de milhares de trabalhadores? Teremos que parar totalmente o transporte por ônibus? Não é mais necessário dizer que estamos diante de um fenômeno, que já marcou uma geração e expôs todas as deficiências das saúdes pública e privada. O que mais falta para que empresas e autoridades públicas reconheçam isso?”, indaga o presidente do Sintronac, Rubens dos Santos Oliveira.

Profissionais convocados para enfrentamento à Covid-19 passam por treinamentos específicos no Huap - Divulgação

Os profissionais de saúde aprovados no Processo Seletivo Emergencial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) para o Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap) começaram, nesta segunda-feira (11), a receber os primeiros treinamentos no contexto de Covid-19. Até o momento, são 111 convocados temporariamente para atuação no enfrentamento à doença, sendo: 55 técnicos em enfermagem; 20 enfermeiros; 20 fisioterapeutas; e 16 médicos.

Na última semana, os profissionais estiveram no hospital para apresentação de documentos e exames admissionais. Aqueles que passaram por esta primeira etapa sem nenhum impedimento, foram convocados a assinarem o contrato e iniciarem os treinamentos de imediato. Estes são da ordem do processo de iniciar com a paramentação e finalizar com a desparamentação, realizados por médicos designados para dar apoio ao Serviço de Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho (SOST) do Huap.

Além dos treinamentos gerais, as equipes de enfermeiros e técnicos de enfermagem também irão passar por outros de manejo de materiais contaminados e preparação do corpo pós morte por coronavírus. Após esta fase, os profissionais recém-chegados já podem atuar no enfrentamento à Covid-19. Segundo o médico da Divisão de Gestão do Cuidado do Huap, Bruno Barcellos, o grupo de convocados que está chegando é muito heterogêneo, e, por isso, é preciso uniformizar o treinamento dos profissionais, a fim de protegê-los no ambiente de trabalho.

"Eles estão chegando a um hospital novo, em que não conhecem e não sabem como funcionam os fluxos, em termos físicos e operacionais, além de ser uma doença ainda pouco conhecida. Para dar maior segurança e garantir que eles não vão adoecer, é uma obrigação nossa de treinar todas estas pessoas para que elas saibam pelo menos usar os equipamentos de proteção individual. A maior parte da contaminação de coronavírus não acontece durante a manipulação do paciente, mas durante a desaparamentação, ou seja, retirar estes equipamentos", conta.

 

São cinco locais de entrega, divididos de forma organizada pelas regiões da cidade para evitar aglomeração - Foto: Luciana Carneiro/Prefeitura de Niterói

Durante esta semana, entre segunda (11) e sexta (15), a Prefeitura de Niterói vai distribuir os cartões para familiares dos alunos da rede municipal de educação pelo Programa Renda Básica Temporária. Serão cinco locais de entrega, divididos de forma organizada pelas regiões da cidade para evitar aglomeração. O auxílio, no valor de R$ 500 por mês, será pago em maio, junho e julho. A medida beneficiará mais de 11.500 famílias.

O secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão, Axel Grael, informou que essa etapa são para as famílias de alunos da rede municipal que não estão inscritas no CadÚnico. 

“Para enfrentar essa situação, a Prefeitura de Niterói estruturou um plano de apoio financeiro e transferência de renda, o Programa Renda Básica Temporária, para que as pessoas possam ficar em casa e tenham, pelo menos, o essencial como alimentação e medicamentos. Teve também o Busca Ativa que abrangeu outras categorias como catadores de recicláveis, vendedores ambulantes, trabalhadores da economia solidária e artesãos, além de auxílio aos microempreendedores individuais. Além disso, também organizou uma forma das empresas poderem se manter mesmo fechadas com os programas Empresa Cidadã, que vai reabrir inscrições para quem perdeu o prazo, e o Fundo Niterói Supera”, explicou o secretário Axel. 

A Secretária de Educação de Niterói, Flávia Monteiro, explica como vai funcionar a entrega dos cartões. 

“Em um primeiro momento, após a suspensão das aulas, entregamos cestas básicas para todas as famílias e agora vamos contemplar os responsáveis pelos alunos que não integram o cadastro único. A entrega será feita de forma organizada e sem aglomeração, em cinco pontos da cidade - Horto do Fonseca; Horto do Barreto; Caminho Niemeyer, no Centro; Escola Municipal Levi Carneiro, no Sapê, e Escola Municipal Francisco Portugal Neves, em Piratininga, seguindo a primeira letra do nome do responsável. Verifiquem a data, local e horário antes de saírem de casa. A busca pode ser feita pelo site (www.niteroi.rj.gov.br/rendabasica) ou pelo sms enviando o CPF para 28047”, explicou Flávia.

Alô Idoso pretende levar conforto para população que está no grupo de risco do coronavírus - Foto: Arquivo/ Agência Brasil

A Secretaria do Idoso de Niterói lançou esta semana o Alô Idoso, um canal de comunicação via WhatsApp. Através do número (21) 99657-4638, quem já chegou a chamada terceira idade, pode se cadastrar e ouvir palavras de conforto para passar com mais tranquilidade pelo período de isolamento social implementado pelo município para conter os avanços da covid-19.

São 96 mil idosos em Niterói, que correspondem a 18,8% da população, e que, se enquadram no chamado grupo de risco da doença. O secretário Michel Saad Neto explicou que, além das palavras de apoio, os usuários do serviço também receberão orientações para que sigam as determinações do poder público e permaneçam em casa durante esse período.

"Por Niterói ter uma grande população nessa faixa etária, temos muitos programas voltados para os idosos. E, durante este período, achamos fundamental darmos o nosso apoio através de palavras de conforto. Podemos levar essa mensagem de carinho para aquela pessoa que cumpre a quarentena em casa, sozinha, ou para quem que está rodeado da família, mas quer também ouvir uma palavra diferente e acalentadora”, explicou o secretário.

Desde terça-feira, quando o número foi lançado através de redes sociais, a Secretaria já cadastrou 30 idosos. Todos querendo conversar ou em busca de um ombro amigo neste momento de isolamento social provocado pela pandemia.

Os próprios funcionários da Secretaria e um psicólogo do Conselho do Idoso (Comddepi) estão realizando o cadastramento e farão parte do grupo que irá conversar com os idosos. Os cadastrados receberão ligações uma vez na semana. Os horários de atendimento serão definidos de acordo com a procura pelo serviço.

 

Lockdown será iniciado no município a partir desta segunda-feira (11) - Foto: Douglas Macedo / Prefeitura de Niterói

Forte no luta contra o novo coronavírus, o município de Niterói atingiu no boletim atualizado neste domingo (10) pela prefeitura 801 casos de Covid-19 confirmados em moradores da cidade. E nessa nova atualização o município contabilizou mais 1 caso fatal da doença chegando a um total de 41 óbitos.  Vale lembrar que no boletim estadual, o município já registra 43 óbitos.

Dos pacientes confirmados com a covid-19, 390 estão em isolamento domiciliar e sendo acompanhados pela Fundação Municipal de Saúde, 88 se encontram hospitalizados. Vale ressaltar que o município segue firme no isolamento social que foi prorrogado pelo executivo até o dia 15 de maio, quando será feita uma nova avaliação. Nesta segunda Niterói vai iniciar o lockdown para diminuir a circulação de pessoas na cidade até o próximo dia 15.

A prefeitura ainda lembrou a população que os casos confirmados devem aumentar ainda mais nos próximos dias por conta do programa de testagem massiva em moradores de Niterói através dos testes rápidos, que foram iniciados no dia primeiro de maio. Com isso o município terá uma proporção de testes em relação a habitantes superior a cidades de países desenvolvidos com em média um teste para cada dez pessoas.

Foi reforçado também pela prefeitura a importância da perseverança na quarentena pois segundo ela, Niterói já está vencendo a luta contra a doença.

Objetivo da ação é incentivar esses profissionais que estão cuidando dos pacientes infectados pela covid-19 - Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Organização Não Governamental Nova Esperança realizará uma live em homenagem aos enfermeiros no Dia da Enfermagem, nesta terça-feira (12), às 15h, no aplicativo Sound Club Live.

A apresentação principal da live será do DJ Walker Vasquez. O objetivo da ação é incentivar esses profissionais da saúde que deixaram suas famílias e estão cuidando dos pacientes infectados pela covid-19. 

A live será ouvida em todas as UPAs de Niterói e Hospitais públicos e cerca de 15.000 pessoas devem impactadas.

Profissionais dos transportes dão duro para garantir, com segurança, mobilidade para quem precisa - Foto: /Divulgação/CCR Barcas

A utilização dos transportes públicos faz parte da rotina de grande parte dos trabalhadores e em meio a pandemia, ações de segurança foram adotadas para proteger tanto os passageiros quanto os profissionais que se dispõem ao risco da contaminação. As empresas de ônibus estão realizando a desinfecção dos coletivos diariamente antes do início da operação e os motoristas e funcionários das garagens devem usar máscaras.

"É uma situação que nunca vivemos e por isso a adaptação é difícil. Estamos acostumados com aquele 'calor humano' com os passageiros, que muitas vezes, por conta da rotina, se tornam nossos amigos. Então é claro que sentimos falta daquele cumprimento diário, das conversas. Tem momentos que temos que deixar nosso lado humano prevalecer. Não está sendo fácil, tem dias que são melhores do que outros, mas tenho fé que isso vai passar', diz o motorista de ônibus, Robson Lira.

A CCR Barcas além de intensificar a limpeza e a higienização das embarcações e estações, também promove diálogos diários de segurança com os colaboradores, a fim de que as ações contra a propagação do vírus sejam frequentemente reforçadas. Os funcionários da concessionária seguem utilizando os EPIs adequados e aplicam constantemente nas embarcações e estações a substância um detergente desinfetante concentrado para limpeza e desinfecção de superfícies hospitalares e equipamentos médicos.

Para transportar da maneira mais segura estes profissionais que não podem aderir ao isolamento social, o MetrôRio também reforçou medidas preventivas de higienização nas estações e os cuidados com seus colaboradores. A concessionária adotou uma série de medidas para minimizar os riscos e garantir o bem estar do funcionário, como distribuição de 30 mil máscaras; instalação de dispensadores de álcool em gel e distribuição de frascos individuais; intensificação na higienização de todos os locais de trabalho e reforço no quadro de profissionais do posto médico. O operador de estação Cosme Henrique Costa da Silva, de 45 anos, trabalha no contato e apoio direto aos clientes, atuando na bilheteria, plataformas, nas máquinas de autoatendimento e também auxiliando pessoas com dificuldade de mobilidade a embarcar e desembarcar de composições e estações.

"Trabalho com atenção redobrada com foco na minha segurança, dos colegas, dos clientes e também pensando em minha família, adotando todas as medidas preventivas. Nosso trabalho é em prol da sociedade, porque sabemos que as pessoas precisam do metrô para se deslocar", conta o profissional.

A Supervia, responsável pelo funcionamento dos trens no Rio, além de ter reorganizado a rotinas dos colaboradores, visto que este é o único meio de transporte de trabalhadores das áreas essenciais entre a Baixada Fluminense e a capital do estado, distribuiu máscaras de pano reutilizáveis, distribuiu álcool em gel e material informativo sobre prevenção. Foram afastados de suas funções todos os colaboradores com mais de 60 anos, o que representa 12% do efetivo de maquinistas e controladores.

 

Fiscais poderão multar pessoas e estabelecimentos que descumprirem o decreto publicado no Diário Oficial - Foto: Douglas Macedo/Prefeitura de Niterói

Começa nesta segunda-feira (11), a fiscalização das medidas de restrição em Niterói. As ações têm como objetivo reduzir a circulação de pessoas na cidade, exceto para atividades essenciais como idas ao mercado, farmácias, postos de gasolina e petshops. Os estabelecimentos também serão fiscalizados. 

Fiscalização intensificada nas áreas e vias públicas e nos estabelecimentos da cidade - Foto: Douglas Macedo/Prefeitura de Niterói

A partir dessa data, como aprovado pela Câmara de Vereadores, os fiscais poderão multar pessoas e estabelecimentos que descumprirem o decreto publicado no Diário Oficial do dia 9 de maio de 2020. Apenas estabelecimentos considerados essenciais - como supermercados e mercados, padarias (sem lanchonetes), postos de combustíveis (sem conveniência), farmácias e petshops - poderão abrir entre os dias 11 e 15 de maio. 

Confira o que pode e o que não pode a partir desta segunda-feira.  

Pessoas 

Fica proibida a permanência e o trânsito em vias, praias, equipamentos, locais e praças públicas (salvo em casos de deslocamento para trabalho ou estabelecimentos com autorização para funcionamento). As pessoas que insistirem na atividade, serão multadas em R$ 180 (que poderá ser dobrada em casos de reincidência). Caso a pessoa se negue em apresentar documentação, o decreto prevê que a pessoa seja levada à delegacia e autuada por crime de desobediência.

Estabelecimentos

As multas variam de R$ 649,64 a R$ 3.248,20 (em caso de reincidência), podendo o estabelecimento ser fechado. Dentre as regras estabelecidas, estão obrigatoriedade de ter um fiscal de desaglomeração para organizar filas do lado de dentro e de fora (não importa o alcance da fila e o número de pessoas que ela abranja), disponibilização de álcool 70% para clientes, marcação de filas com distanciamento de 1,5m entre as pessoas dentro e fora do estabelecimento (inclusive limitando o acesso do número de clientes), adotar medida para que haja proteção aos colaboradores que trabalhem nos caixas durante o contato com os clientes; manter ambientes bem limpos e ventilados; manter portas e janelas abertas; garantir a utilização de máscaras faciais por todos os colaboradores; e assegurar o ingresso no estabelecimento e atendimento apenas para clientes que estiverem utilizando máscaras faciais.

Profissionais de serviços que não podem parar colocam a vida em risco para que possamos ficar em casa - Foto: Douglas Macedo / Prefeitura de Niterói

Eles são essenciais e merecem todas as homenagens. Em meio à pandemia do coronavírus, milhares de trabalhadores, mesmo com o temor da contaminação, saem do conforto e da segurança de suas casas para seguir exercendo, sem pestanejar, os serviços que são considerados essenciais para a sociedade. Assim como os profissionais de saúde, chamados de heróis durante a pandemia, policiais, bombeiros, garis, entregadores, frentistas, motoristas de ônibus, funcionários de concessionárias, de supermercados e de farmácias, entre outras profissões, estão saindo às ruas para o bem-estar da população. É por causa do trabalho deles que não faltam comida, remédio, luz, água, ruas limpas, segurança e transporte público. Eles continuam trabalhando por todos e têm que redobrar os cuidados para não serem infectados e acabarem levando o vírus para casa, quando retornam de um dia de trabalho.

Responsáveis pela limpeza das vias públicas, os garis têm desenvolvido um trabalho ainda mais importante durante a pandemia. Trabalhando há 12 anos na Companhia de Limpeza de Niterói (Clin), Alcir Cabecinho, que atua na limpeza da orla da Zona Sul de Niterói, é muito conhecido pelos moradores da Praia de Icaraí. Sempre simpático, cumprimenta a todos que passam pelo calçadão e nesse período de pandemia está tomando todos os cuidados preventivos. Ele segue muito orgulhoso pelo seu trabalho, tão importante nesse momento de crise.

O gari Alcir Cabecinho, que atua na limpeza da orla da Zona Sul, não se descuida no trabalho, tão importante nesse momento de pandemia - Foto: Luciana Carneiro/Prefeitura de Niterói

"Temos que fazer o nosso papel. Estamos seguindo todas orientações e cuidados com os materiais de proteção. E sabemos que temos que continuar trabalhando para manter a cidade limpa. Vamos seguir em frente e vencer isso", acredita Alcir.

O país parou, mas eles seguem servindo à nação. Em função de manter a ordem e segurança, os policiais militares continuam com sua rotina de trabalho. Apesar das dificuldades no mercado internacional para aquisição de EPIs, o Comando da Polícia Militar conseguiu comprar insumos em quantidade suficiente para oferecer condições de segurança aos policiais e minimizar ao máximo os riscos de contaminação na tropa. A Corporação elaborou protocolos para orientar os PMs num cenário de crise sanitária sem precedentes. Entre as orientações, estão técnicas e procedimentos para higienização de viaturas, uso de máscaras e maior rigor com a segurança pessoal nas unidades de saúde.

Sargento Andrade, de máscara nas ruas, cuida da segurança da sociedade - Foto: Divulgação

"Somos preparados para o combate, mas atualmente estamos combatendo um inimigo invisível que pegou o mundo inteiro de surpresa. Estamos na linha de frente, não está sendo fácil, todo dia é uma luta. No dia a dia percebo que o reconhecimento do trabalho da Polícia Militar pela população tem sido muito positivo e um elogio nessa época é sempre bem vindo. Na última semana, recebi um depoimento de uma pessoa agradecendo pelo fato de estar equipado com os equipamentos de segurança, pois essa atitude transmite credibilidade para todos, já que muitos nos têm como referência. Isso é gratificante, uma vez que estamos na linha de frente dando exemplo, onde foco principal é a preservação da vida e o bem-estar da população", relatou o sargento Alexander Gomes de Andrade, lotado no 12° BPM (Niterói).

A Guarda Municipal de Niterói também segue trabalhando com empenho durante a pandemia. Todos os servidores estão seguindo as recomendações de prevenção e proteção individual da Fundação Municipal de Saúde. A guarda Luciene Antônia dos Santos, de 26 anos, recebeu os equipamentos, mas optou por fazer sua própria máscara, que, não à toa, é estampada com o rosto da personagem Mulher Maravilha.

"Nosso papel é fundamental na cidade, ainda mais nesse período pois, além das fiscalizações em locais específicos, também temos o papel de conscientizar a população a ficar em casa, usar máscaras, além de terem todos os cuidados para não propagar o vírus. Tenho muito orgulho de poder estar prestando um serviço para a população", diz Luciene.

Responsáveis por salvar vidas, o trabalho do Corpo de Bombeiros - profissão admirada por tantas pessoas - não pode parar, pois incêndios e acidentes continuam acontecendo. E a corporação não mede esforços para dar continuidade ao atendimento à população, sem descuidar da saúde de seus militares. Por isso, segue todas as medidas de enfrentamento à propagação do coronavírus e os procedimentos operacionais de segurança preconizados pelo Ministério da Saúde.

Incêndios e acidentes continuam ocorrendo e bombeiros não podem parar - Foto: Divulgação

"Estar na linha de frente nesta pandemia é acima de tudo amar o que se faz e pensar sempre no bem maior: a população. Neste momento, estamos saindo de nossas casas com o foco na ajuda ao próximo e com o compromisso de levar alento, na medida do possível, e segurança às pessoas. Diariamente, realizamos as conferências dos equipamentos e viaturas, assim como a desinfecção de todo o material, para que estejamos sempre prontos para atender a sociedade. Nosso trabalho não pode parar. É um orgulho pertencer a essa corporação e poder, junto com os meus companheiros de farda, desempenhar um trabalho tão bonito. Estamos cumprindo a nossa missão por todos vocês. E pedimos que, se puderem, fiquem em casa por nós", pede o tenente Maisner Almeida Faria de Paula, do quartel de Niterói (3° GBM).

Treinados para trabalhar em situações de risco, a Defesa Civil de Niterói segue atuando com o protocolo determinado pela Fundação Municipal de Saúde. Leticia Oliveira tem 26 anos e entrou no processo seletivo da Defesa Civil antes da pandemia. Ela é arquiteta, chegou a trabalhar na área administrativa do órgão e se preparou com cursos de riscos geológicos e estruturais oferecidos pela Defesa Civil. Hoje trabalha como agente na realização de vistorias.

Leticia Oliveira trabalha atenta nas ações promovidas pela Defesa Civil - Foto: Divulgação

"Mesmo diante da pandemia, a Defesa Civil de Niterói não deixou de realizar vistorias ou atender a chamados. Tudo está sendo feito com todos os cuidados preventivos para evitar a nossa contaminação e também da população. Além disso, explicamos os sintomas da doença e mostramos o que a prefeitura tem feito, a quem podem procurar caso os sintomas apareçam e de que forma devem agir", conta Letícia.

Responsável por abastecer mais de 510 mil clientes, a Águas de Niterói, vem tomando diversas medidas de prevenção contra o coronavírus para garantir a segurança dos seus colaboradores e familiares, mantendo a continuidade e a qualidade dos serviços de saneamento básico no município.

O coordenador de Operação de Esgoto da Águas de Niterói, André Malhano, segue todas as orientações da Saúde para continuar cuidando do saneamento - Foto: Divulgação

"Sei que a água é um dos principais recursos no combate ao coronavírus. Nosso serviço é essencial e não pode parar. Tenho permanecido na linha de frente junto com outros colegas de trabalho e seguimos todas as medidas de proteção necessárias. Nosso compromisso está sendo cumprido e estamos garantindo a continuidade dos serviços de saneamento na cidade", diz o coordenador de Operação de Esgoto da Águas de Niterói, André Malhano.

Para a segurança dos colaboradores internos, a empresa decidiu cancelar as viagens de trabalho, intensificando as reuniões por videoconferência e trabalho remoto. Foram disponibilizados máscaras e álcool em gel nas unidades, reforço na desinfecção de todos os setores da concessionária, inclusive do mobiliário, e informações regulares sobre medidas de prevenção em diversos pontos da empresa. Já para os funcionários externos, a orientação é usar constantemente o álcool em gel e máscara, reforçar a limpeza dos veículos compartilhados e manter distância segura de outros colaboradores e de clientes.

A Enel Distribuição Rio, concessionária de energia que atende municípios do estado, reforçou as medidas de higiene e proteção dos ambientes de trabalho e das equipes em campo que precisam seguir atuando presencialmente para prestar o serviço essencial de distribuição de energia aos clientes. Todas as equipes da companhia têm seu estado de saúde monitorado diariamente. Além disso, todos os profissionais que precisam estar em campo estão trabalhando com máscaras e receberam um kit de higiene. Os veículos a serviço da companhia também são desinfetados quando há troca de ocupantes.

O técnico em sistemas elétricos da Enel Rafael Muniz fica “ligado” no trabalho - Foto: Divulgação

"Trabalhamos em um setor vital para a sociedade, sabemos das nossas responsabilidades e que o trabalho não pode parar. Tivemos que ampliar o cuidado com nossa saúde na rotina de trabalho, procurando sempre seguir as recomendações de prevenção da empresa. Estamos preparados para seguir com o trabalho nesse período difícil. Estamos nas ruas pelos clientes e esperamos que fiquem em casa por nós", ressalta o técnico em sistemas elétricos da Enel, Rafael Muniz de Azevedo.

 

Poder público municipal vai fazer o pagamento de um salário mínimo, por três meses, para até nove empregados de empresas sediadas na cidade - Foto: Berg Silva/Prefeitura de Niterói

A Prefeitura de Niterói reabre nesta segunda-feira (11) as inscrições para o programa Empresa Cidadã. Pelo programa, o poder público municipal vai fazer o pagamento de um salário mínimo, por três meses, para até nove empregados de empresas, entidades religiosas e organizações sindicais com até 19 funcionários e alvará na cidade. Como contrapartida, as empresas se comprometem a não reduzir seu número de funcionários em até seis meses após a adesão ao programa.

O programa já cadastrou 2.200 empresas, protegendo mais de 8.200 postos de trabalho. A expectativa é garantir mais 1.800 empregos, totalizando 10 mil funcionários beneficiados.

Os interessados devem acessar o site da Secretaria Municipal de Fazenda, clicar no link Empresa Cidadã de Niterói e, em seguida, “solicitar adesão”. A partir daí, basta colocar todas as informações solicitadas, anexar os documentos exigidos (GFIP relativa a fevereiro de 2020; GRF relativa a fevereiro de 2020; contrato social da empresa; RG do administrador e CPF do administrador) e aceitar o termo de adesão. Os documentos serão conferidos e, caso tudo esteja correto, o solicitante receberá um e-mail com o protocolo de atendimento e a confirmação da solicitação.

Mel, da raça buldogue francês, está desaparecida desde o último dia 5 de maio - Foto: Divulgação

Uma cachorrinha chamada Mel, da raça buldogue francês, está desaparecida desde o último dia 5 de maio. A dona do animal, uma idosa de 65 anos, passou mal após o sumiço e precisou ser levada para o hospital, onde segue internada. 

O caso ocorreu na esquina da Rua Professor Cardoso de Menezes com a Rua das Andorinhas, no bairro Jardim Atlântico Central, em Itaipuaçu. No dia do desaparecimento, a idosa abriu o portão de casa para lavar a garagem e não percebeu quando sua cadelinha fugiu para a rua.

Imagens gravadas por câmeras de segurança no local mostram a cachorrinha vagando pelo meio da rua até que um Meriva passa por ela e para logo em seguida. O motorista desce e chama o animal, que se aproxima. Ele é apanhado e colocado no carro, que segue viagem.

“Acredito que alguém passou e pegou a Mel para ela não ser atropelada”, disse o filho da idosa, contando que a família está bastante abalada com o ocorrido e registrou o caso na polícia.

Mel tem um ano e pelagem branca, com uma mancha marrom no dorso, próximo à cauda, e outra no olho direito. Ela está passando por tratamento veterinário e faz uso de vacinas e remédios específicos. Os donos estão sofrendo muito, ainda mais neste período de isolamento social.

Quem souber do paradeiro do animalzinho pode entrar em contato pelos telefones 99982-7751, 99592 -3766, 98129-4614, 3732-8395 ou 3732-8396. 

Mais Artigos...

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.