04
Ter, Ago

Serviço entra na segunda etapa, levando higienização para vias secundárias e vielas - Foto: Luciana Carneiro/ Prefeitura de Niterói

Em pouco mais de um mês, desde 23 de março, mais de 28.009,67 km² foram percorridos entre bairros e comunidades de Niterói pela Companhia de Limpeza Urbana (Clin) e agentes de sanitização da empresa contratada para a aplicação da solução de quaternário de amônia de quinta geração para limpeza das comunidades e vias de Niterói. O processo entra agora em sua segunda etapa e vai seguir por vias secundárias e vielas da cidade.

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, ressalta que essa é uma das importantes medidas tomadas pela prefeitura no combate à expansão rápida do coronavírus.

“É importante ressaltar que essa ação já foi desenvolvida em países e cidades que enfrentaram, com sucesso, a epidemia do coronavírus. Com esta técnica, a um custo muito pequeno, realizados a desinfecção em ambientes externos, com durabilidade de três meses e, em ambientes internos, que ficam protegidos seis meses. Essa medida vai auxiliar para impedir a propagação rápida do vírus em Niterói”, disse o prefeito.

A secretária de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa, reforça a necessidade da continuação do trabalho, por causa da grande circulação de pessoas nesses locais.

“Já concluímos a sanitização das principais comunidades e todos os bairros de Niterói e agora estamos reforçando a sanitização nas 20 maiores aglomerações comunitárias da cidade. O reforço acontece por conta do grande fluxo de pessoas nestes locais. A sanitização é uma medida importante na prevenção da transmissão do novo coronavírus”, disse a secretária.

O produto age como uma película que mata os micro-organismos que estão no local (vírus, bactérias, fungos e ácaros) e forma uma camada protetora que mantém a superfície desinfetada por até seis meses, dependendo da circulação de pessoas. A solução química é a mesma usada pela China para desinfecção das ruas daquele País.

De acordo com o presidente da Clin, Luiz Carlos Fróes Garcia, o trabalho já foi feito em toda a cidade e agora começa uma nova fase.

“Seguimos com a sanitização por toda a cidade. Nessa segunda etapa, daremos continuidade pelas vias secundárias, já que iniciamos o processo pelas principais avenidas. Nossa equipe trabalha dia e noite e já chegamos a todos os bairros de Niterói, proporcionando um ambiente mais higienizado para toda a população. Seguiremos atuantes para vencermos essa guerra contra o coronavírus, disse Luiz Carlos.

 

Roteiro

O trabalho de sanitização já foi realizado nos seguintes bairros: Badu, Bairro de Fátima, Baldeador, Barreto, Camboinhas, Caramujo, Centro, Charitas, Cubango, Engenho do Mato, Engenhoca, Fonseca, Icaraí, Ingá, Itacoatiara, Jurujuba, Largo da Batalha, Maria Paula, Pé Pequeno, Piratininga, Ponta da Areia, Rio do Ouro, Santa Barbara, Santa Rosa, Santo Antônio, São Francisco, São Lourenço, Tenente Jardim, Várzea das Moças e Vital Brasil.

Também foram beneficiadas as seguintes comunidades: 30 de Outubro, Abacaxi, Africano, Alarico, Alberto Laurentino /Sape, Arroz, Bela Vista Atalaia, Bela Vista/Sape, Beltrão, Bernardino, Boa Esperança, Boa Vista, Bomfim, Bonsucesso, Brasiliana, Bumba Velho, Buraco da Bacia, Caniçal, Cantagalo, Capim Melado, Caranguejo, Cascarejo, Castro Alves, Cavalão, Chácara, Cocada, Coelho, Coreia, Coronel Leôncio, Coruja, Cravinho, Cruz, Cutia, Dionisio Mendes, Dona Inês, Dona Zinha, Erasmo Braga, Estevão, Eucalipto, Facciotti/Sape, Fatima, Fazendinha/Badu, Formiga, Galinha, Grota, Guaporé, Herdy, Holofote, Iara, Ignácio Bezerra de Menezes, Igreja de Jurujuba, Igrejinha, Jacaré, Jonathas Botelho, Juca Branco, Lara Vilela 94, Maceió, Marcia Valéria, Makenze, Mams, Marítimo, Maruí, Mato Grosso, MIC (Morro da Ilha da Conceição), Monan, Morro da Luz, Morro do Estado, Morro do Pires, Nova Brasília, Oliveira Lima, Palácio, Palmeiras, Papagaio, Pátio da Leopoldina, Penha, Poço Largo, Ponte Velha, Preventório, Rato Molhado/Sape, Recanto das Garças, Ribeiro de Almeida (Rua 28), Rua 1, Rua C, D e F, Rua do Rumo, Sabão, Salinas, Santo Cristo, São Luiz, Sem Terra, Serrão, Silvino Pinto, Sítio Ferro, Souza, Souza Soares, Terreirão, Trav. Alice e Odete, Travessa da Fonte, Trav. Oto, Travessa 600, União, Vila Ipiranga, Vital Brasil e Zulu.

Ao longo da curva da pandemia, o município espera testar um a cada 10 habitantes - Foto: Divulgação/Prefeitura de Niterói

Durante vídeo ao vivo nas redes sociais da Prefeitura neste domingo (3), Rodrigo Neves anunciou que, a partir de segunda-feira (4), terá início uma ação com a Defesa Civil, por meio dos voluntários cadastrados nos Nudecs, que irão auxiliar as equipes das unidades básicas de saúde para a triagem de pessoas nas comunidades com sintomas leves. O teste sorológico será feito a partir do oitavo dia dos sintomas identificados pela equipe de atenção básica, através do programa Médico de Família.

O plano da Prefeitura, de acordo com o prefeito, é seguir as experiências internacionais com a testagem rápida. Ao longo da curva da pandemia, o município espera testar um a cada 10 habitantes.

“A aplicação dos testes rápidos na população permite um melhor acompanhamento da evolução da covid-19. A intenção é conhecer o comportamento da doença e, dessa forma, estabelecer estratégias mais efetivas para qualificar o planejamento das ações em Niterói”, disse Rodrigo Neves.

Luciana e Maria atuavam na linha de frente contra a pandemia - Foto: Divulgação

A Reitoria da Universidade Federal Fluminense (UFF), informou o falecimento de duas funcionárias por coronavírus, nesta sexta-feira (1º). A técnica de enfermagem Luciana Roberto de Souza e a auxiliar de enfermagem Maria Ignez Marques Procópio atuavam no Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap), em Niterói. 

De acordo com a Universidade, Luciana Roberto trabalhava como técnica de enfermagem na UCO do Hospital Universitário Antonio Pedro e era muito amada e admirada pelos seus colegas de trabalho. Já a auxiliar de enfermagem Maria Ignez, de 72 anos, trabalhava há 40 anos na Universidade, e era querida pelos colegas de trabalho e pacientes.

"A comunidade do hospital Universitário Antônio Pedro manifesta profundo pesar pelo falecimento das suas  funcionárias por covid-19. Ambas serão lembradas por toda a comunidade do Huap pela dedicação e empenho com que exerceram suas atividades. Neste momento de dor, prestamos nossas condolências e solidariedade às famílias e aos amigos", destacou o Hospital através de nota de pesar. 

A reitoria da UFF também lamentou a perda das funcionárias. " Luciana Roberto era muito amada e admirada pelos seus colegas de trabalho. A Reitoria da UFF lamenta profundamente a perda e, neste momento de dor, transmite sentimentos de conforto e desejo de força aos familiares e amigos", ressaltou em nota de pesar, também lamentando a morte da auxiliar de enfermagem Maria Ignez, que já era aposentada e retornou às atividades para ajudar na linha de frente durante a pandemia.

"Maria Ignez tinha um imenso amor pela sua profissão e enfrentou heroicamente a pandemia sem perder a ternura, o comprometimento e o seu entusiasmo. Todo este empenho torna a sua missão no serviço público digna de profunda admiração por todos nós. Maria Ignez faleceu no dia 1º de maio, Dia do Trabalhador, e será lembrada sempre como uma pessoa que representa uma classe de trabalhadores que não se intimida frente às adversidades da vida e que se doa sem medir esforços". 

 

 

Prefeitura de Niterói pagará um salário mínimo, por três meses, para até nove empregados das empresas da cidade que tenham até 19 funcionários - Foto: Berg Silva/Prefeitura de Niterói

Nesta terça-feira (5), as empresas de Niterói que se inscreveram no programa Empresa Cidadã receberão o primeiro depósito. A Prefeitura de Niterói pagará um salário mínimo, nos meses de maio, junho e julho, para até nove empregados de empresas, entidades religiosas e organizações sindicais com alvará na cidade, e que tenham até 19 funcionários. Como contrapartida, as empresas se comprometem a não reduzir seu número de funcionários até outubro.

“Espera-se, com a medida, proteger 10 mil postos de trabalho. Essa é uma estratégia inovadora para ajudar pequenas e médias empresas a superarem esse momento difícil com a pandemia de Covid-19. Niterói é a única cidade do país com um programa desse tipo, para apoiar a atividade econômica”, enfatiza o prefeito Rodrigo Neves.

A secretária municipal de Fazenda, Giovanna Victer, destacou que entre as pequenas empresas já cadastradas, estão restaurantes, lanchonetes, livrarias, papelarias, salões de beleza, comércio varejista em geral, empresas de turismo, de serviços de manutenção e consultórios odontológicos, entre outras atividades. Giovanna falou também de outras medidas econômicas que foram adotadas pela Prefeitura.

“Nossa primeira medida foi o apoio aos MEIs, que receberão, por três meses, um auxílio de R$ 500. Implantamos também o Fundo Supera Niterói, no qual a Prefeitura de Niterói vai injetar R$ 150 milhões na economia da cidade por meio do Fundo de Crédito Emergencial de apoio às micros e pequenas empresas sediadas na cidade que terão direito a pegar empréstimos a juro zero em instituições financeiras credenciadas pelo município”, explica

De acordo com a secretária, os empréstimos poderão variar entre R$ 25 mil e R$ 250 mil, em uma linha de crédito de R$ 150 milhões.

“Com o Fundo Niterói Supera, a prefeitura pretende fortalecer e dar resiliência para as micro e pequenas empresas de Niterói. Pretendemos deixar as empresas vivas nesse período difícil em que muitas tiveram suas atividades prejudicadas devido ao isolamento social e pretendemos voltar, tão logo possível, às nossas atividades e o nosso crescimento”, afirmou Giovanna Victer.

Trabalho começa neste sábado (2) pelas vias dos bairros de Neves e Venda da Cruz, e contará com apoio da Clin, Águas de Niterói e Cedae - Foto: Divulgação / Prefeitura de Niterói

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, anunciou, na noite desta sexta-feira (1), em vídeo ao vivo nas redes sociais da Prefeitura, que a partir deste sábado (2), será iniciada uma ação de sanitização em ruas de bairros de São Gonçalo limítrofes com Niterói. Rodrigo Neves enfatizou que a medida será possível a partir de uma parceria firmada com a Cedae, Águas de Niterói, Companhia de Limpeza Urbana de Niterói (Clin) e a Prefeitura de São Gonçalo. O trabalho começará pelas ruas de Neves e Venda da Cruz.

“A Prefeitura de Niterói e a de Maricá já estão apoiando o município de São Gonçalo com a abertura de um hospital de campanha para o atendimento de casos da Covid-19. E, agora, Niterói, mais uma vez, numa atitude solidária com a cidade vizinha, iniciará a sanitização em bairros limítrofes”, enfatizou Rodrigo Neves. “A sanitização com quaternário de amônia de quinta geração foi uma ação que ajudou muito em Niterói nesses dias de combate ao coronavírus, mas é preciso que as pessoas cumpram o isolamento social, assim como vem sendo feito em Niterói”, reforçou.

Restrição – O prefeito lembrou também que nesta sexta-feira foi retomada a restrição de todas as atividades não essenciais na cidade e que a fiscalização será ainda mais firme para que todos fiquem em casa, preservando a própria saúde, de seus familiares e de todos os niteroienses. O isolamento social na cidade foi prorrogado até 15 de maio.

Medidas econômicas e sociais - A secretária municipal de Fazenda, Giovanna Victer, informou que 1.857 taxistas, permissionários, motoristas de van e auxiliares se inscreveram no Programa Taxista Amigo, para receber um auxílio de R$ 500 por três meses. Destes, 1011 receberam a primeira parcela no último dia 29. Em 309, foram registradas inconsistências de informações bancárias. Para estes, a Secretaria de Fazenda de Niterói (SMF) enviou um e-mail para que eles acessem novamente o sistema e façam a correção das informações para receber o depósito.  Em 507 contas, todas da Caixa Econômica Federal, houve um problema por incompatibilidade no sistema da instituição bancária. Técnicos da SMF estão em contato com o suporte da CEF para solucionar o problema e efetuar os depósitos na próxima semana.

As cerca de 2200 empresas que se cadastraram no programa Empresa Cidadã, em que a Prefeitura de Niterói vai arcar com um salário mínimo de até nove funcionários de micro e pequenas empresas da cidade, receberam nesta semana um depósito teste, de um centavo, para confirmar as informações bancárias para que os depósitos sejam feito sem erros no dia 5 de maio. Em alguns casos, foram registradas inconsistências bancárias. Os empresários receberam um aviso por e-mail para acessar novamente o site do programa e corrigir as informações.

Além disso, seguem abertas as inscrições para o programa Niterói Supera, que vai oferecer financiamento para capital de giro para profissionais liberais, pequenas e médias empresas sediadas no município. As inscrições seguem abertas no site da Secretaria de Fazenda de Niterói. Os empréstimos terão os juros pagos pela Prefeitura de Niterói, seis meses de carência e pagamento em até 36 vezes.

Os cartões do programa Renda Básica Temporária para famílias com crianças matriculadas na rede municipal de Educação e que não estão no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal serão entregues entre os dias 11 e 15 de maio. De acordo com o secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão, Axel Grael, cerca de 11 mil famílias serão beneficiadas nessa nova etapa do programa. O secretário informou ainda que outras duas categorias também serão beneficiadas pelo programa: os trabalhadores em bancas de jornal e motoristas de aplicativos residentes em Niterói.

“Estamos nos organizando para que os pagamentos sejam feitos até a segunda quinzena de maio”, explicou Axel. Cerca de 50 mil famílias já foram beneficiadas até o momento pelos programas sociais emergenciais da Prefeitura de Niterói.

 

Tiroteio aconteceu no Engenho do Mato - Foto: Divulgação/PMERJ

Um homem foi morto e outros dois foram baleados, durante confronto com a Polícia Militar, na noite de sábado (2), no Engenho do Mato, Região Oceânica de Niterói. Segundo a corporação, os três são suspeitos de tráfico de drogas.

Militares do 12º BPM (Niterói) faziam patrulhamento pra reprimir o tráfico quando viram o trio passando numa moto pela Rua 53. Foi dada ordem de parada, que não foi respeitada, e, segundo o batalhão, os suspeitos atiraram contra a viatura.

Os policiais revidaram e houve confronto, no qual nenhum policial ficou ferido, mas os três suspeitos foram baleados, sendo que um deles morreu no local. Os feridos foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, Zona Norte da cidade.

A Polícia Civil fez a perícia no local e o corpo do suspeito que não resistiu, que tinha 18 anos, foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), no bairro do Barreto. Com o trio, foram apreendidos uma pistola, 10 munições, binóculo, rádio transmissor, drogas a serem contabilizadas, além da moto, modelo Honda CG Fan.

O caso foi registrado pela Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói.

Prefeitura distribui equipamento gratuitamente - Foto: Divulgação/Prefeitura de Niterói

Desde a última terça-feira (28), a Prefeitura de Niterói está distribuindo, gratuitamente, máscaras de tecido no sistema drive thru na Região Oceânica. Em três dias, seis mil máscaras foram entregues para a população. No próximo sábado (2), a equipe estará no trevo de Piratininga para distribuir mais quatro mil equipamentos de proteção para os moradores da região, das 11h às 13h.

Rubens Branquinho, administrador regional da Região Oceânica, explica como a ação vem acontecendo durante a semana.

“Vamos montar uma base de apoio, sinalizada, onde os carros podem passar ao lado e as máscaras são entregues sem contato direto e sem a necessidade de o motorista sair do veículo. Neste sábado, vamos continuar a entregar no trevo para as pessoas que precisam sair de casa para ir aos mercados e farmácias”, disse Rubens.

Desde o dia 23 de abril, o uso de máscaras é obrigatório nos espaços públicos de Niterói. A prefeitura já distribuiu mais de 800 mil máscaras das um milhão que serão disponibilizadas gratuitamente para moradores da cidade. As máscaras são de tecido lavável e reaproveitável e estão sendo confeccionadas por pequenas empresas e médias empresas da cidade.

Por conta da disseminação do coronavírus, uma série de medidas tiveram que ser adotadas também na rotina dos condomínios

Por conta da disseminação do coronavírus, uma série de medidas tiveram que ser adotadas também na rotina dos condomínios, que precisaram reforçar a higienização nas áreas comuns e compartilhadas para evitar que o vírus se prolifere pelo local.

Com objetivo de conter aglomerações, especialistas orientam que todas as decisões sejam feitas por videoconferência, grupos de Whatsapp e avisos em áreas comuns do condomínio, evitando assembléias e reuniões presenciais. Desse jeito, é possível que se cumpra a recomendação de que os condôminos evitem ao máximo circular pelas dependências do local.

Como norma, ficou determinado que, até o fim do isolamento social, os condomínios devem suspender o funcionamento de todas as áreas de recreação como piscina, churrasqueira, salão de festas e sala de ginástica.

Os funcionários devem ser instruídos a lavar as mãos como indicam médicos infectologistas e sanitaristas e os prestadores de serviços gerais precisam ser instruídos a limpar com álcool 70° os corrimãos, maçanetas, botoeiras e painéis de elevadores, o balcão da portaria e todos os locais que moradores, colaboradores e entregadores tocam. Também é recomendado que o síndico disponibilize álcool gel na portaria e em outras áreas de maior circulação de pessoas. A sugestão é que as portas das áreas comuns sejam mantidas abertas para que o ar circule.

"É importante distribuir uma circular aos moradores lembrando que tais cuidados não são apenas para o coronavírus, mas servem também para reduzir a disseminação do vírus Influenza (gripe), sarampo, conjuntivite e outras viroses que podem ser evitadas com a higiene", orienta o Sindicato dos Condomínios Comerciais, Residenciais e Mistos de Niterói e São Gonçalo (SinCond). 

Obra é quase sempre um assunto polêmico nos condomínios. Durante a quarentena, todas as obras no interior dos prédios devem ser suspensas, com o objetivo de evitar o fluxo intenso de pessoas nas dependências comuns do local. Segundo o sindicato, o síndico tem a autoridade para suspender as autorizações para a realização de obras voluptuárias - ou seja, aquelas que não há necessidade de troca mas querem fazer por capricho - nas unidades autônomas da edificação, caso as mesmas sejam promovidas por terceiros contratados. Serviços de urgência, como reparos elétricos e hidráulicos devem ser mantidos e executados com o máximo de segurança, respeitando as recomendações do Ministério da Saúde. Em situações onde a obra ainda não foi iniciada e que não haja mais interesse em executá-la, é possível rompimento do contrato sem a culpa do contratante, em razão da pandemia.

"É importante ressaltar que a administração condominial não poderá impedir a realização de obras consideradas emergenciais, ou seja, aquelas que têm por objetivo sanar ou reparar defeitos ou irregularidades cujo perigo e necessidade sejam iminentes", salienta o sindicato.

Durante a pandemia, o condomínio pode proibir o acesso de prestadores de serviços nas áreas comuns e privativas em situações que não sejam de emergência.

Já lavanderias escapam das medidas de restrição em áreas comuns de condomínios. Orienta-se que a lavanderia continue funcionando em prédios onde os apartamentos não contém espaço para área de serviço. Nesses casos, a higienização e conscientização dos moradores deve ser ainda maior, evitando aglomeração.

O uso do elevador não deve ser paralisado, uma vez que é um meio de locomoção. A recomendação é que se crie regras de uso, como a limitação de pessoas e a constante higienização.

É importante destacar que o condomínio não pode proibir o acesso de visitantes, já que é um direito do condômino usar, fruir e dispor de seu unidade, na forma do art.1.355 do Código Civil. No entanto, as visitas violam a determinação de isolamento social. O sindicato recomenda bom senso.

Em caso de contaminação de algum morador, é dever do condômino infectado notificar a direção do condomínio sobre seu estado de saúde para que providências sejam tomadas junto à saúde pública. O síndico deve informar a todos os moradores sobre caso positivo da doença no local mas não é recomendado que identifique quem é o contaminado para que não ocorra uma exposição constrangedora.

Muitos condomínios já estão seguindo à risca as recomendações. Rodolfo Furtado Lima, de 54 anos, síndico de um prédio de Santa Rosa, Zona Sul de Niterói, garante que a conscientização está em dia no local. No prédio, que teve todas as áreas de lazer interditadas como recomendado, os condôminos estão seguindo as indicações impostas e nenhum precisou ser multado até o momento.

"Os moradores estão aderindo todas as recomendações. Achei que poderia ter algum tipo de problema com as novas normas, mas me surpreendi para o bem. Todos estão muito conscientes do perigo atual. Percebo que é um sentimento de conscientização. Seguindo a recomendação do sindicato, orientei que as obras que aconteciam nos apartamentos fossem interrompidas, pois além da determinação de evitar o fluxo de pessoas, muitos moradores estão em home office e o barulho provocado nessas intervenções poderia incomodá-los", disse Rodolfo, que também distribuiu máscaras para todos os funcionários e disponibilizou álcool em gel nas áreas comuns do condomínio.

Vale ressaltar que a pandemia do coronavírus não abstém o dever dos condôminos no pagamentos das taxas condominiais. Em casos de eventuais impossibilidades de pagamento, a recomendação é que a situação seja levada ao síndico e à administradora para que ocorra uma negociação.

Especialistas alertam que o condomínio pode ser penalizado caso não adote as medidas necessárias, visto que o local é uma pessoa jurídica de direito privado, representado pelo síndico ou administrador contratado.

Prefeito de Niterói usou situação da Itália como exemplo a não ser seguido pelo Brasil - Foto: Reprodução

“Muito me preocupa que o Brasil está cometendo os mesmos erros que dizem respeito a falta de integração entre os três níveis de governo. Esse é o mesmo problema que aconteceu na Itália”, afirmou o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), ao cobrar unidade entre governos estaduais, municipais e federal no combate à covid-19. A declaração foi dada durante painel sobre o coronavírus com outras lideranças municipais, na manhã desta sexta-feira (1º).

O prefeito também demonstrou preocupação com o mês de maio que, segundo ele, deve ser o mais crítico da pandemia, e chamou atenção para a produção escassa de respiradores no país. “O Brasil não tem produzido em massa respiradores em sua indústria nacional e há poucos testes, que são fundamentais para o êxito nessa batalha contra o coronavírus. O mês de maio vai ser o mais crítico com o aumento muito grande de casos e óbitos”, afirmou.

Além de Neves, participaram da reunião, por meio de videoconferência, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB); o prefeito de Recife, Geraldo Júlio (PSB); o CEO do Hospital Sírio-Libanês, Paulo Chapchap; e o secretário de saúde da capital paulista, Edson Aparecido. O moderador foi Josier Vilar, presidente do Fórum Inovação Saúde, que organizou o evento.

Rodrigo Neves abriu sua fala afirmando que o mundo está enfrentando uma situação jamais vivida em sua geração atual. Ele também afirmou acreditar que cenários de pandemia, como a da covid-19, devem ficar cada vez mais frequentes por conta do fenômeno da globalização, que aumenta cada vez mais a interligação entre diferentes partes do planeta.

“De fato, nós estamos vivendo uma situação sem precedentes na história da nossa geração, em um mundo globalizado, cada vez mais conectado. Portanto, é importante a gente compreender que esses fenômenos serão cada vez mais frequentes. Esses processos de pandemia certamente serão mais frequentes. Diferente da gripe espanhola que chegou lentamente a todos os continentes, a covid-19 se espalhou muito rápido”, disse Neves.

Prefeitos reiteram necessidade de isolamento

O isolamento como forma de combate mais eficaz contra a doença foi consenso entre os três prefeitos, que não pretendem adotar, por enquanto, decreto de lockdown. Bruno Covas, que administra a cidade considerada o epicentro da pandemia no Brasil, chamou atenção para o que ele chamou de falso confronto entre saúde e economia, ressaltando que a preservação da vida é a prioridade.

“As pessoas muita vezes não acreditam no isolamento social, acham que é uma disputa entre saúde e economia, quando o maior bem a ser preservado é a vida das pessoas. A gente tem vivido cada dia sua agonia, é muito difícil planejar a médio e longo prazo uma doença que o mundo ainda está conhecendo”, pontuou Bruno Covas.

Seguindo a mesma linha, Geraldo Júlio afirmou que a humanidade ainda está conhecendo o novo coronavírus e seus efeitos. "Nós estamos aprendendo tudo ao mesmo tempo, em todas as áreas. A humanidade não imaginava uma mudança tão repentina. Todo mundo está junto contra o vírus, enfrentando um inimigo só", disse o prefeito da capital pernambucana.

Niterói se destaca na luta contra a pandemia

Um dos pontos levantados foi a situação positiva de Niterói frente à pandemia. A cidade mantém curvas de contágio e mortes abaixo das médias nacional e estadual. Para Rodrigo Neves, as medidas de isolamento adotadas logo no começo foram fundamentais para o município, que também vive boa situação econômica, fruto de uma série de estratégias postas em prática nos últimos anos, como a poupança criada com os royalties do petróleo.

"Em Niterói trabalhamos o plano integrado por ter características socioeconômicas que nos colocavam em fragilidade a ponto de termos uma tragédia humanitária. Se a gente não tivesse tomado um conjunto de medidas, poderíamos estar vivendo uma tragédia humanitária. Outras cidades, fora a capital [Rio de Janeiro], estão vivendo um colapso em seu sistema por não terem adotado as medidas que adotamos", disse.

Entre as medidas mencionadas por Neves, que visam mitigar os efeitos para a população em meio à pandemia, estão o auxílio à famílias consideradas pobres e de classe média alta, além do fundo emergencial “Supera Niterói” e o programa “Empresa Cidadã”, destinados aos empreendedores do município.

Sobre a questão da saúde, Neves também destacou o pioneirismo em estratégias como o isolamento das praias e a sanitização de ruas e comunidades niteroienses, além da distribuição de máscaras e kits de higiene para a população. O prefeito lembrou que a cidade teve o primeiro óbito registrado no Estado, o que contribuiu para a aceleração no combate à covid-19 em relação a outras cidades do país.

Aumento expressivo de casos se deve ao início do programa de testagem massiva da população - Foto: Douglas Macedo/ Arquivo

A cidade de Niterói confirmou 431 casos de coronavírus até este sábado (2) e 26 mortes pela doença. De acordo com o boletim informativo da Prefeitura, são 176 pessoas em isolamento domiciliar, 167 recuperados e 62 hospitalizados. 

A cidade está em fase de transmissão comunitária e segue aumentando as medidas para evitar a proliferação do vírus. Estreitamento do isolamento social, uso de máscaras, distribuição de kits de higiene e limpeza, e restrição da entrada na cidade são algumas das ações adotadas pelo executivo municipal para controle do número de casos. 

"É importante destacar que o aumento expressivo de casos identificados no dia de hoje se deve ao início do programa de testagem massiva da população", destacou a prefeitura no boletim informativo. 

 

O animal, considerado a maior espécie de peixe do mundo, é inofensivo - Foto: Reprodução de vídeo

Um tubarão-baleia atraiu a atenção de um grupo de pescadores na altura da Ilha Mãe, em Itaipu, Região Oceânica de Niterói, na manhã da última quinta-feira (30). 

O animal, considerado a maior espécie de peixe do mundo, apareceu enquanto o grupo puxava a rede traineira repleta de peixes. De acordo com os pescadores, o tubarão ficou preso em uma das redes de pesca, mas eles conseguiram cortá-la para que ele fosse solto. 

A bióloga Luiza Perin afirmou que, apesar do tamanho causar espanto, o tubarão-baleia não é um animal perigoso.

"É uma espécie inofensiva, não representa nenhuma ameaça para os seres humanos. Tem esta boca tão grande pois se alimenta basicamente de plâncton, ele filtra seu alimento na água", disse Luiza.

Embora não apresente perigo, não é recomendado que pessoas toquem no animal.

O animal, que está no grupo dos peixes cartilaginosos, vive em águas tropicais e quentes temperadas. Com o nome científico Rhincodon typus, ele se alimenta de pequenos peixes, como anchovas e sardinhas. O tubarão-baleia pode atingir até 12 metros de comprimento e pesar mais de 20 toneladas. 

Mais Artigos...

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.