14
Sex, Ago

Tiroteio aconteceu no Engenho do Mato - Foto: Divulgação/PMERJ

Um homem foi morto e outros dois foram baleados, durante confronto com a Polícia Militar, na noite de sábado (2), no Engenho do Mato, Região Oceânica de Niterói. Segundo a corporação, os três são suspeitos de tráfico de drogas.

Militares do 12º BPM (Niterói) faziam patrulhamento pra reprimir o tráfico quando viram o trio passando numa moto pela Rua 53. Foi dada ordem de parada, que não foi respeitada, e, segundo o batalhão, os suspeitos atiraram contra a viatura.

Os policiais revidaram e houve confronto, no qual nenhum policial ficou ferido, mas os três suspeitos foram baleados, sendo que um deles morreu no local. Os feridos foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, Zona Norte da cidade.

A Polícia Civil fez a perícia no local e o corpo do suspeito que não resistiu, que tinha 18 anos, foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), no bairro do Barreto. Com o trio, foram apreendidos uma pistola, 10 munições, binóculo, rádio transmissor, drogas a serem contabilizadas, além da moto, modelo Honda CG Fan.

O caso foi registrado pela Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói.

Por conta da disseminação do coronavírus, uma série de medidas tiveram que ser adotadas também na rotina dos condomínios

Por conta da disseminação do coronavírus, uma série de medidas tiveram que ser adotadas também na rotina dos condomínios, que precisaram reforçar a higienização nas áreas comuns e compartilhadas para evitar que o vírus se prolifere pelo local.

Com objetivo de conter aglomerações, especialistas orientam que todas as decisões sejam feitas por videoconferência, grupos de Whatsapp e avisos em áreas comuns do condomínio, evitando assembléias e reuniões presenciais. Desse jeito, é possível que se cumpra a recomendação de que os condôminos evitem ao máximo circular pelas dependências do local.

Como norma, ficou determinado que, até o fim do isolamento social, os condomínios devem suspender o funcionamento de todas as áreas de recreação como piscina, churrasqueira, salão de festas e sala de ginástica.

Os funcionários devem ser instruídos a lavar as mãos como indicam médicos infectologistas e sanitaristas e os prestadores de serviços gerais precisam ser instruídos a limpar com álcool 70° os corrimãos, maçanetas, botoeiras e painéis de elevadores, o balcão da portaria e todos os locais que moradores, colaboradores e entregadores tocam. Também é recomendado que o síndico disponibilize álcool gel na portaria e em outras áreas de maior circulação de pessoas. A sugestão é que as portas das áreas comuns sejam mantidas abertas para que o ar circule.

"É importante distribuir uma circular aos moradores lembrando que tais cuidados não são apenas para o coronavírus, mas servem também para reduzir a disseminação do vírus Influenza (gripe), sarampo, conjuntivite e outras viroses que podem ser evitadas com a higiene", orienta o Sindicato dos Condomínios Comerciais, Residenciais e Mistos de Niterói e São Gonçalo (SinCond). 

Obra é quase sempre um assunto polêmico nos condomínios. Durante a quarentena, todas as obras no interior dos prédios devem ser suspensas, com o objetivo de evitar o fluxo intenso de pessoas nas dependências comuns do local. Segundo o sindicato, o síndico tem a autoridade para suspender as autorizações para a realização de obras voluptuárias - ou seja, aquelas que não há necessidade de troca mas querem fazer por capricho - nas unidades autônomas da edificação, caso as mesmas sejam promovidas por terceiros contratados. Serviços de urgência, como reparos elétricos e hidráulicos devem ser mantidos e executados com o máximo de segurança, respeitando as recomendações do Ministério da Saúde. Em situações onde a obra ainda não foi iniciada e que não haja mais interesse em executá-la, é possível rompimento do contrato sem a culpa do contratante, em razão da pandemia.

"É importante ressaltar que a administração condominial não poderá impedir a realização de obras consideradas emergenciais, ou seja, aquelas que têm por objetivo sanar ou reparar defeitos ou irregularidades cujo perigo e necessidade sejam iminentes", salienta o sindicato.

Durante a pandemia, o condomínio pode proibir o acesso de prestadores de serviços nas áreas comuns e privativas em situações que não sejam de emergência.

Já lavanderias escapam das medidas de restrição em áreas comuns de condomínios. Orienta-se que a lavanderia continue funcionando em prédios onde os apartamentos não contém espaço para área de serviço. Nesses casos, a higienização e conscientização dos moradores deve ser ainda maior, evitando aglomeração.

O uso do elevador não deve ser paralisado, uma vez que é um meio de locomoção. A recomendação é que se crie regras de uso, como a limitação de pessoas e a constante higienização.

É importante destacar que o condomínio não pode proibir o acesso de visitantes, já que é um direito do condômino usar, fruir e dispor de seu unidade, na forma do art.1.355 do Código Civil. No entanto, as visitas violam a determinação de isolamento social. O sindicato recomenda bom senso.

Em caso de contaminação de algum morador, é dever do condômino infectado notificar a direção do condomínio sobre seu estado de saúde para que providências sejam tomadas junto à saúde pública. O síndico deve informar a todos os moradores sobre caso positivo da doença no local mas não é recomendado que identifique quem é o contaminado para que não ocorra uma exposição constrangedora.

Muitos condomínios já estão seguindo à risca as recomendações. Rodolfo Furtado Lima, de 54 anos, síndico de um prédio de Santa Rosa, Zona Sul de Niterói, garante que a conscientização está em dia no local. No prédio, que teve todas as áreas de lazer interditadas como recomendado, os condôminos estão seguindo as indicações impostas e nenhum precisou ser multado até o momento.

"Os moradores estão aderindo todas as recomendações. Achei que poderia ter algum tipo de problema com as novas normas, mas me surpreendi para o bem. Todos estão muito conscientes do perigo atual. Percebo que é um sentimento de conscientização. Seguindo a recomendação do sindicato, orientei que as obras que aconteciam nos apartamentos fossem interrompidas, pois além da determinação de evitar o fluxo de pessoas, muitos moradores estão em home office e o barulho provocado nessas intervenções poderia incomodá-los", disse Rodolfo, que também distribuiu máscaras para todos os funcionários e disponibilizou álcool em gel nas áreas comuns do condomínio.

Vale ressaltar que a pandemia do coronavírus não abstém o dever dos condôminos no pagamentos das taxas condominiais. Em casos de eventuais impossibilidades de pagamento, a recomendação é que a situação seja levada ao síndico e à administradora para que ocorra uma negociação.

Especialistas alertam que o condomínio pode ser penalizado caso não adote as medidas necessárias, visto que o local é uma pessoa jurídica de direito privado, representado pelo síndico ou administrador contratado.

Prefeito de Niterói usou situação da Itália como exemplo a não ser seguido pelo Brasil - Foto: Reprodução

“Muito me preocupa que o Brasil está cometendo os mesmos erros que dizem respeito a falta de integração entre os três níveis de governo. Esse é o mesmo problema que aconteceu na Itália”, afirmou o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), ao cobrar unidade entre governos estaduais, municipais e federal no combate à covid-19. A declaração foi dada durante painel sobre o coronavírus com outras lideranças municipais, na manhã desta sexta-feira (1º).

O prefeito também demonstrou preocupação com o mês de maio que, segundo ele, deve ser o mais crítico da pandemia, e chamou atenção para a produção escassa de respiradores no país. “O Brasil não tem produzido em massa respiradores em sua indústria nacional e há poucos testes, que são fundamentais para o êxito nessa batalha contra o coronavírus. O mês de maio vai ser o mais crítico com o aumento muito grande de casos e óbitos”, afirmou.

Além de Neves, participaram da reunião, por meio de videoconferência, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB); o prefeito de Recife, Geraldo Júlio (PSB); o CEO do Hospital Sírio-Libanês, Paulo Chapchap; e o secretário de saúde da capital paulista, Edson Aparecido. O moderador foi Josier Vilar, presidente do Fórum Inovação Saúde, que organizou o evento.

Rodrigo Neves abriu sua fala afirmando que o mundo está enfrentando uma situação jamais vivida em sua geração atual. Ele também afirmou acreditar que cenários de pandemia, como a da covid-19, devem ficar cada vez mais frequentes por conta do fenômeno da globalização, que aumenta cada vez mais a interligação entre diferentes partes do planeta.

“De fato, nós estamos vivendo uma situação sem precedentes na história da nossa geração, em um mundo globalizado, cada vez mais conectado. Portanto, é importante a gente compreender que esses fenômenos serão cada vez mais frequentes. Esses processos de pandemia certamente serão mais frequentes. Diferente da gripe espanhola que chegou lentamente a todos os continentes, a covid-19 se espalhou muito rápido”, disse Neves.

Prefeitos reiteram necessidade de isolamento

O isolamento como forma de combate mais eficaz contra a doença foi consenso entre os três prefeitos, que não pretendem adotar, por enquanto, decreto de lockdown. Bruno Covas, que administra a cidade considerada o epicentro da pandemia no Brasil, chamou atenção para o que ele chamou de falso confronto entre saúde e economia, ressaltando que a preservação da vida é a prioridade.

“As pessoas muita vezes não acreditam no isolamento social, acham que é uma disputa entre saúde e economia, quando o maior bem a ser preservado é a vida das pessoas. A gente tem vivido cada dia sua agonia, é muito difícil planejar a médio e longo prazo uma doença que o mundo ainda está conhecendo”, pontuou Bruno Covas.

Seguindo a mesma linha, Geraldo Júlio afirmou que a humanidade ainda está conhecendo o novo coronavírus e seus efeitos. "Nós estamos aprendendo tudo ao mesmo tempo, em todas as áreas. A humanidade não imaginava uma mudança tão repentina. Todo mundo está junto contra o vírus, enfrentando um inimigo só", disse o prefeito da capital pernambucana.

Niterói se destaca na luta contra a pandemia

Um dos pontos levantados foi a situação positiva de Niterói frente à pandemia. A cidade mantém curvas de contágio e mortes abaixo das médias nacional e estadual. Para Rodrigo Neves, as medidas de isolamento adotadas logo no começo foram fundamentais para o município, que também vive boa situação econômica, fruto de uma série de estratégias postas em prática nos últimos anos, como a poupança criada com os royalties do petróleo.

"Em Niterói trabalhamos o plano integrado por ter características socioeconômicas que nos colocavam em fragilidade a ponto de termos uma tragédia humanitária. Se a gente não tivesse tomado um conjunto de medidas, poderíamos estar vivendo uma tragédia humanitária. Outras cidades, fora a capital [Rio de Janeiro], estão vivendo um colapso em seu sistema por não terem adotado as medidas que adotamos", disse.

Entre as medidas mencionadas por Neves, que visam mitigar os efeitos para a população em meio à pandemia, estão o auxílio à famílias consideradas pobres e de classe média alta, além do fundo emergencial “Supera Niterói” e o programa “Empresa Cidadã”, destinados aos empreendedores do município.

Sobre a questão da saúde, Neves também destacou o pioneirismo em estratégias como o isolamento das praias e a sanitização de ruas e comunidades niteroienses, além da distribuição de máscaras e kits de higiene para a população. O prefeito lembrou que a cidade teve o primeiro óbito registrado no Estado, o que contribuiu para a aceleração no combate à covid-19 em relação a outras cidades do país.

Aumento expressivo de casos se deve ao início do programa de testagem massiva da população - Foto: Douglas Macedo/ Arquivo

A cidade de Niterói confirmou 431 casos de coronavírus até este sábado (2) e 26 mortes pela doença. De acordo com o boletim informativo da Prefeitura, são 176 pessoas em isolamento domiciliar, 167 recuperados e 62 hospitalizados. 

A cidade está em fase de transmissão comunitária e segue aumentando as medidas para evitar a proliferação do vírus. Estreitamento do isolamento social, uso de máscaras, distribuição de kits de higiene e limpeza, e restrição da entrada na cidade são algumas das ações adotadas pelo executivo municipal para controle do número de casos. 

"É importante destacar que o aumento expressivo de casos identificados no dia de hoje se deve ao início do programa de testagem massiva da população", destacou a prefeitura no boletim informativo. 

 

O animal, considerado a maior espécie de peixe do mundo, é inofensivo - Foto: Reprodução de vídeo

Um tubarão-baleia atraiu a atenção de um grupo de pescadores na altura da Ilha Mãe, em Itaipu, Região Oceânica de Niterói, na manhã da última quinta-feira (30). 

O animal, considerado a maior espécie de peixe do mundo, apareceu enquanto o grupo puxava a rede traineira repleta de peixes. De acordo com os pescadores, o tubarão ficou preso em uma das redes de pesca, mas eles conseguiram cortá-la para que ele fosse solto. 

A bióloga Luiza Perin afirmou que, apesar do tamanho causar espanto, o tubarão-baleia não é um animal perigoso.

"É uma espécie inofensiva, não representa nenhuma ameaça para os seres humanos. Tem esta boca tão grande pois se alimenta basicamente de plâncton, ele filtra seu alimento na água", disse Luiza.

Embora não apresente perigo, não é recomendado que pessoas toquem no animal.

O animal, que está no grupo dos peixes cartilaginosos, vive em águas tropicais e quentes temperadas. Com o nome científico Rhincodon typus, ele se alimenta de pequenos peixes, como anchovas e sardinhas. O tubarão-baleia pode atingir até 12 metros de comprimento e pesar mais de 20 toneladas. 

Luciana e Maria atuavam na linha de frente contra a pandemia - Foto: Divulgação

A Reitoria da Universidade Federal Fluminense (UFF), informou o falecimento de duas funcionárias por coronavírus, nesta sexta-feira (1º). A técnica de enfermagem Luciana Roberto de Souza e a auxiliar de enfermagem Maria Ignez Marques Procópio atuavam no Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap), em Niterói. 

De acordo com a Universidade, Luciana Roberto trabalhava como técnica de enfermagem na UCO do Hospital Universitário Antonio Pedro e era muito amada e admirada pelos seus colegas de trabalho. Já a auxiliar de enfermagem Maria Ignez, de 72 anos, trabalhava há 40 anos na Universidade, e era querida pelos colegas de trabalho e pacientes.

"A comunidade do hospital Universitário Antônio Pedro manifesta profundo pesar pelo falecimento das suas  funcionárias por covid-19. Ambas serão lembradas por toda a comunidade do Huap pela dedicação e empenho com que exerceram suas atividades. Neste momento de dor, prestamos nossas condolências e solidariedade às famílias e aos amigos", destacou o Hospital através de nota de pesar. 

A reitoria da UFF também lamentou a perda das funcionárias. " Luciana Roberto era muito amada e admirada pelos seus colegas de trabalho. A Reitoria da UFF lamenta profundamente a perda e, neste momento de dor, transmite sentimentos de conforto e desejo de força aos familiares e amigos", ressaltou em nota de pesar, também lamentando a morte da auxiliar de enfermagem Maria Ignez, que já era aposentada e retornou às atividades para ajudar na linha de frente durante a pandemia.

"Maria Ignez tinha um imenso amor pela sua profissão e enfrentou heroicamente a pandemia sem perder a ternura, o comprometimento e o seu entusiasmo. Todo este empenho torna a sua missão no serviço público digna de profunda admiração por todos nós. Maria Ignez faleceu no dia 1º de maio, Dia do Trabalhador, e será lembrada sempre como uma pessoa que representa uma classe de trabalhadores que não se intimida frente às adversidades da vida e que se doa sem medir esforços". 

 

 

Alexandre, que passou 7 dias sob cuidados intensivos, foi o primeiro a deixar o hospital - Foto: Luciana Carneiro/Prefeitura de Niterói

Oito pacientes que desenvolveram a forma grave da covid-19 receberam alta, nesta quinta-feira (30), do Hospital Municipal Carlos Tortelly e do Hospital Oceânico – unidade de referência inaugurada pela Prefeitura de Niterói como a primeira do país exclusiva para o tratamento da covid-19. As duas unidades, mantidas pela Prefeitura, estão na linha de frente no atendimento aos pacientes graves.

Alexandre das Chagas Fernandes, de 51 anos, e Luis Fernando Silva, de 68, foram dois dos três pacientes que tiveram alta do Hospital Oceânico nesta quinta. Os dois deram entrada na unidade com quadro de insuficiência respiratória grave e ficaram no Centro de Terapia Intensiva (CTI). Recuperados da doença, receberam aplausos de médicos e enfermeiros no momento em que deixavam a unidade.

Alexandre, que passou 7 dias sob cuidados intensivos, foi o primeiro a deixar o hospital. Visivelmente emocionado, o vendedor agradeceu o empenho das equipes.

"Eu não tenho como expressar o sentimento de gratidão a todos vocês. Estiveram o tempo todo comigo, fiquei impressionado com o cuidado, parecia de um pai com um filho. Agora estou com a sensação de viver novamente, louco para voltar para casa e ao convívio da minha família. Muito obrigado", desabafou.

Ele aproveitou para abraçar a mulher, Vanessa Ferraz, que o aguardava na saída do hospital.

“É maravilhoso ver ele voltar para casa. Fiquei muito nervosa quando ele veio para cá, pois sei que estava grave. Mas tudo deu certo. Um dia de cada vez ele foi evoluindo e agora está de volta”, agradeceu Vanessa. Ela elogiou o trabalho da equipe de assistentes sociais e psicólogos, que entrou em contato com a família todos os dias informando o estado de saúde do marido.

Em seguida foi a vez de Luís Fernando reencontrar a família. O aposentado chorou ao relembrar como chegou ao hospital.

O paciente Luis Fernando Silva recebeu alta após dar entrada no Hospital Oceânico com insuficiência respiratória grave (Foto: Luciana Carneiro/Prefeitura de Niterói)

“Nunca pensei passar por isso na vida. Quando entrei aqui estava com uma falta de ar e tive a sensação de entrar num lugar que não sabia se ia retornar. Ficava pensando que talvez não acordaria mais. Hoje é uma alegria incrível poder voltar para casa, é como nascer de novo. Só tenho a agradecer a equipe que me acompanhou o tempo inteiro”, relatou.

O médico intensivista Rogério Silveira, que acompanhou de perto os dois casos no CTI, destacou o trabalho da equipe.

"Os pacientes chegaram graves. O Alexandre, por exemplo, ficou no limite de ir para a intubação com uma insuficiência bem significativa, mas a equipe fez todos os procedimentos necessários e aos pouquinhos ele foi melhorando. Eles nos surpreenderam pela evolução e tudo ocorreu bem", disse o médico.

O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, elogiou o trabalho da equipe médica e reafirmou o compromisso da cidade no enfrentamento a doença.

“Trabalhamos diariamente com muito empenho nas ações de combate à Covid-19 para diminuirmos o impacto da doença. Temos profissionais competentes e preparados para atuar em nossas unidades de referência e esperamos ver cada vez mais casos de recuperação como esses”, enalteceu o secretário, lembrando que é fundamental as pessoas permanecerem em casa conforme as orientações dos órgãos de saúde.

Trabalho começa neste sábado (2) pelas vias dos bairros de Neves e Venda da Cruz, e contará com apoio da Clin, Águas de Niterói e Cedae - Foto: Divulgação / Prefeitura de Niterói

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, anunciou, na noite desta sexta-feira (1), em vídeo ao vivo nas redes sociais da Prefeitura, que a partir deste sábado (2), será iniciada uma ação de sanitização em ruas de bairros de São Gonçalo limítrofes com Niterói. Rodrigo Neves enfatizou que a medida será possível a partir de uma parceria firmada com a Cedae, Águas de Niterói, Companhia de Limpeza Urbana de Niterói (Clin) e a Prefeitura de São Gonçalo. O trabalho começará pelas ruas de Neves e Venda da Cruz.

“A Prefeitura de Niterói e a de Maricá já estão apoiando o município de São Gonçalo com a abertura de um hospital de campanha para o atendimento de casos da Covid-19. E, agora, Niterói, mais uma vez, numa atitude solidária com a cidade vizinha, iniciará a sanitização em bairros limítrofes”, enfatizou Rodrigo Neves. “A sanitização com quaternário de amônia de quinta geração foi uma ação que ajudou muito em Niterói nesses dias de combate ao coronavírus, mas é preciso que as pessoas cumpram o isolamento social, assim como vem sendo feito em Niterói”, reforçou.

Restrição – O prefeito lembrou também que nesta sexta-feira foi retomada a restrição de todas as atividades não essenciais na cidade e que a fiscalização será ainda mais firme para que todos fiquem em casa, preservando a própria saúde, de seus familiares e de todos os niteroienses. O isolamento social na cidade foi prorrogado até 15 de maio.

Medidas econômicas e sociais - A secretária municipal de Fazenda, Giovanna Victer, informou que 1.857 taxistas, permissionários, motoristas de van e auxiliares se inscreveram no Programa Taxista Amigo, para receber um auxílio de R$ 500 por três meses. Destes, 1011 receberam a primeira parcela no último dia 29. Em 309, foram registradas inconsistências de informações bancárias. Para estes, a Secretaria de Fazenda de Niterói (SMF) enviou um e-mail para que eles acessem novamente o sistema e façam a correção das informações para receber o depósito.  Em 507 contas, todas da Caixa Econômica Federal, houve um problema por incompatibilidade no sistema da instituição bancária. Técnicos da SMF estão em contato com o suporte da CEF para solucionar o problema e efetuar os depósitos na próxima semana.

As cerca de 2200 empresas que se cadastraram no programa Empresa Cidadã, em que a Prefeitura de Niterói vai arcar com um salário mínimo de até nove funcionários de micro e pequenas empresas da cidade, receberam nesta semana um depósito teste, de um centavo, para confirmar as informações bancárias para que os depósitos sejam feito sem erros no dia 5 de maio. Em alguns casos, foram registradas inconsistências bancárias. Os empresários receberam um aviso por e-mail para acessar novamente o site do programa e corrigir as informações.

Além disso, seguem abertas as inscrições para o programa Niterói Supera, que vai oferecer financiamento para capital de giro para profissionais liberais, pequenas e médias empresas sediadas no município. As inscrições seguem abertas no site da Secretaria de Fazenda de Niterói. Os empréstimos terão os juros pagos pela Prefeitura de Niterói, seis meses de carência e pagamento em até 36 vezes.

Os cartões do programa Renda Básica Temporária para famílias com crianças matriculadas na rede municipal de Educação e que não estão no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal serão entregues entre os dias 11 e 15 de maio. De acordo com o secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão, Axel Grael, cerca de 11 mil famílias serão beneficiadas nessa nova etapa do programa. O secretário informou ainda que outras duas categorias também serão beneficiadas pelo programa: os trabalhadores em bancas de jornal e motoristas de aplicativos residentes em Niterói.

“Estamos nos organizando para que os pagamentos sejam feitos até a segunda quinzena de maio”, explicou Axel. Cerca de 50 mil famílias já foram beneficiadas até o momento pelos programas sociais emergenciais da Prefeitura de Niterói.

 

Entidade cobra medidas de prevenção e tratamento ao novo coronavírus - Foto: Divulgação/DPRJ

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde da Região Metropolitana, instaurou, no dia 22 de abril, procedimento administrativo para acompanhamento e fiscalização de políticas públicas, especificamente das medidas em atenção à declaração de emergência pública em saúde, no que se refere à contaminação pelo novo coronavírus, nas unidades prisionais nos municípios de Niterói e São Gonçalo.

O objetivo é apurar se está sendo garantido aos custodiados o atendimento médico imediato no caso da constatação de sintomas da Covid-19, com cumprimento do necessário isolamento nos casos suspeitos e confirmados, com a utilização de itens como máscaras e álcool em gel; se o tempo de pátio e banho de sol foi aumentado, levando-se em conta que as celas são escuras e mal ventiladas; se há o devido acesso a produtos básicos de higiene e água potável, também para este fim; se está sendo efetuada a limpeza dos ambientes prisionais com produtos de higienização hospitalar, capazes de barrar a contaminação pelo coronavírus.

Ainda completam a lista de verificações o afastamento de funcionários com mais de 60 anos ou que façam parte do grupo de risco, como cardíacos e diabéticos; se os funcionários são afastados, diante de qualquer manifestação de sintomas da Covid-19; se há equipe básica de saúde em todas as unidades prisionais, com espaço ambulatorial, além de ambulâncias e escoltas disponíveis para possíveis transporte de custodiados que necessitarem de atendimento hospitalar.

Prefeitura distribui equipamento gratuitamente - Foto: Divulgação/Prefeitura de Niterói

Desde a última terça-feira (28), a Prefeitura de Niterói está distribuindo, gratuitamente, máscaras de tecido no sistema drive thru na Região Oceânica. Em três dias, seis mil máscaras foram entregues para a população. No próximo sábado (2), a equipe estará no trevo de Piratininga para distribuir mais quatro mil equipamentos de proteção para os moradores da região, das 11h às 13h.

Rubens Branquinho, administrador regional da Região Oceânica, explica como a ação vem acontecendo durante a semana.

“Vamos montar uma base de apoio, sinalizada, onde os carros podem passar ao lado e as máscaras são entregues sem contato direto e sem a necessidade de o motorista sair do veículo. Neste sábado, vamos continuar a entregar no trevo para as pessoas que precisam sair de casa para ir aos mercados e farmácias”, disse Rubens.

Desde o dia 23 de abril, o uso de máscaras é obrigatório nos espaços públicos de Niterói. A prefeitura já distribuiu mais de 800 mil máscaras das um milhão que serão disponibilizadas gratuitamente para moradores da cidade. As máscaras são de tecido lavável e reaproveitável e estão sendo confeccionadas por pequenas empresas e médias empresas da cidade.

Medidas foram aprovadas durante plenária desta quinta-feira (30) - Divulgação/Câmara Municipal

Vereadores aprovaram na plenária desta quinta-feira (30/04) a suspensão dos descontos por 120 dias de empréstimos consignados em folha dos servidores ativos e inativos, aposentados e pensionistas do Legislativo e Executivo de Niterói, em decorrência do novo coronavírus. Três projetos sobre o mesmo tema, de autoria dos vereadores Andrigo de Carvalho (PDT), Bruno Lessa (DEM) e Carlos Macedo (Patriota) foram apensados num só. O placar foi de 15 votos sim, com aprovação em primeira discussão por unanimidade.

Também foram aprovados o Projeto de Lei 71/2020, que obriga os aplicativos de entrega e os estabelecimentos comerciais que oferecem delivery por meios próprios em Niterói a garantir Equipamentos de Proteção Pessoal (EPI) contra o novo coronavírus aos entregadores, de Renatinho do PSOL, e o Projeto de Lei 55/2020 sobre o adiamento das cobranças referentes às novas instalações de esgoto pela Águas de Niterói, de Leonardo Giordano (PCdoB).

Mais Artigos...

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.