28
Seg, Set

TCE considera regular contrato entre a Clin e a Fundação de Educação de Niterói para limpeza de escolas da rede municipal - Foto: Luciana Carneiro/Prefeitura de Niterói

O Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE-RJ) considerou improcedente e arquivou a representação de supostas irregularidades em contrato de prestação de serviços de limpeza e higienização das escolas da rede municipal de Niterói, firmado entre a Fundação Municipal de Educação (FME) e a Companhia de Limpeza Urbana de Niterói (Clin). A decisão do TCE mostra que não foram detectadas irregularidades. Após análise dos elementos do processo, o corpo instrutivo considerou que o preço contratado se encontrava bastante inferior aos obtidos em cotações junto a outras empresas do ramo.

Na decisão, o Tribunal ressalta que “a criação da Clin foi autorizada em lei para a limpeza de logradouros públicos, conceito que pode ser alargado para abranger os bens de uso especial, como são as escolas municipais. Não vislumbro, nesse sentido, violação à regra do art. 24, VIII, tendo em vista que a Clin foi constituída mesmo antes da Lei de Licitações e Contratos”. Destaca também que “os preços, de fato, encontram-se abaixo de todas as cotações apresentadas ao município. A despeito de o representante afirmar que as duas únicas empresas consultadas eram investigadas pelo Ministério Público por fraudes em licitações, constato a existência de pesquisas junto a 4 empresas no total”, diz o documento.

De acordo com o texto do TCE, “no que concerne às prorrogações, o corpo instrutivo informa que o valor inicialmente contratado mensal de R$ 2.430.767,14 e global de R$ 29.169.205,68, passou para R$ 2.416.666,67 e R$ 29.000.000,00, a partir do 1º Termo Aditivo, mantendo-se inalterado até o 4º Termo Aditivo. Considero que a prorrogação nesses moldes preservou o interesse da Administração, tendo em vista, ademais, que o preço inicialmente pactuado se encontrava em patamares condizentes com a realidade de mercado. Assinalo não haver questões pendentes de exame na contratação, motivo por que acompanharei as instâncias instrutivas na proposta de conhecimento do instrumento, em apenso.”

A controladora geral do Município, Cristiane Mara Rodrigues Marcelino, enfatiza que esta é uma decisão muito importante para a cidade, que denota que “estamos trabalhando no caminho certo”.

“Hoje tivemos importante decisão do TCE-RJ sobre a contratação de serviços de limpeza e higienização da rede de ensino do Município. Contratação feita pela FME à Clin. O TCE além de decidir pela improcedência da representação e pelo arquivamento, constatou que os preços praticados foram inferiores aos obtidos em cotações junto a outras empresas do ramo. Contratamos serviços de limpeza com valores que chegaram a ter 55% de desconto, decorrente da ausência de finalidade lucrativa da Clin. A representação foi infundada e o TCE, além de não constatar sobrepreço na contratação, constatou descontos e ausência de irregularidades na contratação”, afirma a controladora.

Para o presidente da FME, Fernando Cruz, o arquivamento pelo TCE do referido processo, vai de encontro ao que a Fundação de Educação pratica em todos os processos de aquisição.

“Todos os processos, seja de bens ou serviços, são realizados sempre prezando pelo menor preço, tendo preocupação com a economicidade referente ao dinheiro público, além da preocupação com transparência nas suas contratações”, enfatiza Fernando Cruz.

O presidente da Clin, Luiz Carlos Fróes Garcia, destaca que é muito importante o voto do TCE pelo arquivamento do processo contra a Fundação Municipal de Educação, reconhecendo que não há irregularidades no contrato de prestação de serviços de limpeza com a companhia.

“Continuamos seguindo em frente, com dedicação e transparência, prestando serviços de qualidade a nossa cidade”, diz o presidente da Clin. 

Atividades econômicas terão de cumprir regras de higiene, distanciamento social e uso de máscara para seguir atendendo seus clientes - Foto: Berg Silva

Nesta terça-feira (08) chegou a vez de feiras livres e quiosques da orla da cidade retomarem suas atividades, dentro do Plano de Transição Gradual Para Um Novo Normal da Prefeitura de Niterói. As duas atividades econômicas estavam proibidas de funcionar desde março, quando começaram as medidas de restrição por causa da pandemia do novo coronavírus. As feiras livres funcionarão nos horários habituais, já os quiosques só terão autorização para abrir nos horários em que as praias estiverem liberadas para atividades físicas individuais, das 6h às 12h30 e das 16h às 22 horas. Os locais devem seguir os protocolos sanitários estabelecidos pela Secretaria Municipal de Saúde com o objetivo de reduzir os riscos de transmissão de Covid-19 para os funcionários e clientes.

No primeiro dia de funcionamento, fiscais de posturas, da Secretaria Municipal de Ordem Pública, vistoriaram pela manhã as feiras de São Francisco e Piratininga. Ao longo do dia os quiosques da orla também foram fiscalizados. A Guarda Municipal deu apoio às ações e nenhuma irregularidade foi encontrada.

Nos quiosques, mesas e cadeiras só podem ser colocados junto ao estabelecimento, respeitando as regras de distanciamento social. Está proibido o uso de mesas e cadeiras na areia das praias. Nas feiras livres, está proibido o consumo de alimentos no local.

Para o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, é muito importante que clientes e funcionários dos quiosques e feiras livres sigam todas as normas de segurança em relação à Covid-19:

"Estabelecemos protocolos para retomada dos quiosques e volta das feiras livres. É muito importante que os responsáveis por essas atividades sigam o que está estabelecido, mantendo assim a segurança da população e dos próprios funcionários. O retorno das atividades é orientado pelo Plano de Transição para o Novo Normal que continua sendo analisado diariamente e acompanhado pelo Comitê Científico, composto por profissionais da UFF, UFRJ e Fiocruz. Essas medidas só foram possíveis pelas ações adotadas pela Prefeitura, em conjunto com a conscientização da população", disse o secretário.

Rodrigo Braga, que divide com um casal de tios e o primo a administração de um quiosque na Praça da Boa Viagem, disse que a pandemia acabou com uma antiga piada entre os frequentadores do local, a de que o quiosque nunca fechava.

“Todos sempre brincavam com a gente por causa disso. Abríamos o quiosque todos os dias, de segunda a segunda, inclusive feriados, até no Natal a gente abria. Os clientes mais tradicionais diziam que nada derrubava a gente e que nem o Plano Collor conseguiu. Agora, ficamos 172 dias com o quiosque fechado e é uma alegria enorme poder reabrir”, disse Rodrigo Braga.

Mas os clientes vão ter que esperar mais um pouquinho, Rodrigo e seus parentes passaram esta terça-feira preparando tudo para a reabertura, que só acontece amanhã. “Hoje (terça), passamos o dia higienizando tudo, fazendo as marcações para o distanciamento social e treinando os funcionários. Abrimos nesta quarta com a certeza de continuar trabalhando todos os dias, como fazíamos antes, desde a inauguração do quiosque em 1983”, destacou.

Quem também ficou muito animada com a volta ao trabalho foi a feirante Marcilene do Nascimento Telles Batista. Ela vende tapioca nas feiras de São Francisco, às terças; de Vital Brazil, às quartas; e da Lopes Trovão, em Icaraí, aos sábados. Ela conta que desde o início da pandemia teve problemas para vender e entregar seus produtos a poucos clientes e que agora espera recuperar sua fonte de renda.

“Passei por momentos difíceis e estou muito animada com esse retorno. Estou tomando muito cuidado com todas as medidas de segurança e orientado os clientes. Encomendei até plaquinhas com dicas de segurança para colocar na minha barraca. Sinto como se estive recomeçando do zero o meu empreendimento e espero conquistar novos clientes”, disse Marcilene Batista.

Quiosques - Para o funcionamento dos quiosques, os comerciantes têm que disponibilizar álcool em gel 70%, antissépticos ou sanitizantes de efeito similar para o público e os funcionários, em locais estratégicos e de fácil acesso. Os estabelecimentos deverão fornecer equipamentos proteção individuais aos colaboradores, afastar funcionários que apresentarem sintomas de Covid-19 e ainda utilizar barreiras entre os funcionários e clientes, quando possível.

Os quiosques deverão organizar os clientes para acomodação em mesas, com delimitação de áreas, e ter um funcionário organizando o espaço para evitar aglomeração. Devem também manter o distanciamento entre as mesas. As calçadas deverão ter marcação para fila de espera, mantendo o distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas. Mesas e cadeiras não poderão ser colocadas nas areias das praias.

As mesas e cadeiras deverão ser higienizadas a cada troca de clientes. Os quiosques deverão manter controle rigoroso da higiene dos ambientes e das superfícies que possam ser tocadas. Os balcões deverão estar interditados. Não está autorizado o sistema de buffet ou similar e nem show de música ao vivo. Fica permitido aos quiosques o funcionamento para atividades de delivery.

O uso de máscaras é obrigatório quando estiver em recinto coletivo. As máscaras só devem ser retiradas pelos clientes na hora das refeições.

Feiras - Os comerciantes que trabalham nas feiras livres também terão que disponibilizar álcool em gel 70% e deverão manter o distanciamento de pelo menos 1,5 metro entre uma barraca de outra, assim como a demarcação do chão para distanciamento dos clientes. O atendimento deve ser feito a uma pessoa por vez. Também valem todas as recomendações de higiene e sanitização.

Os funcionários só poderão utilizar aventais ou uniformes no local de trabalho. Pessoas do grupo de risco ou acima de 60 anos não devem ter contato com o público, assim como pessoas que residem com pessoas do grupo de risco.

Os feirantes deverão adotar medidas para diminuir a intensidade e a duração do contato pessoal. O uso da máscara é obrigatório assim como a sua troca a cada duas horas. A recomendação é que apenas um funcionário fique encarregado de manipular dinheiro e que o mesmo evite o uso de adornos como anéis, pulseiras ou cordões. É vedada a oferta para experimentação de frutas e outros alimentos no momento das compras.

Os instrumentos, como balanças, utensílios e cestas, devem ser higienizados antes e após o uso. A higienização das mãos do profissional deve ser feita a cada 30 minutos. É recomendado que os clientes levem suas próprias sacolas.

Ações do Pacto Niterói Contra a Violência, que atua nos eixos da justiça, prevenção, ações territoriais e investimentos em inteligência foram determinantes para a diminuição da criminalidade - Foto: Divulgação

Niterói foi o município da Região Metropolitana que teve o menor índice de letalidade violenta entre as cidades com mais de 100 mil habitantes, caindo de 33% para 13% na comparação dos dados de janeiro a agosto de 2020 com o mesmo período do ano passado. O índice foi apurado pelo Observatório de Segurança de Niterói junto às delegacias. A cidade do Rio apresentou queda de 20% para 14%; e São Gonçalo aumentou de 30% para 31% no mesmo período.

Segundo o Gabinete de Gestão Integrada Municipal, os indicadores são significativos e representam os resultados das ações e ferramentas disponibilizadas pela Prefeitura para ajudar as forças de segurança no combate à criminalidade.

Os dados mostram que neste último mês de agosto houve uma redução de 50% no indicador letalidade violenta na cidade, na comparação com o mesmo mês em 2019. Outros índices que apresentaram quedas expressivas foram roubo de rua (68,70%) e roubo de veículos (60%).

“Desde que iniciamos o Pacto Niterói contra a Violência, elaborado com a participação da sociedade civil, representantes das polícias, especialistas e técnicos da Prefeitura, estamos há três anos reduzindo continuamente a criminalidade em nossa cidade”, lembra o prefeito Rodrigo Neves. “A Prefeitura também está investindo em inteligência, como o Centro Integrado de Segurança Pública, o cerco eletrônico, reforço no policiamento e na Guarda Municipal. Niterói obteve o melhor resultado da Região Metropolitana e estamos no caminho certo para uma cidade cada vez mais segura”.

O secretário do Gabinete de Gestão Integrada Municipal, Gilson Chagas, analisa que Niterói lida com a questão da Segurança Pública e do combate à violência de uma maneira inovadora e diferente dos outros municípios do estado, o que reflete nos resultados.

“Niterói implantou o que mais nenhum município fez: o Pacto Niterói Contra a Violência, que é um plano municipal que prevê investimento de R$ 304 milhões em projetos de prevenção à violência, policiamento e Justiça, convivência e engajamento dos cidadãos e ação territorial integrada”, observa Chagas. “As ações completaram dois anos no mês de agosto e a cidade vem alcançando os menores índices de criminalidade já registrados nos últimos 20 anos. Através dos projetos do Pacto, entre outras coisas, foram mapeados e recuperados cerca de 150 espaços públicos da cidade, com o resgate da sensação de segurança da população. A cidade não estalou os dedos e a criminalidade diminuiu. Trabalhamos para isso com gestão e promovendo uma integração entre as forças de segurança jamais vista no estado”.

Chagas também destaca ações como o reforço no policiamento de rua através dos programas Niterói Presente e Proeis, onde a Prefeitura custeia a remuneração de mais 488 policiais e agentes civis para patrulharem oito bairros da cidade; o monitoramento, por guardas municipais, de 506 câmeras de segurança, instaladas em todas as vias de entrada e saída da cidade; e o Cercamento Eletrônico, onde câmeras inteligentes fazem a leitura de placas de veículos, identificando automóveis roubados e alertando os agentes, que realizam cercos com o auxílio da Polícia Militar.

Principais índices – Segundo os dados do Observatório de Segurança de Niterói, o indicador letalidade violenta – que engloba homicídio doloso, lesão seguida de morte, latrocínio e morte pela polícia – apresentou redução de 50% no mês de agosto, se comparado ao mesmo período do ano passado. O levantamento mostra que nas regiões da 76ª DP (Centro), 77ª DP (Icaraí), 79ª DP (Charitas) e 81…

Beneficiários poderão receber a cesta nos mesmos locais para o qual estavam cadastradas - Foto: Alerj

Termina nesta quarta-feira, dia 9 de setembro, o prazo para as famílias em vulnerabilidade retirarem suas cestas básicas referentes ao mês de agosto. Os beneficiários terão que comparecer, entre 10h e 16h, em um dos dois polos para o qual estava cadastrados, Caminho Niemeyer ou na Escola Municipal Portugal Neves, munidos de documentos de identidade com foto e CPF. Quem tiver dúvida do local de retirada, pode consultar na listagem disponível em http://www.niteroi.rj.gov.br/downloads/Cestas%20B%C3%A1sicas-final.pdf

Mais de 6 mil cestas básicas já foram entregues para famílias em situação de vulnerabilidade e risco social que não foram beneficiadas por nenhum dos programas de mitigação dos efeitos da pandemia do novo coronavírus no município. Cerca de 2.600 cestas referentes ao mês de agosto ainda não foram retiradas.

O objetivo é garantir a segurança alimentar de todas as famílias vulneráveis da cidade. A coordenação e operacionalização do benefício emergencial está sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos. De acordo com a secretária municipal de Assistência Social, Flávia Mariano, foram priorizadas famílias com risco de desnutrição alimentar.

“Para inclusão no benefício de cesta básica de alimentos foram priorizadas famílias em situação de risco de desnutrição, informadas pelas equipes do Programa Médico de Família e postos de saúde do município de Niterói e famílias que se encontram em situação de risco social por desemprego e que, momentaneamente, não consigam suprir as necessidades básicas de alimentação”, informou a secretária.

Não têm direito às cestas, famílias que já tenham recebido os cartões de programas como o de Renda Básica Temporária (RBT) Fase 1 (Cadastro Único) e Fase 2 (Educação), Busca Ativa, auxílio financeiro temporário aos Microempreendedores Individuais ou de quaisquer outros não terão direito às cestas básicas. Também não poderão receber famílias que possuam membro que seja servidor público (incluindo o inativo, empregado público, contratado ou pessoa que mantenha qualquer outro vínculo com administração direta ou indireta de qualquer ente federativo) ou pensionista de servidor público com vínculo com qualquer ente federativo.

Município registra 383 óbitos - Foto: Prefeitura de Niterói / Divulgação

A Secretaria Municipal de Saúde de Niterói informa que o município já tem 10.522 pacientes recuperados da Covid-19. Ao todo, a cidade registra 11.130 casos confirmados da doença e 140 pessoas em isolamento domiciliar sendo acompanhados pela Secretaria.

Niterói registra 383 óbitos.

 

Márcia Martins pretende comprovar que matéria é leve e divertida - Foto: Divulgação

Não é novidade que muitas crianças não gostam de matemática, o que torna a temida matéria uma grande vilã nos boletins escolares. Com o objetivo de oferecer um material que estabeleça relações entre a matemática e os demais domínios do conhecimento de forma prazerosa, a professora do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade Federal Fluminense (UFF), Márcia Martins, lançou recentemente o livro "Matemática se aprende brincando - humor, desafios e curiosidades". Para Márcia, a motivação em escrever o livro foi o fato de acreditar que a motivação é o "x" da questão.

"Penso que o que quer que sejamos levados pela vida a fazer, flui com muito mais eficácia quanto estamos motivados. O entusiasmo desperta no humano uma capacidade de vencer obstáculos e ir além do que ele próprio imagina ser possível. Resolvi escrever um livro onde a matemática é abordada com o foco no lúdico, tentando trazer à tona leveza e diversão. A proposta é despertar um contato divertido e saboroso com a matemática", explica a professora.

O livro tem como base didática a experiência adquirida por Márcia ao longo de mais de 30 anos de magistério. O exemplar, o sexto de sua carreira, coroa o trabalho desenvolvido por tanto tempo junto ao alunado, dando voz a matemáticos importantes de diversos períodos e apresentando vários aspectos desse mundo tão instigante que é a matemática. A autora vai da poesia ao humor, passando por temas que inspiraram peças teatrais e filmes famosos. O lúdico é a palavra chave que dá norte aos capítulos.

"Acho que as verdades sobre as quais nos apoiamos se enriquecem na proporção em que nos alimentamos de conhecimentos, não apenas escolares ou acadêmicos. E isso aplica-se à matemática. Ela está sempre presente no cotidiano. Quem cozinha está o tempo todo a medir ingredientes usando, sem nem mesmo se dar conta, unidades de medidas. Os enfermeiros, médicos, padeiros, economistas, costureiros, músicos, engenheiros, artistas e um sem número de profissões também dependem de matemática para realizarem o seu ofício", disse a professora.

O livro pode ser adquirido no site da WAK Editora (www.wakeditora.com.br) e em qualquer livraria.

 

Os policiais estavam realizando ronda com a finalidade de coibir a prática de crimes na região - Foto: Divulgação

Agentes da 77ª DP (Icaraí) prenderam em flagrante neste domingo (06) um homem pelo crime de roubo a transeunte. Ele estava agindo em uma rua do bairro de Icaraí.

Os policiais estavam realizando ronda com a finalidade de coibir a prática de crimes na região quando perceberam que uma mulher estava sendo agredida. O autor era um homem que tentava roubar o aparelho de telefone celular da vítima e demais pertences pessoais guardados em sua bolsa.

Após a abordagem dos policiais, a vítima e o autor foram conduzidos à delegacia, onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante. Os bens foram recuperados e devolvidos à vítima. Verificou-se ainda que o criminoso estava evadido do sistema prisional.

Os quiosques só terão autorização para abrir nos horários em que as praias estiverem liberadas para atividades físicas individuais, das 6h às 12h30 e das 16h às 22 horas - Foto: Marcelo Feitosa

A Prefeitura de Niterói permite, a partir desta terça-feira (8), a retomada das atividades dos quiosques da orla da cidade e também a volta das feiras livres nas ruas. Para poderem funcionar, será preciso cumprir todas as regras de higiene, uso de máscara e distanciamento social determinadas pelos órgãos municipais. Os quiosques só terão autorização para abrir nos horários em que as praias estiverem liberadas para atividades físicas individuais, das 6h às 12h30 e das 16h às 22 horas.

"Não é possível ter um fiscal em cada rua, em cada canto de Niterói. Cada cidadão tem que seguir as medidas de prevenção ao coronavírus e orientar seus familiares, vizinhos e amigos. Temos observado um aumento de casos e mortes por Covid-19 com a retomada das atividades em outras cidades. Em Niterói, isso não aconteceu porque estamos todos engajados, governo municipal e cidadãos, no cumprimento dos protocolos. Mas só vamos continuar vencendo essa batalha pela vida se cada um de nós fizer a sua parte", disse o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves.

O secretário municipal de Ordem Pública, Paulo Henrique de Moraes, frisou que as barreiras sanitárias continuam funcionando, em especial nas entradas da cidade e no acesso às praias da Região Oceânica. Mais de mil estabelecimentos já foram autuados por não cumprirem os protocolos sanitários estabelecidos pela Secretaria Municipal de Saúde e cerca de mil pessoas foram multadas por não usarem máscaras nos últimos quatro meses.

"Esta pandemia tem nos trazido muitos desafios que só podem ser enfrentados com efetividade pelo conjunto da sociedade. A Guarda Municipal e a Fiscalização de Posturas têm orientado os estabelecimentos e as pessoas sobre o seu papel para deter o avanço do coronavírus. A nossa prioridade é a conscientização da população", ressaltou Paulo Henrique. "Peço que evitem as praias. A praia é liberada apenas para exercícios físicos individuais, em horários específicos. A permanência nesse local aumenta o risco de contaminação pelo coronavírus. Continuamos fazendo as barreiras e fiscalizando para conseguir manter sob controle a pandemia na nossa cidade".

Gerson Oliveira da Conceição é investigado por suspeita de participação na morte do pastor Anderson do Carmo - Foto: Divulgação

O filho afetivo da deputada federal Flordelis, Gerson Oliveira da Conceição, que é investigado por suspeita de participação na morte do pastor Anderson do Carmo, continua trabalhando no gabinete da mãe, mesmo com a determinação da Justiça que proíbe que a parlamentar mantenha contato com os investigados do caso.

Gerson exerce a função de secretário parlamentar no gabinete de Flordelis e recebe R$ 15,6 mil. Ele também é pastor do ministério comandado pela deputada e morou na casa da família de Flordelis até se casar.

Carlos Ubiraci e André Luiz de Oliveira, outros dois filhos afetivos da deputada federal, foram exonerados do gabinete da mãe após serem presos sob suspeita de participação na morte do pastor Anderson do Carmo.

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio apontaram ndícios de nepotismo e um possível esquema de rachadinha no gabinete da deputada. As provas obtidas pelas investigações foram encaminhadas para a Procuradoria Geral da República (PGR).

Há um mês, Flordelis foi apontada como mandante do crime. Como a deputada possui imunidade parlamentar, não pôde ser presa, no entanto deve cumprir algumas medidas cautelares, como se manter afastada de qualquer testemunha da morte de Anderson.

Principais espaços de Niterói reabrem após longo período, oferecendo cultura e arte com segurança - Foto: Divulgação/Thiago Cortes

Principal cartão-postal da cidade, o Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC), impressionante obra do arquiteto Oscar Niemeyer, fez aniversário na última quarta-feira, 2 de setembro. Assim como todos os espaços públicos e privados, em março deste ano o MAC fechou para o público devido à pandemia de covid-19. Mas, felizmente, para felicidade dos visitantes e moradores, o emblemático espaço reabriu no dia 8 de agosto, agora dentro dos padrões do chamado “novo normal”.

“O Museu completou 24 anos de muita contribuição à arte contemporânea. É referência para a cidade, para a região, e um dos cartões -postais do Rio de Janeiro e do país. Novamente aberto ao público, mas, claro, para garantir a segurança e a saúde dos visitantes e funcionários. E como atração, atualmente temos a exposição ‘O país ocupado’, da coleção MACJoão Sattamini”, destaca Marcelo Velloso, diretor do MAC.

Com projeção internacional, o MAC já foi matéria e estampou capas de diversos jornais e revistas do mundo, além de tema de documentários, de campanhas publicitárias e de inúmeros programas televisivos. Agora seguindo protocolos sanitários, atualmente no museu é permitido o acesso de 44 pessoas por vez.

Sinuosa e impactante, a jovem edificação foi Inaugurada em 1996 para abrigar as obras de João Sattamini – colecionador de obras de arte – considerado um dos mais importantes acervos do país. O museu conta também com a ‘Coleção MAC de Niteroi”, cerca de 500 obras de arte incorporadas ao acervo por meio de doções de aristas que ali fizeram exposições. O local passou por uma reforma inédita de modernização, em 2016.

Tendo à frente o diretor Marcelo Velloso e curadoria do mexicano Pablo León de la Barra e de Raphael Fonseca, o MAC de Niterói sempre apresentou, além das exposições diversas do acervo e externas, uma programação abrangente, que inclui exibição de filmes; debates; entre outras.

Exposição no Janete Costa - Também reaberto para o público desde o dia 8 de agosto, e seguindo todos os protocolos de segurança, no Museu Janete Costa de Arte Popular são permitidas 24 pessoas por vez. A recepção dos museus ganhou também um painel de acrílico para proteção dos visitantes e funcionários.

Como há dois salões expositivos no térreo e mais dois, no piso superior, serão permitidas 6 pessoas em cada um. A exposição “Construção de um acervo”, com obras de artistas de vários estados, ligadas à narrativa popular, poderá ser visitada pelo público, agora com uma nova roupagem.

Já com novidades, o espaço abre a partir do dia 9 de setembro (quarta), a exposição “Entre Fragmentos e Frestas”, com cerca de 80 obras, de 50 artistas, como Izabel Mendes, Agnaldo Santos, Itamar Julião, Chico Tabibuia, Jadir João Egídio, Mestre Didi, Mestre Guarany, Wuelyton Ferreiro, Maurino Araújo, Benedito, entre outros, cujas descendências africanas, além do alto nível de criação plástica, se manifestam, por meio da arte.

Os trabalhos fazem parte das Coleções de Jorge Mendes e Jorge Guedes, Irapoan Cavalcanti e Galeria Pé de Boi. Curadoria e cenografia de Jorge Mendes. “O nosso propósito é apresentar mestres da arte brasileira, onde a negritude, ancestralidade africana e contemporaneidade se manifestam através de suas obras e propõem um diálogo com o momento atual do Brasil, onde tentativas de censura, racismo e intolerância religiosa são diariamente vivenciados”, explica o curador.

Serviço: O MAC Niterói fica no Mirante da Boa Viagem, s/nº, Boa Viagem, Niterói-RJ. Visitação: de terça a domingo, das 10h às 18h. A bilheteria fecha 15 minutos antes. R$ 10 (inteira). Estudantes, professores e pessoas acima de 60 anos pagam meia (R$ 5). Entrada gratuita para estudantes da rede pública (ensino médio), crianças de até 7 anos, portadores de necessidades especiais, moradores ou nascidos em Niterói (com apresentação do comprovante de residência) e visitantes de bicicleta. Na quarta-feira, a entrada é gratuita para todos. Telefone: 2620-2400.

O Museu Janete Costa de Arte Popular fica na Rua Presidente Domiciano, 178, Ingá. A exposição “Entre Fragmentos e Frestas” vai de 9 de setembro de 2020 até fevereiro de 2021. De terça a domingo, das 10h às 18h. Entrada gratuita. Telefone: (21) 2705-3929

Instituição fica às margens da Rodovia RJ-104 - Foto: Marcelo Feitosa

“Proibido Roubo. Ass: Comando Vermelho”. É o que diz uma pichação no muro externo da Escola Municipal Antineia Silveira Miranda, localizada no bairro do Caramujo, Zona Norte de Niterói. Durante a pandemia, a escola serviu como posto para retirada de cartões do programa Renda Básica Temporária.

Chama atenção o fato de a instituição de ensino estar localizada às margens da Rodovia RJ-104, uma das mais movimentadas da região, importante ligação do eixo Niterói-São Gonçalo. Além disso, está a pouco menos de 2 km do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV) da Polícia Militar.

Questionada sobre uma possível interferência da facção no dia a dia da escola, a Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia e a Fundação Municipal de Educação de Niterói (FME) informam que, durante os períodos de aulas, não foram registrados problemas no entorno da escola. 

A Prefeitura também afirmou que a FME e a Guarda Municipal mantém um programa chamado ronda escolar, que prevê visitas diárias nas escolas, principalmente nos horários de entrada e saída, para garantir a segurança da comunidade escolar. 

Já a Polícia Militar afirmou que o comando do 12º BPM (Niterói) emprega seus efetivos no policiamento em viaturas, motocicletas e a pé diuturnamente. A corporação ressaltou que operações pontuais são realizadas rotineiramente com o objetivo de reprimir ações criminosas nas áreas de atuação dos batalhões.

A PM ressalta que é de suma importância que a população colabore realizando denúncias através do Disque-Denúncia (2253-1177) ou, para casos urgentes, através da Central 190. Os registros em delegacias também são essenciais, pois colaboram com a revisão do planejamento operacional na área onde a mancha criminal é mais acentuada.

Mais Artigos...

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.