João Pedro: depoimento de familiares será na próxima semana

Havia expectativa para que procedimento acontecesse nesta quinta-feira (28) - Foto: Reprodução

São Gonçalo
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O depoimento dos familiares do jovem João Pedro Matos Pinto, de 14 anos, morto durante operação policial no último dia 18, no Complexo do Salgueiro, será colhido apenas na próxima semana. Havia expectativa para que o procedimento acontecesse nesta quinta-feira (28), na sede da Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói.

De acordo com o Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública do Rio de Janeiro (Nudedh), os depoimentos dos responsáveis pelo menino e das testemunhas serão colhidos diretamente pelos promotores de Justiça do  Grupo de Atuação Especializada em Segurança Pública (Gaesp), na próxima semana.

No mesmo comunicado, o Nudedh informa que teve acesso, na última terça-feira (26), ao inquérito policial que apura as circunstâncias da morte do jovem João Pedro, ocorrida na semana passada em São Gonçalo.

Memória

João Pedro morreu após ser baleado, na tarde de segunda-feira (18), durante operação da Polícia Federal, com apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil, na região da Praia da Luz, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo. A família atribui aos policiais a responsabilidade pela morte.

Após ser baleado, o jovem foi socorrido de helicóptero pelos policiais e levado ao Grupamento de Operações Aéreas (GOA), na Lagoa, Zona Sul do Rio de Janeiro. Nenhum responsável foi autorizado a acompanhar o atendimento, e ficaram sem notícias até encontrarem o corpo do jovem no IML de São Gonçalo, na manhã de terça-feira (19).

As armas de três policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), que participaram da ação, que foram apreendidas pela DH, deverão ser periciadas ainda nesta semana. Os agentes envolvidos foram afastados temporariamente do serviço operacional. Segundo a DH, será feita a reconstituição do caso.