28
Qua, Out

Aulas on-line ganham espaço durante período de quarentena

Ana Porto Andrade, aluna do 3º ano do Ensino Fundamental do Gay Lussac, já está totalmente adaptada à rotina - Foto: Divulgação

Cidades
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Desde o decreto do Governo do Estado do Rio de Janeiro, publicado no dia 13 de março, escolas e instituições de ensino estão de portas fechadas, devido ao período de quarentena para conter a disseminação do coronavírus.

No último dia 16, as aulas presenciais foram suspensas pelo prazo de 15 dias, com previsão inicial de retorno no dia 30. Diante da gravidade da situação atual de saúde no Estado do Rio, a paralisação das aulas nos colégios públicos e privados pode chegar a três meses. A medida atende ao protocolo estabelecido pelo Gabinete de Crise de prevenção ao coronavírus e pela Secretaria de Estado de Saúde.

Com o objetivo de não atrasar o ano letivo e manter os alunos ativos nos estudos, escolas de Niterói adotaram alternativas online como forma de substituir as aulas presenciais.

O Colégio GayLussac implementou uma rotina de aulas online com interação profunda na sala de aula virtual através da plataforma Zoom, com o objetivo de tornar este período de quarentena um momento de aprendizado para professores, alunos e pais.

Como parte do plano de ação neste momento delicado foi desenvolvida uma rotina que preza o bem-estar físico e emocional dos alunos e das famílias. Além de incentivar que as crianças e adolescentes fiquem em suas casas, a escola está oferecendo um hall de atividades produtivas e atraentes para que elas mantenham a rotina de estudos durante esse período, incluindo aulas de pintura, animê e peças de teatro.

Para cada segmento foi feito um planejamento específico de acordo com a idade, da Educação Infantil ao Ensino Médio. A experiência de aulas online ainda está sendo uma aprendizagem coletiva, para que os alunos mantenham contato com o ambiente escolar, os professores e seus colegas.

"Nosso objetivo foi o bem-estar dos nossos alunos. Criar condições para que ficassem bem nesse período, seguindo nossas políticas de salvaguarda. A regulamentação do que está por vir nós analisaremos à medida que for sendo divulgada. Por enquanto são opcionais, e estamos tendo 95% de presença. Está sendo uma experiência emocionante e de grande êxito. Só temos a agradecer aos nossos professores. É hora de o Brasil reconhecer publicamente o valor do professor na vida das crianças", diz a diretora geral, Luiza Sassi.

O engenheiro Felipe Porto Andrade, pai da Ana, do 3º ano fundamental, aprovou a medida: "É uma situação extrema, que não sabemos quanto vai durar. As aulas online são uma novidade para todos. É difícil manter a criança concentrada, no computador, por tantas horas, mas é o melhor neste momento. Estamos apoiando e reconhecendo o privilégio que é contar com esta ferramenta. Sabemos que a maioria não tem este recurso", afirmou.

Os Colégios Salesianos Niterói, de Santa Rosa e da Região Oceânica, elaboraram um planejamento que contempla não só a manutenção dos estudos durante a suspensão das aulas, como também o cuidado com a saúde espiritual e emocional dos seus alunos e familiares.

Através de roteiros periódicos de estudos direcionados para cada série escolar, e de dicas Pastorais e Socioemocionais, a conexão com os alunos e familiares será realizada por canais variados, como o ClipEscola, Portal Edebê, Sistema Gennera e redes sociais.

Para manter em exercício o desenvolvimento de habilidades e competências previstas no currículo, a equipe pedagógica conta com ferramentas como as Plataformas Árvores de Livros, Evolucional, Redigir e o próprio Portal Edebê, criado pela Rede Salesiana Brasil de Escolas.

 

Parceria com a Google

 

O Colégio La Salle Abel também adotou diversas medidas durante o isolamento social. O efetivo de colaboradores da instituição foi reduzido e iniciado um trabalho com a equipe pedagógica para disponibilizar às famílias orientações de estudo para os primeiros dias de paralisação.

Em parceria com o Google for Education, a Rede La Salle está fazendo uso da ferramenta como suporte às aulas presenciais, mobilizando os professores e alunos com atividades e conteúdos na plataforma para que possam permanecer em atividade constante. Nesta plataforma, é possível a realização de fóruns, chats, videoconferências, disponibilização de conteúdos e atividades orientadas.

"O momento é de adaptação e aprendizado, estamos buscando diversas alternativas e consultando diversas fontes. Nosso trabalho é focado na formação integral dos nossos estudantes e precisamos agir com cautela para entregar o melhor aos nosso alunos. Compreendemos que o momento gera cobranças sobre a reposição de aulas, conteúdos digitais e aulas online, mas precisamos estar atentos à legislação e aos órgãos de controle e de orientação sobre o assunto", afirma o professor Antônio Pina, supervisor pedagógico da escola.

 

Gaylussac

 

O Colégio GayLussac implementou uma rotina de aulas online com interação profunda na sala de aula virtual através da plataforma Zoom, com o objetivo de tornar este período de quarentena em um momento de aprendizado para professores, alunos e pais.

Como parte do plano de ação neste momento delicado foi desenvolvido uma rotina que preza o bem-estar físico e emocional dos alunos e das famílias. Além de incentivar que as crianças e adolescentes fiquem em suas casas, a escola está oferecendo um hall de atividades produtivas e atraentes para que elas mantenham a rotina de estudos durante esse período. Dentre eles aulas de pintura, animê, peças de teatro, entre outras.

Para cada segmento, foi feito um planejamento específico de acordo com a idade, da Educação Infantil ao Ensino Médio. A experiência de aulas online ainda está sendo uma aprendizagem coletiva, para que os alunos mantenham contato com o ambiente escolar, os professores e seus colegas.

"Nosso objetivo foi o bem-estar dos nossos alunos. Criar condições para que ficassem bem nesse período, seguindo nossas políticas de Salvaguarda. A regulamentação do que está por vir nós analisaremos à medida que for sendo divulgada. Por enquanto são opcionais, e estamos tendo 95% de presença. Está sendo uma experiência emocionante e de grande êxito. Só a agradecer aos nossos professores. São incríveis. É hora de o Brasil reconhecer publicamente o valor do professor na vida dessas crianças”, explica a Diretora Geral, Luiza Sassi.

 

Rede pública on-line

 

Durante este período sem atividades presenciais nas escolas, a Secretaria de Estado de Educação disponibilizará, a partir desta segunda-feira (30), aulas online na plataforma Google Classrom.

 Os professores da rede pública estadual, nos seus horários de trabalho, ministrarão as atividades na plataforma online respeitando o quadro de horários das suas aulas presenciais. As Gratificações por Lotação Temporária (GLPs) dos docentes serão mantidas.

Os alunos que não tiverem acesso à internet receberão o material impresso em suas casas e, após o retorno das atividades presenciais, caso tenham necessidade, terão aulas de reforço. O método de avaliação e provas bimestrais dependerá do período de interrupção das atividades presenciais.

Para as escolas particulares que não tiverem a própria plataforma, a Secretaria de Educação buscará a viabilização deste serviço junto ao Google. A Seeduc também fornecerá o conteúdo didático para os colégios privados, caso necessário.

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.