Maricá faz ação para conscientizar sobre descarte irregular de cigarro

Iniciativa da Secretaria de Cidade Sustentável aconteceu na Praia de Ponta Negra durante a edição do programa Maricá+Verde - Foto: Divulgação

Maricá
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Cidade Sustentável, promoveu na quinta-feira (28) mais uma edição do programa Maricá+Verde, na Praia de Ponta Negra, com distribuição de 200 mudas nativas de Mata Atlântica, como ipês rosa, palmeira-garrafa, aroeira, tento-carolina, algodão da praia, entre outras espécies. Durante a ação, que aconteceu no Dia Nacional de Conscientização da Natureza, comemorado nesta quarta-feira, também foram distribuídas porta-bitucas para alertar sobre o descarte irregular da ponta de cigarro na areia.

No local, foi montada uma tenda com exposição de fotos que retratavam ações equivocadas, como o descarte de lixo na areia, pneus encontrados no fundo do mar, aves e animais marinhos enroscados em redes, além de um painel informativo sobre o tempo de decomposição de cada material despejado, como papel, caixas de papelão, pano, cigarro, chicletes, madeira, boia de isopor, entre outros objetos encontrados na praia.

“Hoje, além de toda a questão do plástico e dos resíduos jogados no oceano, que afeta a população do entorno, o cigarro é um dos resíduos mais poluentes porque tem mais de 370 toxinas que vão se decompondo. A bituca do cigarro leva em média cinco anos para se decompor e o composto químico é bioacumulativo. Estamos com esse trabalho de conscientização das pessoas”, afirmou a coordenadora do programa Maricá+Verde, Stela de Lima.

 

População apoia a ação

Vendedora de coco na Praia de Ponta Negra há 40 anos, Marina de Oliveira aproveitou a ação para completar o pomar montado no seu sítio. “Cultivo muitas plantas e não tenho a planta Tento Carolina. Achei diferente e estou levando para compor a minha florestinha que tenho onde moro”, disse.

A dona de casa Luzinete Lemos de Souza, de 63 anos, passeava na praia quando viu a tenda montada. “Gosto muito de planta e peguei a palmeira para se juntar às que tenho em casa. Tenho bananeira, cajá, acerola e mangueira. É importante termos ações assim, pois sem a natureza a gente não vive. Temos sempre que incentivar o plantio na nossa região”, comentou.

Ação de conscientização contra queimadas urbanas

Ao lado da tenda do Maricá+Verde, foi montado um estande do Parque Estadual da Serra da Tiririca, vinculado ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea), onde foram passadas instruções de combate ao incêndio e distribuídos materiais contra a queima de resíduos em residência como lixo e folha seca.

“É uma tradição aqui em Maricá que incomoda os vizinhos. As pessoas podem denunciar para a Polícia Ambiental, para a Guarda Municipal Ambiental ou ao Inea pelo telefone 2638-4411. Caso seja flagrado cometendo o crime, o autor pode ser penalizado com uma multa de até 25 mil reais, dependendo da gravidade e danos à saúde e ao meio ambiente”, explicou o coordenador de Guarda Parques da Serra da Tiririca, Marcelo Mendes.