NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Governo lança projeto-piloto de segurança em 5 cidades

Durante discurso, presidente Jair Bolsonaro fez elogios ao ministro Sergio Moro

Após uma semana de desconforto no Governo com rumores de que o ministro da Justiça, Sergio Moro, estaria enfraquecido no Executivo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) elogiou o ex-juiz federal e o chamou de "patrimônio nacional" durante evento na tarde desta quinta-feira (29), no Palácio do Planalto, para lançar projeto de combate à violência liderado pelo Ministério da Justiça.

"Se Deus quiser, vai dar certo esse plano-piloto, montado pelo Ministério da Justiça e Segurança, tendo à frente o senhor Sergio Moro, que é um patrimônio nacional", declarou Bolsonaro.

O projeto Em Frente, Brasil tem como objetivo o enfrentamento à criminalidade violenta por meio de forças-tarefas, a partir de ações conjuntas entre a União, os estados e os municípios. O projeto-piloto será implementado em Ananindeua (PA), Goiânia, Paulista (PE), Cariacica (ES) e São José dos Pinhais (PR). Serão investidos R$ 20 milhões para financiar as atividades, sendo R$ 4 milhões para cada município, ao longo dos próximos seis meses.

Na cerimônia de lançamento do projeto, no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro, ministros, governadores e prefeitos dos cinco municípios assinaram os protocolos de intenção para o início da primeira fase do projeto.

De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, os municípios que integram o projeto-piloto não são os mais violentos do país, mas registraram números absolutos de homicídios consideráveis nos últimos anos. O projeto tem como foco os crimes violentos, como homicídios, feminicídios, estupros, latrocínios e roubos.

Baseados no diagnóstico e nos índices de criminalidade, as cidades serão atendidas por meio da atuação transversal e multidisciplinar de iniciativas nas áreas da educação, saúde, habitação, emprego, cultura, esporte e programas sociais.

"É preciso nós termos segurança, é preciso nós termos policiais nas ruas, é preciso nós retirarmos de circulação o criminoso violento, o criminoso perigoso, mas também temos que enfrentar as causas da criminalidade, eventualmente relacionadas à degradação urbana, ao abandono e, para isso, nós precisamos aliar política de segurança sólida com políticas de outra natureza", disse o ministro Sergio Moro.

A primeira fase do projeto-piloto foi batizada de "choque de segurança", e inclui o emprego de diferentes forças policiais (federal, civil e militar) por meio de força-tarefa para desbaratar grupos criminosos organizados.

Scroll To Top