NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Niterói: câmeras a favor da segurança pública

Foram 236 ocorrências encerradas em quatro meses de funcionamento

A Rua Benjamin Constant, no Barreto, Zona Norte de Niterói, é um dos locais contemplados com os portais de segurança

Douglas Macedo

Com a ajuda dos Portais de Segurança, que já foram acionados quase 600 vezes, os índices de criminalidade apresentaram redução em Niterói. No mês de agosto, o número de roubo de veículos teve uma queda de 36,3%, em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram 157 ocorrências do tipo em agosto de 2018, número que caiu para 100 no mês passado, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP). O índice confirma a tendência de redução deste tipo de crime depois do início das operações do modelo de cercamento eletrônico que monitora as entradas, saídas e principais vias da cidade por um sistema de identificação inteligente através de mais de 500 câmeras. Diante dos resultados positivos, a Prefeitura de Niterói planeja ampliar o cerco em 25%.

Desde que entrou em operação, em maio deste ano, o Sistema de Cercamento eletrônico dos Portais de Segurança de Niterói, que funciona no Centro Integrado de segurança Pública (Cisp), teve o alarme acionado 585 vezes. Desse total, 236 ocorrências foram encerradas nesses primeiros meses de funcionamento. Além disso, 135 ocorrências foram abertas, ou seja, houve o alerta, porém, as equipes de campo não conseguiram a abordagem; 214 alertas diversos também foram emitidos, ou seja, veículos em análise, sob investigação por parte das forças de inteligência da Polícia Civil, Militar e Guarda Municipal. Através desse sistema, 21 veículos em situação de roubo/furto foram recuperados.

"Esse resultado reflete os investimentos da Prefeitura de Niterói na área de segurança pública. Atualmente, cerca de 60% do policiamento de Niterói é bancado pela prefeitura, por meio do Proeis e do Niterói Presente. Apostamos também muito na integração das forças de segurança, e em inteligência e tecnologia. Isso tem nos levado a essa redução significativa dos índices de criminalidade na cidade", disse o prefeito Rodrigo Neves.

O sistema é operado no Cisp por guardas-municipais treinados, além de policiais militares, e integrantes do Programa Niterói Presente. Toda vez que algo suspeito é identificado ou as câmeras visualizam qualquer tipo de ocorrência, os agentes acionam a força de segurança mais próxima do local. A ferramenta integra todas as forças de segurança estaduais, federais e municipais, além do Corpo de Bombeiros, NitTrans e Defesa Civil. Atualmente, o sistema conta com 522 câmeras.

O secretário municipal do Gabinete Integrado de Gestão de Segurança, Gilson Chagas, lembra que, apesar da segurança ser um papel do Estado, o município de Niterói investiu pesado nos últimos cinco anos ao disponibilizar ferramentas para ajudar as forças de segurança no combate à criminalidade. Já foram mais de R$ 100 milhões, e os investimentos continuarão, segundo ele.

O secretário municipal de Ordem Pública coronel Paulo Henrique de Moraes conta que, atualmente, 522 câmeras fazem o monitoramento da cidade. Mas, a ideia é ampliar ainda mais esse número. 

"Já está em curso o processo de renovação de contrato com ampliação, onde iremos ativar mais alguns pontos. A ideia é que esse aumento seja de 25%".

O professor de Direito Penal e especialista de segurança pública Daniel Habib conta como a tecnologia tem facilitado as entidades de segurança.

"Com a posse das informações geradas pelos softwares, os profissionais que atuam na área da segurança ou gestão do trânsito conseguem cruzar as informações do banco de dados gerado com órgãos de trânsito, assim como com fontes de dados das secretarias de segurança. Graças à tecnologia, se há um carro roubado, é possível monitorá-lo. E se existe muito congestionamento, é possível estudar as causas, sempre visando à melhoria do fluxo e à segurança das pessoas".

Scroll To Top