NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Incentivo ao mercado de aviação

Codin promove projeto que visa à criação de novos cursos para a formação técnica na área

Codin investe em cursos profissionalizantes do mercado da aviação civil

Divulgação / Força Aérea Brasileira

A Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin) iniciou o desenvolvimento de um projeto que visa à criação de novos cursos para a formação técnica de especialistas para o setor de aviação civil. A ideia é que o Estado do Rio de Janeiro retome o protagonismo neste mercado de capacitação de novos profissionais da área. Segundo o presidente da Codin, Fábio Galvão, os estudos poderão contar com sugestões das maiores interessadas na iniciativa: as próprias empresas aéreas.

“Os indicadores do transporte aéreo no mercado doméstico vêm se recuperando. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), no ano passado a demanda do setor cresceu 4,4%, gerando uma receita de mais de R$ 43 bilhões para as companhias aéreas. Precisaremos de novos profissionais preparados para atender os modais da aviação”, afirmou Galvão.

Na proposta está a formatação de iniciativa nos moldes da extinta Escola de Aperfeiçoamento e Preparação da Aeronáutica Civil (EAPAC), que formou alunos por mais de 60 anos em sua sede, que ficava na Estrada do Galeão, na Ilha do Governador. Dentre as atividades contempladas estarão a de Comissário de Bordo, Mecânico de Manutenção Aeronáutica, Agente de Aeroporto e Inglês Técnico. Além dos técnicos da Codin, a elaboração do plano terá a assessoria de profissionais do setor de aeronáutica, dentre eles o comandante Marcus Silva Reis, coordenador do curso de Ciências Aeronáuticas da universidade Estácio de Sá. Para o piloto, a futura redução do ICMS no querosene de aviação no Estado do Rio de Janeiro deve movimentar ainda mais o mercado fluminense.

“É uma decisão fundamental para o desenvolvimento do setor aéreo e, consequentemente,da economia do Rio de Janeiro. Possibilitará a abertura de novas bases e implementação de novos voos, com importante fomento ao Turismo e a geração de empregos”, detalhou Reis.

Ainda de acordo com dados da ANAC, o número de licenças concedidas no país para Comissários de Bordo e Mecânicos de Aeronaves cresceu 4,5% e 17%, respectivamente, em 2018. A expectativa é que esses números continuem avançando em 2019.

“Hoje, o país é o terceiro maior mercado doméstico do mundo, estando atrás de Estados Unidos e China. A partir disso, devemos reconhecer a grandeza e a importância do setor e compreender que a qualificação técnica dos agentes de ação do modal aéreo é um movimento estratégico”, concluiu Galvão.

Scroll To Top