NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Barcas: passageiros reclamam do tempo de intervalo

Segundo a concessionária, não houve aumento no tempo de saída das embarcações

Passageiros reclamam de loteamento das embarcações

Reprodução/Facebook

Passageiros reclamam do tempo de saída entre as barcas na manhã desta sexta-feira (14). Segundo relatos, o tempo de intervalo aumentou em 5 minutos, causando transtorno aos passageiros que estavam a caminho do trabalho na cidade do Rio de Janeiro, na embarcação Pão de Açúcar, que zarpou às 8h05.

Além do tempo de intervalo, os passageiros apontam para as embarcações lotadas, com uma boa parte das pessoas viajando em pé, situação desconfortável a elas.

“É uma realidade. Estão sempre lotadas agora, muita gente em pé. O que quase não acontecia até pouco tempo. Pelo menos no rush, podiam reduzir os intervalos.”, sugere um passageiro em post no Facebook.

Outro passageiro se preocupa com a segurança na embarcação.

“Em caso de emergência, será que há coletes salva vidas para todos? E as rotas de fuga?”, questiona no post na rede social.

Na última quarta-feira (12), ainda foi realizado um reajuste na passagem, antes praticada por R$ 6,30, para R$ 6,50, aplicando o índice de 3,29%, referente à variação do IPCA (índice de inflação calculado pelo IBGE) entre fevereiro de 2019 e fevereiro de 2020 (projetado).

A concessionária CCR Barcas esclarece que, de acordo com os registros do Centro de Controle Operacional (CCO), os intervalos médios de 15 minutos foram cumpridos na linha Praça Arariboia-Praça XV, na manhã desta sexta-feira. A título de exemplo, duas viagens foram realizadas no itinerário, entre 7h45 e 8h05, sendo a primeira com a embarcação Itacoatiara, às 7h45, e a segunda com a Pão de Açúcar, às 8h02, com 17 minutos de intervalo.

A empresa ainda pontua que, diferentemente dos demais transportes de massa, as barcas estão sujeitas às condições do tempo e de tráfego na Baía de Guanabara. Nevoeiros, chuvas, ventos fortes, mar revolto e força das marés, assim como o tráfego intenso, podem fazer com que as embarcações operem, por força dos procedimentos previstos nas regras internacionais de navegação, com velocidade reduzida, alterando o tempo de travessia. Da mesma forma, as condições climáticas e de maré podem alterar o tempo de atracação e desatracação.

A Concessionária acrescenta que a embarcação Pão de Açúcar tem capacidade para 2 mil passageiros e conta com 2.018 coletes salva vidas para adultos e 200 coletes salva vidas para crianças. Nesta manhã, esta embarcação realizou a referida travessia com 1.866 passageiros a bordo. A CCR Barcas não admite superlotação em suas embarcações. As catracas travam automaticamente quando o número de usuários atinge a capacidade do barco da vez, por medida de segurança à navegação e para impedir o excesso de pessoas a bordo.

Para reforçar ainda mais a segurança, em contingência, além da contagem eletrônica, a empresa dispõe de contagem manual de passageiros e marcações no piso, que servem para identificar aproximadamente a quantidade de pessoas prontas para embarcar.

Vale ressaltar que as embarcações que operam na linha Arariboia são projetadas para transportar usuários sentados e em pé, dentro das normas marítimas e fiscalizado pelos órgãos reguladores. No entanto, o fato de passageiros viajarem em pé pode causar a falsa sensação de excesso de pessoas a bordo.

A empresa informa ainda que, conforme previsto no Contrato de Concessão, na quarta-feira (12), o reajuste tarifário anual apenas corrige o valor de acordo com a inflação.

Scroll To Top