NITERÓI/RJ
Min:   Max:

'Rugas' faz refletir sobre velhice

Espetáculo que estreia na UFF tem a vida como tema principal. Direção é de Amir Haddad

As atrizes estudaram sobre o tema e levaram até o dramaturgo Herton Gustavo

Thyago Andrade / Divulgação

Tendo como principal objetivo desvendar o que rodeia a velhice, o espetáculo “Rugas” chega neste sábado (7) ao Teatro da UFF.

Com direção de Amir Haddad, a peça gira em torno da história de uma cientista gerontóloga (profissional que estuda o envelhecimento) que, por conta de seu trabalho e pesquisas, vai morar no exterior e acaba por perder o contato com a mãe. Um dia, o qual esperava ser comum de trabalho, a cientista recebe uma ligação informando sobre o estado de saúde precário de sua mãe, já com muita idade, e que precisa vê-la.

Para o diretor Amir Haddad, a peça não fala sobre a velhice em si.

“Em minhas mãos, o texto se transformou em uma peça sobre a permanência de vida em nossos corpos e não sobre sua morte. Eu tenho 82 anos e odeio ter que dissertar sobre a “velhice”. Não faria um espetáculo sobre a velhice. É sempre sobre a vida”, revela Amir.

A ideia para o espetáculo surgiu a partir de uma pesquisa feita pelas atrizes Vanja Freitas e Claudiana Cotrim, na qual buscavam responder às perguntas "Por que as palavras velho, velha e velhice são usadas de maneira pejorativa? E por que os velhos sofrem preconceito e, muitas vezes, se veem desamparados e rejeitados?”

Para Vanja, é importante que as pessoas se abram a uma reflexão sobre o tema.

“Começamos ( Vanja e Claudiana) a pensar sobre como parece ter um ‘pacto de silêncio’ em torno da velhice, como se ela não fosse chegar para ninguém e então se varre isso para debaixo do tapete, e a gente está vendo que o número de pessoas mais velhas está aumentando muito e também percebemos que a palavra “velho” é estigmatizada, como se fosse uma coisa ruim. Às vezes, fazemos debates e percebemos como é importante e necessário que as pessoas falem sobre a velhice”, expõe a atriz.

O Teatro da UFF fica na Rua Miguel de Frias, 9, em Icaraí. Todo o mês de setembro, aos sáb e dom, às 19h. Preço: R$ 50 (inteira). Telefone: 3674-7512

Scroll To Top