NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Will Smith em dose dupla no 'Projeto Gemini', de Ang Lee

Ator interpreta matador de aluguel que é perseguido por sua versão mais jovem

Smith real (Henry Brogan) X personagem digital: filme utiliza tecnologia 3D

Divulgação

Os fãs de Will Smith podem se alegrar, pois o astro retorna às telas de cinema nesta quinta-feira (10) com o longa "Projeto Gemini", do diretor Ang Lee, no qual seu personagem enfrenta uma versão mais jovem de si mesmo.

Will interpreta Henry Brogan, um dos melhores assassinos de elite que começa a ser perseguido por um misterioso agente que prevê todos os seus passos. Não demora muito para Henry descobrir que o agente que está tentando matá-lo é uma versão mais jovem e rápida de si mesmo.

Quando o desempenho do assassino começa a cair, a idade pesar e a desconfiança aparecer, os chefes de Henry decidem criar um clone mais jovem e forte para exterminá-lo. Diante dessa situação, a missão do protagonista é sobreviver diante da constante ameaça.

Além de Smith, Mary Elizabeth Winstead, Clive Owen e Benedict Wong fazem parte do elenco principal.

O diretor do filme tem a intenção de proporcionar aos espectadores o que chama de "inovadora experiência cinematográfica", ao utilizar a tecnologia 3D , que mistura o efeito tridimensional já conhecido com uma técnica de filmagem com altíssima contagem de quadros (60 FPS).

O rejuvenescimento de Smith foi feito através de uma recriação, em computação gráfica, de tempos em que ele atuava em séries como "Um Maluco no Pedaço" e filmes como "Independence Day".

O personagem é completamente digital, mas os produtores afirmam que os espectadores não saberão a diferença entre o real e digital.

O filme é o primeiro da história a ser exibido em 60 FPS, possibilitando notar mais detalhes do cenário e elementos que passariam despercebidos na projeção normal.

Scroll To Top