NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Festival Rock 80 agita Niterói neste final de semana

Evento na Zona Sul integra as comemorações do aniversário da cidade

A cidade de Niterói completa 446 anos no dia 22 de novembro e a Prefeitura preparou uma intensa agenda cultural para celebrar a data, com festivais de música, dança e shows com diversos nomes consagrados. Tudo de graça. No segundo fim de semana das comemorações, de 08 e 10, a Praça do Rádio Amador, em São Francisco, recebe o Festival Rock 80, que promete reviver os anos de ouro do rock brasileiro, com bandas consagradas, artistas em ascensão e locais.

Entre as principais atrações, destacam-se bandas como Biquini Cavadão, Uns e Outros e Blitz que fizeram muita gente, hoje na faixa dos 50 anos, se divertir a valer. Bandas como Amákina, Radial 80, Hexotria, Nykity Skynyrd, Dona Velha, Tico Santa Cruz e O Rebu e Banda W completam a programação.

Na sexta-feira, 08, a agenda começa às 19h com a banda Amákina. Fundada em 2008 pelos amigos niteroienses Tuca Marques (voz e guitarra), Gerson Monteiro (baixo) e Aldo Sá (bateria), o grupo apresenta um repertório autoral e versões inéditas de clássicos da MPB e sucessos nacionais e internacionais. Em 2016, o trio lançou o CD "Na estrada - O Rock’n Roll Move as Engrenagens", que com oito canções, mostra a influência do Rock anos 70 e 80.

Logo em seguida, às 20h30, sobe ao palco a Radial 80, banda formada em 2014 por quatro amigos loucos por música, com rock n' roll no DNA e com vasta experiência musical. De forma visceral, Thiago Frasão (vocal), Alex Kerth (guitarra), Serjão Allaúde (baixo) e Cadu Braga (bateria) musicalizaram esse projeto com repertório composto por músicas que marcaram a geração dos anos 80 e 90, de bandas como The Beatles, Creendence, The Smiths, Bon Jovi, Whitesnake, Legião Urbana, Paralamas, RPM, Lulu Santos e outros grandes ícones do bom e velho Rock.

Para fechar a noite de sexta-feira, às 22h20, a banda Biquíni Cavadão apresenta um show recheado de clássicos de seu repertório. Surgido em 1985, o Biquíni Cavadão nasceu do encontro, ainda em colégio, de Bruno Gouveia (vocal), Miguel Flores da Cunha (teclados), Sheik (baixo) e Álvaro Birita (bateria). Contaram com a ajuda de Herbert Vianna na gravação de sua primeira música, "Tédio", cuja execução na Rádio Fluminense FM, lhes rendeu o primeiro disco. De Herbert também veio a sugestão do nome da banda e não demorou muito para eles completarem a formação com Carlos Coelho, nas guitarras. Mais de trinta anos se passaram e os garotos de 18 anos que iniciaram esta jornada continuam pulando nos corações do agora quarteto, Bruno, Miguel, Alvaro e Coelho.

A banda niteroiense Hexotria abre os trabalhos no sábado, 10, às 17h45. Integrada por Marquinhos Gusmão (guitarra e voz), Ciro Mendes (bateria) e Matheus Gomes (baixo), a Hexotria se uniu há três anos com o propósito de criar músicas autorais que passem ao público um pouco da essência do trio. A banda conta com influências do rock clássico e contemporâneo, buscando deixar um toque de "Hexotria" nos covers que apresenta ao vivo.

Às 18h15, a banda Nykity Skynyrd sobe ao palco para apresentar um trabalho de pesquisa musical em cima da obra do grupo norte-americano de rock sulista Lynyrd Skynyrd. Glauco Prunes (voz), Marcelo Toledo e Paulo Gatti (guitarra), Leandro Souto Maior (baixo) e Ewerton Gama (bateria) mantém a tradição iniciada nos anos 80 pela banda Alabama, de homenagear os fãs do grupo liderado pelo cantor e compositor, falecido em 1977, Ronnie Van Zant.

O encerramento da programação do sábado, às 22h30, fica por conta da banda Uns e Outros, que com 25 anos de carreira, é um ícone indiscutível do cenário pop-rock nacional dos anos 80. Ao longo desse tempo de estrada, a banda consolidou seu trabalho junto ao público por meio de músicas como o megahit "Carta aos Missionários" e outros grandes sucessos como "Dias Vermelhos", "Dois Gumes", "Anjo Negro" e "Depois do Temporal". Devido às belas melodias e letras inteligentes de suas canções, o Uns e Outros passou a ser referência de sucesso e qualidade no cenário nacional. Marcelo Hayena (vocal), Gueu Torres (baixo) e Nilo Nunes (guitarra) prometem um espetáculo repleto de sucessos dos discos quer marcaram fundo toda uma geração de brasileiros.

No domingo, 10, às 17h45, o palco da Praça do Rádio Amador recebe o quinteto Dona Velha, formado por André Cavalleiro (vocal), Marcelo Junqueira (guitarra), Mairon Alonso (guitarra), Ricardo Orlandinni (baixo) e Bruno Pereira (bateria e percussão). Fundada em 2011, a Donna Velha foi inicialmente criada para a realização de um evento. Com o sucesso da apresentação, os integrantes decidiram manter o projeto e, hoje, após 7 anos de estrada, a banda possui uma formação sólida e um trabalho reconhecido pelos seus seguidores. O nome da grupo foi uma forma de homenagear as músicas "antigas", sem perder o humor e a rebeldia do rock n roll. Seu repertório engloba majoritariamente os grandes sucessos do Pop Rock Nacional e Internacional desde a década de 60.

Às 19h15, a Banda W se apresenta com um repertório formado basicamente pelo pop rock nacional e internacional, passeando pela MPB, e sem esquecer os clássicos da Black Music. A banda nasceu de uma parceria de mais de 15 anos entre o vocalista Gustavo Werneck e o Guitarrista Willian Jorge, que se uniram aos experientes músicos, o guitarrista Willian Jorge e o baixista Thiago Fernandes.

O cantor e compositor Tico Santa Cruz nunca escondeu que sua maior formação tem como importante referência, o rock brazuca dos anos 80. Por isso, quando não está excursionando com os Detonautas, Tico montou um projeto paralelo denominado "O Rebu", que traz aos palcos músicas clássicas do período, como "Ideologia", "Pro dia Nascer Feliz", "Cowboy fora da lei", "Exagerado", "Fumando na Escuridão", entre outras leituras, transportando para o palco um grande bailão do rock nacional em um showzão que promete fazer o público cantar, dançar e se emocionar do início ao fim. O Rebu é formado por Renato Rocha na Guitarra, Fábio Brasil na bateria e André Macca no baixo. Esse é o trabalho que o público vai conferir a partir das 20h45.

No encerramento do Festival Rock 80, a "inclassificável" banda Blitz promete uma viagem ao ano de 1982, quando iniciava sua trajetória no palco do icônico Circo Voador, no Rio de Janeiro. Em julho daquele ano, a banda gravou o compacto "Você não soube me amar" que atingiu a marca de um milhão de cópias vendidas. Com sua origem no grupo teatral Asdrúbal Trouxe o Trombone, o grupo liderado por Evandro Mesquita mudou o panorama das rádios e das gravadoras do Brasil. Com os shows na Praça da Apoteose, em 1984, e no primeiro Rock In Rio, em 1985, a Blitz incorporou a linguagem teatral ao rock, gerando polêmica e admiração no mundo da música. A formação atual é Evandro Mesquita (vocal, guitarra e violão), Billy Forghieri (teclados), Juba (bateria), Rogério Meanda (guitarra), Cláudia Niemeyer (baixo), Andréa Coutinho (backing vocal) e Nicole Cyrne (backing vocal).

Scroll To Top