NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Evento aproxima autores e leitores

"I Salão do Leitor - Niterói Cult" ocupa o Solar do Jambeiro, em 4 dias inteiros de programações literárias

Grandes autores participam de festa literária com foco no público leitor

Divulgação / Cris Isidoro

As comemorações pelo aniversário de Niterói continuam com o "I Salão do Leitor - Niterói Cult", que vai ocupar o histórico Solar do Jambeiro com diversas atividades literárias e com as presenças de alguns dos mais importantes autores, artistas e pensadores brasileiros, que vão falar de humor, política, futuro, cinema, quadrinhos, escrita, conto, prosa e poesia, sempre pautados pelo protagonismo do leitor, o "consumidor final".

Na programação, nomes como Paulo Lins, Roberto DaMatta, Claudia Nina e Cristiane Costa (21/11); Laura Carvalho, Marcelo Moutinho, Luiz Ruffato, Ana Maria Gonçalves, Cristian Brayner, Samuel Abrantes e Flávia Oliveira (22/11); Marco Lucchesi, Ricardo Aleixo e Claufe Rodrigues (23/11) e Rosane Svartman, Eliane Alves Cruz, Otávio Jr, Luciana Bezerra e Luciano Vidigal (24/11).

Paralelos aos encontros, há o palco aberto e "farmácia literária", batalhas poéticas em rodas de rima e slams de poesia, sarau, feira de HQs, oficinas da escola de desenho Animator Studio e contação de histórias, além de atividades para crianças e idosos oferecidas pela Biblioteca Parque de Niterói.

Com a proposta de oferecer ao leitor um encontro mais próximo e acessível com autores e artistas, o evento proporciona ao público um amplo espaço para a fala e troca de ideias. Para participar das mesas da programação principal e oficinas, basta se inscrever através do endereço eletrônico bit.ly/vemprosalao.

E o público está convidado a participar ativamente. Antes de cada encontro da programação principal, tem o "Minuto do leitor", onde os visitantes ocupam o palco para falar sobre os temas propostos e suas experiências como consumidor de cultura. Um microfone vai estar aberto o tempo todo e de livre acesso para poesia, prosa, recados e manifestos do público e convidados.

Outra atividade proposta para os leitores é a "Pharmácia de Encantamentos", uma "farmácia literária", onde boticários especialistas da Biblioteca Parque vão fazer atendimento literário-farmacêutico, com prescrição de livros (cuidado com os tarja-preta!).

Em parceria com o Animator Studio, referência na formação em desenho e animação, vai haver, ainda, uma exposição de quadrinhos aberta durante o Salão, e feira de quadrinistas independentes no fim de semana. Oficinas de história em quadrinhos, mangá, animação em stop motion e brush lettering (de 21 a 24, com turmas das 10h às 12h e das 14h às 16h, com vagas limitadas) complementam a programação.

E não para por aí. Música com o coletivo UjimaGang leva para o Salão do Leitor uma edição especial do Baile da UG, com roda de rima e DJs animando a sexta-feira com hip-hop, trap, funk, samba e soul, nos Jardins do Solar do Jambeiro, no dia 22, às 20h.

Todas as atividades do I Salão são gratuitas e têm como eixo o leitor e o ler, experimentado nas mais diversas formas, sem hierarquias ou disciplinas.

O Solar do Jambeiro fica na R. Pres. Domiciano, 195 - Ingá, Niterói. De 21 a 24 de novembro das 10h às 22h. Entrada franca.

Programação completa

21 de novembro | Quinta-feira

Programação I Salão do Leitor

9h – Abertura do I Salão do Leitor

Débora Moreno, Fernanda Sixel e Hildegard Angel (curadora) 

10h - Sociedade relacional ou polarizada?

Em suas relevantes obras, Gilberto Freyre e Roberto DaMatta pensaram a sociedade brasileira por meio de metáforas da mediação de conflitos, respectivamente, o equilíbrio de antagonismos e sociedade relacional. Como reaprender a lidar com posições extremas no Brasil polarizado de hoje em dia?

Roberto DaMatta (Antropólogo e professor, referência intelectual brasileira)

Mediação: Valter Sinder (UERJ / PUC-Rio) 

14h - Fórum - Como será a Festa Literária de amanhã?

Como será o amanhã? O samba-enredo esclareceu a dificuldade da pergunta: Responda quem puder. Neste Fórum, dedicado à organização de encontros literários, uma resposta possível se delineia. No caso, a criação de redes de diálogo e o estabelecimento de novas cooperações podem fecundar e ampliar o alcance das Festas Literárias atualmente realizadas no estado do Rio de Janeiro.

Bruno Vater (CUFA - Festival Favela Literária); Celso Possas Jr. (Feira Literária de Niterói - Flinit); Cristina Oldemburg (Festa Literária da Serra Imperial - FLISI); Dani Bernardino (Festa Literária das Periferias - FLUP); José Fontenele (Festa Literária de Campo Grande - Flicamp); e Rodrigo Santos (Sarau Noite na Taverna).

Mediação: Victor De Wolf (Secretário das Culturas de Niterói) 

16h - O público leitor do futuro

As festas literárias que se multiplicam no Brasil somente vão alcançar seu pleno potencial no momento em que a formação do público leitor do futuro ocupar o centro dos encontros. Como vai ser a leitura num mundo cada vez mais dominado pelo universo digital e audiovisual?

Paulo Lins (Escritor e roteirista, autor de “Cidade de Deus”)

Mediação: João Cezar de Castro Rocha 

18h - De perto e de longe

A cultura brasileira definiu-se, desde o século XIX, por meio de uma oscilação entre o próprio e o alheio, isto é, entre o olhar estrangeiro e a determinação nacional. Como se forma um olhar literário forjado na distância, no exílio, no desterro, na mudança abrupta de rumos?

Cristiane Costa (Escritora e professora-doutora da ECO-UFRJ, autora de “Sujeito Oculto”) e Cláudia Nina (Doutora em Letras e romancistas, autora de “Esquecer-te de mim” e “Paisagem de porcelana”.

Mediação: Ana Maria Amorim

19h - Um Brinde à Poesia (Varanda do Solar), com a poeta Lucilia Dowsley

20h - Poetry Slam - Batalha de poesia falada (Jardins do Solar)

Slam Res.Peita e Slam Praça Preta

Slammaster e poeta convidado: Rodrigo Santos (Noite na Taverna)

Programação Ocupação Biblioteca Parque de Niterói - Salão Vermelho

10h - Oficina de Origami

12h - Encontro de Paulo Lins com alunos

15h - Mar de Estórias - Contação de histórias com Bia Hetzel e Mariana Massarani, autoras do infantil “Bagunça no Mar”

17h30 - Lançamento do livro ‘Estão Matando os Humoristas’, de Beto Silva (autógrafos, selfies, beijinhos e papo com o autor!) 

22 de novembro | Sexta-feira

Programação I Salão do Leitor

10h - A Biblioteca de Foucault

A imagem consolidada do bibliotecário remete a uma pessoa protegida por anacrônicos balcões, como se estivesse entrincheirada, em guarda contra uma figura impertinente: o público leitor. Como alterar essa imagem, transformando a biblioteca em um espaço sedutor e inclusivo?

Cristian Brayner (Bibliotecário da Câmara dos Deputados e um dos mais importantes pensadores da renovação do espaço e das funções da biblioteca.)

Mediação: João Cezar de Castro Rocha (UERJ)

12h - A moda na construção da imagem midiática

O universo digital potencializou, na forma de uma cultura do selfie e da exposição contínua, a preocupação com os modos de autoapresentação associados à projeção da própria imagem tornou-se onipresente. Nesse cenário, como repensar a ideia mesma de moda?

Samuel Abrantes (Professor da UFRJ e histórico figurinista de teatro, cinema e carnaval)

Mediação: Hildegard Angel (Curadora – Instituto Zuzu Angel)

14h - Quem conta um conto…

O conto é geralmente visto como um gênero menor, como se fosse um laboratório. Ademais, costuma-se apontar a comercialização do gênero, que seria mais difícil do que a do romance. No entanto, a literatura brasileira sempre possuiu e possui contistas de altíssimo nível, assinalando a potência do gênero.

Evando Nascimento (Escritor e ensaísta, autor de “Cantos profanos”) e Marcelo Moutinho (Um dos mais consagrados contistas da literatura brasileira, autor de “Ferrugem”, Prêmio Clarice Lispector da Biblioteca Nacional)

Mediação: Daniele Ramalho

16h - Ensaios e erros

O ensaio como forma, ou seja, como gênero próprio, tem estimulado discussões de grande fecundidade. Ao mesmo tempo, o ensaio tem sido na história do pensamento social brasileiro uma ferramenta intelectual indispensável para pensar o país, sua formação e seus impasses: ensaios e erros, por assim dizer.

Laura Carvalho (Professora da USP e autora do best seller “Valsa brasileira: do boom ao caos econômico”)

Mediação: Rita Palmeira

18h - Que país é este?

A ficção desempenhou na cultura brasileira um papel ensaístico de grande importância desde o século XIX. Autores como José de Alencar e Machado de Assis, a par de desenvolverem projetos literários próprios, ajudaram a pensar o país. Como se situa a ficção do século XXI em relação a esse projeto?

Luiz Ruffato (Premiado autor de “Eles eram muitos cavalos”, marco literário nacional) e Ana Maria Gonçalves (Autora do épico “Um defeito de cor”, que está sendo adaptado em super-série da TV Globo)

Mediação: Flávia Oliveira

19h30 - Poesia de Ana Cruz (Varanda do Solar)

20h - Baile da UG com Roda de Rima (Jardins do Solar)

O coletivo UjimaGang leva para o Salão do Leitor O MELHOR BAILE DE NITERÓI!

Programação Ocupação Biblioteca Parque de Niterói - Salão Vermelho

11h - Tapetes Indígenas Contadores de Histórias - contação de histórias + oficina de artesanato com Edith Lacerda e Silvia Carvão

14h30 - Colo de Avó - contação de histórias

16h - Oficina Tecendo Textos com fios indígenas

18h - Aula de Dança

18h30 - Coisas da Antiga / Música e literatura 

23 de novembro | Sábado

Programação I Salão do Leitor

14h - Cultura como projeto de vida

Formação: palavra-chave, herdada do romantismo alemão, imortalizada no gênero do Bildungsroman, justamente o “romance de formação”. A noção de Bildung implica o gesto de sich bilden, isto é, o construir-se, o edificar-se. Como tornar a cultura um método de auto aperfeiçoamento em pleno século XXI?

Marco Lucchesi (Presidente da Academia Brasileira de Letras)

Mediação: Anélia Pietrani

16h - Poesia numa hora dessas?

Ricardo Aleixo recorda: “(...) o poemanto / é um modo de contestação / das velocidades”. Como tornar o tempo da performance alheio à celeridade contemporânea? Claufe Rodrigues pergunta: “Por quantos séculos / ainda teremos que escrever versos afoitos / em noites famintas / à beira do fracasso/ meu grande poeta Jorge de Lima?” Numa hora dessas, como afirmar a potência da poesia?

Ricardo Aleixo (performer e artista visual, um dos mais potentes e originais nomes da poesia brasileira contemporânea) e Claufe Rodrigues (jornalista, músico e poeta, integrante original do grupo “Camaleões”)

Mediação: João Cezar de Castro Rocha (UERJ)

Programação Ocupação Biblioteca Parque de Niterói - Salão Vermelho

11h30 - Tuiny - Contação de Histórias

14h - Cascudinho, o peixe contador de histórias - conversa com autor José Ribamar Bessa

15h30 - "Um Novo Par" - contação de histórias com Mariana Samora 

24 de novembro | Domingo

Programação I Salão do Leitor

Solar do Jambeiro

10h - Cinema: Releituras

O cinema nacional possui uma relação orgânica com a literatura: alguns de seus maiores sucessos surgiram da transcrição de textos clássicos para as telas. Ao mesmo tempo, o cinema brasileiro já se constituiu numa referência. Como cineastas jovens lidam com os clássicos da sétima arte?

Luciana Bezerra (cineasta, roteirista e escritora, autora de “Meu destino era o Nós do Morro”) e Rosane Svartman (cineasta, roteirista e autora de telenovelas; “Bom Sucesso” entre elas)

Mediação: Luciano Vidigal

14h - Fórum de Clubes de Leitura

No século XVII, o filósofo francês Descartes referiu-se à leitura “como uma conversa com os melhores espíritos dos séculos passados”. No século XVIII, o autor romântico alemão Jean-Paul recordou que “livros são cartas dirigidas a amigos, apenas mais longas”. Em pleno século XXI, os Clubes de Leitura atualizam essa potência da leitura literária, permitindo formas novas de apropriação da tradição.

Clube de Leitura Icaraí, Clube de Leitura Palavra Mágica, Clube de Leitura da Blooks, Clube de Leitura Papa Livros

Mediação: Otávio Jr

16h - Futuro do público leitor

Por muito tempo, e não apenas no Brasil, o repertório literário padecia de um limite: sempre se achava feio o que não era espelho e a imagem nele projetada refletia uma parcela pequena da população. Em que medida o futuro, e necessário, aumento do público leitor dependerá da ampliação do repertório literário?

Eliana Alves Cruz (Jornalista e escritora, autor de “O Crime do Cis do Valongo”)

Mediação: Maria Aparecida Andrade Salgueiro

19h - Poetry Slam (Jardins do Solar)

Slam Res.Peita e Slam Praça Preta

Slammaster e poeta convidada: MC Martina (Slam Laje)

Programação Ocupação Biblioteca Parque de Niterói - Salão Vermelho

10h30 - Tatu Canta Cá

11h30 - Daniele Ramalho – Contação de histórias

15h - Verônica Marcílio – Contação de histórias

16h - Helio de La Peña - Conversa com o autor e leitura de seu livro “Vai na bola, Glanderson!”, romance de humor que se passa nos campinhos de pelada dos subúrbios cariocas.

17h - Clarissa Worcman - oficina de teatro e contação de histórias

18h - Baile da Barraca (forró)

Scroll To Top