NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Bruno Henrique e Vinícius jr são elogiados por Tite

Treinador defendeu o jovem do Real Madrid e destacou a versatilidade do atacante do Flamengo

Bruno Henrique vibra com momento que está vivendo na carreira

Reprodução / CBF TV

Depois de conquistar a Copa América, a Seleção Brasileira volta a campo nesta sexta-feira para enfrentar a Colômbia, às 21h30 (de Brasília), em Miami, nos EUA. Às vésperas desse primeiro amistoso, o técnico Tite concedeu entrevista coletiva e falou a respeito de dois estreantes da canarinho, Vinicius Junior e Bruno Henrique.

"Conversei com o Vinicius e ele disse que as coisas aconteceram muito rápido. Às vezes a gente superestima a capacidade de maturidade de um atleta que ontem estava na base do Flamengo e agora está no Real Madrid. Tem que ter cuidado. Sei que ele está amadurecendo, mas ainda é cedo.", analisou.

Como resultado da sua falta de regularidade dentro de campo, Vinicius sofreu críticas na Espanha. Segundo o treinador, é natural que um atleta em fase de desenvolvimento atravesse momentos como esse.

"É compreender o lado humano do garoto de 19 anos. Desempenho e confiança andam lado a lado. Essas oscilações na parte técnica vão acontecer. Um garoto que tem potencial no um contra um numa velocidade. Mas seguramente tanto Zidane quanto Solari sabem desse processo. Às vezes as correções acontecem, mas não na pressão exagerada. E sim na cobrança com orientação", completou.

Convocado pela primeira vez para vestir a amarelinha, Bruno Henrique vive, no Flamengo, o melhor momento de sua carreira. Com 18 gols na temporada, o atacante foi lembrado por Adenor como um jogador versátil. "Não é falso 9, é verdadeiro 9. Às vezes a gente entende o 9 como o pivô que fica lá na área e não dá profundidade. O Bruno pode trabalhar e já trabalhou nas três funções na frente", explicou.

Por fim, o comandante projetou o confronto contra a seleção de Carlos Queiroz. "Quando nós enfrentamos nas Eliminatórias, foi a que mais embate técnico nós tivemos. Os dois jogos foram muito difíceis com competição física e lealdade técnica. A Colômbia já vinha com uma base de muita qualidade, faça-se o registro. Nós enfrentamos agora uma seleção que continua sólida, independente de não estar com o James", finalizou.

Scroll To Top