NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Golpe do ‘carro quebrado’ faz vítimas em Niterói

Aposentado e técnico de informática tiveram prejuízo de quase R$ 5.000 por bandidos que se passaram por amigo e primo, respectivamente

Caso foi registrado na 76ª DP

Lucas Benevides

Duas pessoas foram vítimas do “golpe do carro quebrado”, nesta quarta-feira. A dinâmica de ambos os casos é semelhante: um falso parente ou amigo telefona dizendo que “o carro quebrou na estrada”. Somados, os prejuízos chegam próximo aos R$ 5 mil.

Um aposentado de 80 anos, morador de Niterói, debilitado por uma cirurgia feita na última semana, recebeu a ligação de um homem se passando por um amigo, morador de Natal-RN, que era esperado para se hospedar na casa da mãe da vítima em virtude do Rock in Rio, que acontecerá no próximo fim de semana.

O golpista afirmou que estava com o carro enguiçado na Linha Vermelha, via expressa que fica na Zona Norte do Rio de Janeiro e telefonando do celular de um suposto amigo. O criminoso passou o telefone de um falso mecânico, que informou que o serviço ficaria orçado em R$ 1.880.

Entre ligações feitas para o falso mecânico e para o golpista, o idoso foi informado pelo suposto amigo que o serviço não poderia ser pago com cheque, única forma que possuiria no momento, e pediu que fosse feito pelo aposentado via depósito bancário. Após o criminoso passar uma conta, em nome de uma pessoa física, a vítima foi ao banco do qual é cliente e efetuou o pagamento.

Cerca de uma hora depois, o mesmo golpista fez nova ligação, informando que “seu carro apresentou outro problema”. Um novo orçamento falso foi apresentado e, desta vez, o conserto ficaria em R$ 2.200. O idoso acreditou e repetiu o procedimento, realizando o depósito na mesma conta bancária.

Em seguida, o criminoso tentou repetir o golpe, telefonando para a vítima e informando que seu automóvel havia apresentado defeito pela terceira vez. Dessa vez, o idoso, já sem dinheiro em conta, desconfiou, foi ao banco tirar um extrato e se deslocou à delegacia para registrar a ocorrência.

A Polícia Civil apurou que a conta do falso mecânico é de uma agência do Banco Itaú localizada na cidade de Goiânia-GO. De acordo com dados preliminares da investigação, é possível que o telefone do amigo da vítima tenha sido clonado para que o golpista possuísse tais informações.

Também na manhã desta quarta-feira, um técnico de informática, morador do Largo da Batalha, caiu no "golpe do carro quebrado". Neste caso, o prejuízo foi de R$ 850 reais.

Segundo a vítima, Luis Carlos Araújo, de 36 anos, um homem que se identificou como seu primo o telefonou de um número desconhecido alegando que estava com o carro quebrado na Rodovia Presidente Dutra enquanto iria "fazer uma surpresa aos pais da vítima", que também moram em Niterói. A justificativa era de que estava ligando de um número profissional.

O golpista primeiro alegou que estava com o radiador de seu carro quebrado e solicitou que Luis telefonasse para a seguradora. A falsa companhia, identificada como "Brasil Seguros", que ficaria em São Paulo, afirmou que estava indo ao local.

Quando os técnicos supostamente chegaram, o primo afirmou que o valor do conserto ficou em R$ 850,a companhia não aceitava pagamento em cartão, estava sem dinheiro em espécie naquele momento e pediu que a vítima entrasse em contato com a companhia. Luis ligou para a falsa seguradora que passou a conta bancária de uma pessoa física, que seria a suposta "proprietária" da empresa.

Durante o contato com o falso primo, Luis, sem perceber que estava sofrendo um golpe, perguntou se quem estava falando era um primo real seu chamado Hélder. O criminoso, então, confirmou a falsa identidade, o que tranquilizou a vítima por um tempo.

No entanto, o golpista telefonou novamente minutos depois afirmando que outra peça do carro, o cabeçote, havia quebrado e que precisaria fazer o mesmo procedimento. Novamente Luis telefonou para a seguradora, que passou a conta bancária de uma outra pessoa, causando estranheza à vítima.

Luis telefonou, já desconfiado, para o falso primo e perguntou o nome de sua mãe. Quando o criminoso disse um nome falso, a vítima percebeu que havia caído em um golpe. Imediatamente, Luis tentou ir ao banco onde possui conta, no Centro de Niterói, para reaver seu dinheiro. Ele foi orientado a ir à delegacia para registrar a ocorrência.

Os casos foram registrados e estão sendo investigados pela 76ª DP (Niterói).

Falso sequestro

Uma idosa de 78 anos foi vítima de outro tipo de estelionato: o golpe do falso sequestro. Criminosos conseguiram extorquir R$ 1.000 da vítima.
A aposentada, que mora no Centro de Niterói, recebeu uma ligação afirmando que sua filha havia sido raptada. Os supostos sequestradores exigiram a quantia citada anteriormente como pagamento do resgate.
A idosa se desesperou. Ela possuía R$ 300 em casa e foi ao banco sacar mais R$ 700. Ela efetuou o depósito a uma conta bancária da Caixa Econômica Federal em uma agência das Casas Lotéricas.
Após depositar o dinheiro, a mulher encontrou uma amiga, enquanto falava com os criminosos pelo celular. Esta amiga desconfiou e telefonou para a filha da aposentada, que atendeu a ligação, comprovando que não havia sido sequestrada. Ao perceberem que se tratava de um golpe, as mulheres procuraram a polícia.
O caso também está sendo investigado pela 76ª DP (Centro de Niterói).

Scroll To Top