NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Roubos de rua diminuem 32% em Niterói e Maricá

Área policiada pelo 12º BPM também apresentou queda em roubos de veículos

Policiais militares vão patrulhar o entorno do evento

Arquivo / Agência Brasil

O número de roubos de rua em Niterói e Maricá, área policiada pelo 12º BPM, apresentou uma redução de 32%, na comparação entre agosto deste ano, quando foram registradas 297 ocorrências, e do ano passado, com 438 casos. Os dados são do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio, divulgados nesta quinta-feira (19).

Dentro desse indicador, o roubo de veículos foi o que mais diminuiu. Foram 165 casos em agosto do ano passado, contra 116 neste ano. No caso dos roubos a pedestres, a queda foi de 27%, com 333 ocorrências em agosto de 2018 e 243 no mesmo período de 2019. 

Os roubos de celular caíram 22%. OS números do ISP apontam que em agosto de 2018 a Polícia Civil registrou 62 casos do tipo, sendo que no mesmo mês deste ano esse número passou para 40. 

Em relação aos roubos de carga, a área do 12º BPM registrou queda de 7% neste tipo de crime, com 15 assaltos no mês passado. 

Os casos envolvendo homicídios diminuíram 5%, sendo 28 registros de letalidade violenta em agosto de 2018 e 23 neste ano. 

As mortes por intervenção policial em Niterói tiveram uma queda de 12%, sendo 8 mortos nessas circunstâncias no mês passado, e 20 no mesmo período de 2018. 

Estado

Os homicídios dolosos apresentaram queda de 21%, com 744 mortes a menos nos primeiros oito meses do ano. No acumulado desde janeiro, foram registradas 2.717 vítimas, o menor número para o período desde 2013. Em agosto, a redução do índice foi de 12%, com 318 vítimas, o menor valor para o mês desde 2013. Este também foi o segundo menor número de vítimas no ano.

A letalidade violenta (homicídio doloso, roubo seguido de morte, lesão corporal seguida de morte e morte por intervenção de agente do Estado) também diminuiu em agosto: 11% em relação ao mesmo mês de 2018 e 4%, quando comparado com julho deste ano. Já no acumulado do 2019, houve uma queda de 13%, com 4.074 mortes registradas, ou 625 vítimas a menos em comparação ao ano anterior.

O crime de latrocínio (roubo seguido de morte) apresentou o menor número de vítimas para o mês de agosto desde 1991: seis. Na soma de homicídio doloso, latrocínio e lesão corporal seguida de morte nos oito primeiros meses do ano, foi registrada uma redução de 789 mortes no estado, quando comparado com o mesmo período do ano passado. As mortes por intervenção de agente do Estado apresentaram queda de 3%, em relação a agosto do ano passado. Quando comparado com o mês de julho deste ano, a diminuição foi de 12%.

Roubo de carga registra o menor número em 11 meses

Agosto teve ainda o menor número de roubo de cargas dos últimos 11 meses: 587 ocorrências, representando uma queda de 13% em relação ao mesmo mês do ano passado. Na comparação com o mês de julho de 2019, o recuo foi de 15%.

Os crimes contra o patrimônio continuam atingindo resultados positivos este ano. Em agosto, os roubos de veículos registraram queda de 19% em relação ao mesmo mês de 2018. Em comparação a julho de 2019, a diminuição foi de 1%. Já os roubos de rua (roubo a transeunte, roubo em coletivo e roubo de aparelho celular), recuaram 8% em agosto e, em relação a julho de 2019, 2%. O número de ocorrências registradas em agosto para os roubos de rua foi o segundo menor do ano.

Apreensão de fuzis bate recorde

Até agosto, as polícias Civil e Militar apreenderam 5.941 armas de fogo no estado este ano, ou seja,foi retirada das ruas, em média, uma arma de fogo por hora. No mesmo período, foram apreendidos 396 fuzis, cerca de dois por dia. A apreensão de fuzis dos oito primeiros meses deste ano é a maior para o período dos últimos 12 anos.

Comparação trimestral por Área Integrada de Segurança Pública

Na comparação entre junho e agosto de 2019 com o mesmo período de 2018, quatro Áreas Integradas de Segurança Pública (AISPs) tiveram resultados importantes: o município de São Gonçalo (AISP 7) apresentou o maior recuo em roubo de rua e roubo de veículo, a segunda maior redução em roubo de carga e a terceira maior queda em homicídio doloso. Na capital, a AISP 16 (Olaria e adjacências) registrou a maior diminuição em roubo de carga e a terceira maior em morte por intervenção de agente do Estado e a AISP 14 (Bangu e adjacências) foi a região com a terceira maior redução em roubo de veículo.

Na Baixada Fluminense, a área da AISP 24 (Queimados e adjacências) teve o maior recuo nos homicídios dolosos. E no interior, a AISP 33 (Angra dos Reis e adjacências) apresentou a segunda maior queda nos homicídios dolosos.

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) são referentes aos Registros de Ocorrência (ROs) lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro durante o mês de agosto.

Scroll To Top