NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Maior traficante de drogas de Muriaé é preso em Niterói

Contra "Leo Crack", que estava foragido desde 2017, havia quatro mandados de prisão pendentes

Polícias da 81ª DP prenderam, em Niterói, o maior traficante de drogas de Muriaé

Arquivo/ O Fluminense

Policiais Civis da 81ª DP (Itaipu) em ação conjunta com a Polícia Civil de Minas Gerais, através da Agência de Inteligência e Informações Policiais - AIP e da Delegacia de Repressão a Entorpecente - DRE, da 4a DRPC/Muriaé, prenderam na tarde desta segunda-feira (4), quatro de novembro, Leonardo Henrique de Oliveira, vulgo “Leo Crack”. Contra Leonardo havia quatro mandados de prisão pendentes. Ele estava foragido desde 2017 quando teve prisão decretada durante a operação “Juízo Final” da Polícia Civil de Minas Gerais. Léo Crack foi indiciado por tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

A ação foi desencadeada na “Operação Narciso”, em alusão ao personagem da Mitologia grega conhecido por seu orgulho e auto-admiração, características comuns ao criminoso que chegava a investir quantias vultuosas em produtos de beleza e suplementos alimentares, buscando melhorar sua aparência física.

Policiais chegaram até o traficante após um trabalho de inteligência e integração entre as polícias do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Ele foi encontrado na Região Oceânica de Niterói em uma casa de alto padrão, equipada com piscina, academia e sauna. Desta casa ele comandava o tráfico de drogas no Bairro Aeroporto, em Muriaé.

Atualmente “Léo do Crack” era tido pela polícia como o maior traficante de Muriaé, não apenas pela quantidade que drogas comercializava mas por suas conexões com integrantes da facção criminosa Comando Vermelho, no Rio. As investigações apontaram que ele fazia a conexão e remessa de drogas da comunidade do Caramujo em Niterói com os traficantes de Minas Gerais .

Junto com Leo Crack também foi preso Eduardo Barbosa, o “Edu”, suspeito de participação no homicídio de Alexsandro Teodoro dos Santos, o “Cicatriz”.

Scroll To Top