20
Ter, Out

Educação e Novas Tecnologias - Por que é tão importante implantar a BNCC nas escolas?

Foto: Pixabay

Educação
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) de 2017 ainda não foi totalmente absorvida pelas instituições educacionais. Isso se deve em parte ao desconhecimento do que trata o documento, e também a dificuldade na aplicabilidade.

A BNCC não é uma lei, mas é um documento oficial do governo federal, produto de muitas discussões na área do currículo, ou seja, o que se deve ensinar as crianças e jovens. Depois de 3 anos do lançamento ainda temos professores que não conhecem o seu teor. A BNCC foi construída para normatizar o conteúdo mínimo a ser oferecido aos estudantes brasileiros, dos sistemas de ensino público e privado.

O objetivo é equalizar as oportunidades de todos, extinguindo as diferenças educacionais, sobretudo para garantir o direito civil subjetivo e inalienável a educação.

A BNCC trabalha com as habilidades, competências e atitudes. Temos cerca de 1300 habilidades que são chamadas “essenciais” e foram previstas para serem desenvolvidas no seio estudantil.

Sugere-se a lógica da progressão, ou seja, o aluno vai aprofundando seu conhecimento e as habilidades vão sendo substituídas por outras mais ampliadas e complexas. Pesquisadores da área do currículo têm classificado a BNCC como instrumento técnico e essa organização, pois possibilita que se consiga chegar ao índice de desenvolvimento da educação básica (IDEB).

Uma das estratégias que possibilita responder a indagação de como garantir a qualidade da educação. Resta-nos agora, enquanto educadores a revisão da nossa prática. Outros documentos surgirão, pois novas pesquisas e tecnologias serão incorporadas. A única certeza que temos é a da mudança.

 

Responsabilidade de todos

 

A alfabetização é um período muito delicado na vida do estudante. Na nossa opinião, é a fase mais importante da carreira estudantil de uma pessoa. Todo o conhecimento construído na educação infantil se converge para esse aprendizado.

As canções que são entoadas, as letras repetitivas e a pulsação da música, embalam o cérebro na compreensão sonora das palavras e nos “pedacinhos” que a compõem, bem como dão o suporte inicial à consciência fonológica quando trabalhadas as associações das letras iniciais das palavras e textos cantados.

Na educação física escolar, é trabalhado o conhecimento do seu corpo, a psicomotricidade, a coordenação motora grossa e fina, também fazem parte da bagagem que o aluno utilizará no processo de alfabetização, pois segurar no lápis, organizar a grafia no papel, a dosagem da força na escrita perfazem o campo desta área de conhecimento. O esforço da escola pode ser potencializado se a família entender que é parte integrante nessa jornada, para isso, é importante saber que a alfabetização acontece desde que a criança nasce.

Quando bebê, observa as informações letradas, na tv, no celular, no livro, na revista, etc. Mais adiante, podem ser oferecidos livros específicos, ou mesmo gibis para a faixa etária correspondente. Quanto maior o oferecimento e diversidades de informações, maior será o repertório que a criança terá em sua mente.

A alfabetização se consolida entre o 2º e 3º anos escolares com uma gama de habilidades construídas, que servirão de pré-requisito para compreensão dos conteúdos das demais áreas de conhecimento.

No período de “quarentena” que vivemos, torna-se ainda mais importante a participação dos pais nesse processo, pois, por mais efetivo que seja o empenho do professor, tal atividade não isenta a responsabilidade da família neste processo, bem como na orientação e condução da criança nas tarefas. Toda ajuda familiar é bem-vinda e o empenho é sempre um bom exemplo.

 

Enem já tem data marcada

 

Felizmente, para a tranquilidade de todos, a data das provas tradicionais do Exame Nacional do Ensino Médio foram marcadas para os dias 17 e 24 de janeiro de 2021. Já o Enem na versão digital, novidade este ano, terá uma data diferenciada, nos dias 31 de janeiro e 07 de fevereiro de 2021, ou seja, nos finais de semana subsequentes.

Claro que as provas não serão as mesmas, pois há um banco de questões dos conteúdos selecionados contendo as mesmas habilidades requeridas pelo estudante, tornando o processo seletivo igualitário para todos.

Os candidatos terão mais tempo para se dedicarem aos estudos e realizarem avaliações melhores. Agora, é só listar os assuntos referentes as disciplinas, planejar os estudos em razão do tempo e construir uma articulação de leituras, exercícios e revisões. Bons estudos!

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.