26
Seg, Out

Interior do Rio vai ganhar mais cinco salas de cinema

Cordeiro, São Pedro da Aldeia, São Fidélis, Miracema e Bom Jardim serão as cidades beneficiadas - Foto: Divulgação

Entretenimento
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O projeto Cinema da Cidade – realizado pela Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e pela Ancine – vai construir ou reformar cinco salas de cinema em municípios do interior onde não há esse tipo de serviço: Cordeiro, São Pedro da Aldeia, São Fidélis, Miracema e Bom Jardim. No total, o investimento será de mais de R$ 18,750 milhões (80% de contrato de repasse da União e 20% de contrapartida do Estado).

Iniciadas em agosto de 2019 e paralisadas por causa da pandemia do novo coronavírus, as obras em Cordeiro foram retomadas esta semana. A previsão para o término do serviço é no primeiro semestre de 2021. As demais cidades estão no processo de licitação. O objetivo do Cinema da Cidade – uma das linhas de ação do Programa Cinema Perto de Você – é a implantação de complexos de exibição de filmes em municípios de pequeno e médio porte (entre 20 mil e 100 mil habitantes) que não contam com salas de cinema comerciais. Cada complexo exibidor terá duas salas com capacidade total para 168 lugares – em Bom Jardim, já existe uma sala com capacidade para 300 pessoas. O recurso da parceria já estava disponível há alguns anos e o projeto foi reativado pela atual gestão da Secretaria, antes do início da pandemia do novo coronavírus.

"Fomentar a cultura em todos os 92 municípios do estado é o nosso principal objetivo nesta secretaria. Para concretizar isso, nossa equipe trabalha muito diariamente em busca de parcerias. O cinema é uma das formas de artes mais populares do mundo e a população dessas cidades vão ter a oportunidade de assistir os lançamentos bem perto de casa", disse Danielle Barros, secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio.

Com mais essa opção de entretenimento, as salas de exibição também fomentam a economia local. Cada espaço do Cinema da Cidade prevê a geração de pelo menos 300 empregos diretos e indiretos, com uma plateia de 80 mil espectadores por ano.

 "O setor de audiovisual é muito amplo no Rio. Há espaço para cada vez mais produções e salas de exibição em todo o estado. O que fomenta a economia, com a geração de empregos direto e indiretamente", comenta Vinicius Azevedo, superintendente de Audiovisual da Sececrj.

Com 381 salas de cinema no estado, totalizando 11% da quantidade do Brasil, o audiovisual tem uma importância muito grande no Rio. Por isso, a Secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa investiu mais de R$ 24 milhões no setor desde o início de 2019. Na lista, a Secec apoia, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, os principais festivais de cinema nacional: Festival do Rio, Festival Varilux de Cinema Francês e Rio2C, além do CineClube Rio de Telas, que faz sessões gratuitas de cinema brasileiro na Casa França Brasil e na Biblioteca Parque Estadual.

Durante a pandemia, a Secretaria lançou o edital Cultura Presente nas Redes. Do total de classificados, as plataformas digitais terão 50 mil horas de material de audiovisual. Serão 270 projetos deste segmento, sendo 18% do conteúdo selecionado pelo edital. A previsão é que os trabalhos comecem a ser exibidos nas plataformas digitais a partir de julho.

 

A Secretaria também está debatendo o retorno das atividades do cinema depois da pandemia. No período de flexibilização, a equipe da Secretaria de Cultura acompanha o início do funcionamento das produções em formato de drive-in, com os clientes dentro de veículos, sem aglomeração e respeitando todos os protocolos sanitários. Para isso, estão realizadas diversas reuniões para analisar uma regulamentação para o funcionamento do serviço.

 

 

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.