25
Dom, Out

Leituras dramatizadas no Instagram

Patrícia Selonk e Simone Mazzer lêem a peça em live - Foto: Divulgação

Entretenimento
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

E assim, de forma improvisada – como os jogos que os mendigos de “Esperando Godot” inventam para fazer o tempo passar –, começou o experimento ‘QuarenCena – Live com Cena’ realizado no “ao vivo” do Instagram. A ideia de Patrícia Selonk e Simone Mazzer, atrizes e idealizadoras do projeto, é a cada quinta-feira, sempre às 20h, como se estivessem mesmo em um teatro físico, lerem um texto diferente e tentarem dialogar com essa nova forma de transmissão. A próxima live será na noite de 2 de abril, às 20h, com a leitura de trechos da peça “Sob o Sol em Meu Leito Após a Água”, de Paulo de Moraes e Maurício Arruda Mendonça, texto autoral da Armazém Companhia de Teatro, que elas apresentaram juntas há alguns anos.

 

Em tempos de isolamento social, as atrizes atuam na mesma live, mas cada uma de sua casa, dividindo a tela do celular em duas. E, dessa forma, estão também transformando a live do Instagram em uma pesquisa de linguagem, na qual precisam arranjar soluções inusitadas para lidar com uma conexão instável aqui, uma imagem congelada acolá. “Além disso, também ficamos de olho nos comentários da ‘plateia’ em tempo real, bem à moda dos palcos Elizabethanos de outrora”, ensina Patrícia.


“Esse formato de live e os possíveis imprevistos que rolam possibilitam manter algo essencial ao teatro, que é compartilhar um momento único somente entre aqueles que se juntaram em determinado espaço de tempo e lugar, embora o lugar tenha migrado para o virtual”, diz Simone. As atrizes já dividiram palcos mundo afora pela Armazém.

 

Sob o Sol em Meu Leito Após a Água” aborda temas míticos, tais como nascimento e morte, amor e ódio, jogo e trapaça, as potências masculinas e femininas, e foi inspirado no épico indiano “O Mahabharata” e em narrativas populares brasileiras.

 

O texto traz a história de um guerreiro que volta para a sua terra, buscando vingança por ter sido abandonado na infância. Na peça, as atrizes interpretam dois personagens que se ajudam muito ao longo da história: Jam, o guerreiro, impulsivo e apaixonado, e Cega, sábia e conselheira, que se alia a ele no meio dessa jornada. A dupla forma uma espécie de time para que Jam vença a conturbada relação com a mãe e com os irmãos, que ficaram em seu lugar.

 

A estreia do QuarenCena foi em 19 de março com “Esperando Godot”, de Samuel Beckett. O texto de Beckett fala sobre a falta de um sentido para a vida e nossas repetidas tentativas de injetar algum significado sobre nossas ações. Bem pertinente para o momento, assim como o texto seguinte, apresentado na quinta passada, dia 26: “Out Cry”, de Tennesee Williams. Nele, dois irmãos atores que representam, num teatro qualquer, a história de dois irmãos presos dentro da própria casa.

 

Simone e Patrícia apresentam as leituras da QuarenCena sempre através dos seus perfis no instagram: @simazzer e @patriciaselonk, respectivamente.

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.