20
Ter, Out

Presidente do Vasco espera por novo começo

Saída de Abel Braga do comando e a suspensão das atividades do elenco já são vistas como uma oportunidade para recomeçar - Divulgação/Rafael Ribeiro

Futebol
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O desempenho ofensivo é um dos aspectos mais criticados no Vasco de 2020. Com oito gols a favor e dez contra, a equipe de São Januário marcou em apenas 43% dos jogos que disputou. Este é o pior desempenho entre as equipes da série A do Campeonato Brasileiro.

A saída de Abel Braga do comando e a suspensão das atividades do elenco já são vistas como uma oportunidade para recomeçar. Em entrevista nesta sexta ao programa Donos da Bola, Campello reconheceu o baixo rendimento do time.

"Os resultados não apareceram, o desenvolvimento do futebol não foi o que esperávamos. Lamentavelmente as coisas não caminharam. Não podemos culpar o Abel, não podemos culpar um só, entra tudo, diretoria, comissão técnica", afirmou o dirigente.

"Talvez com essa paralisação, a retomada nos ajude a encaixar o time para que ele renda mais", projetou.

O primeiro passo para o recomeço da temporada será a contratação de um novo treinador. Campello disse que o assunto será tratado nos próximos dias pela cúpula do futebol do clube.

"A partir de segunda-feira da semana que vem vamos pensar no nome de um novo treinador. A escolha deve ser baseada em vários aspectos: qualidade do treinador, perfil. Pode ser estrangeiro ou não", explicou.

Efeitos da paralisação sobre as finanças

Alexandre Campello se mostrou preocupado com o futuro da temporada. Os clubes concederam férias coletivas de 20 dias aos jogadores, a partir de 1º de abril. Acredita-se, portanto, que os treinos sejam retomados a partir do dia 21, mas nada é certo no momento.

O que quer que aconteça, é certo que os impactos financeiros da crise do coronavírus sobre os clubes será grande.

"Eu entendo que o atleta de futebol não quer ter redução dos salários, mas precisamos entender que toda a sociedade vai perder com isso. Se houver uma paralisação para além dos período de férias vamos ter que discutir redução de salários. Não existe toda a sociedade perder e os jogadores e comissão técnica não passarem por isso", alertou.

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.