26
Seg, Out

Fred, que nesta quarta-feira entrou em campo pela 300ª vez com a camisa tricolor, deixou sua marca em Goiânia - Foto: Lucas Merçon / Fluminense

O atacante Fred viveu uma noite especial nesta quarta-feira diante do Goiás, pois em seu jogo de número 300 pelo Fluminense, marcou um dos gols da vitória de 4 a 2 em partida válida pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Este gol, de número 174 pelo Tricolor, foi importante para o centroavante, que vem tendo dificuldades de manter uma boa sequência em seu retorno ao clube.

Em partida realizada no estádio da Serrinha, Goiás e Fluminense fizeram um jogo muito movimentado e com muitos gols.

Jogando em casa, o Esmeraldino começou melhor, e conseguiu abrir o placar ainda no primeiro tempo, aos 21 minutos, com o atacante Rafael Moura, após receber passe de Vinicius Lopes. Foi a lei do ex entrando em campo. E a lei do ex voltou a aparecer na partida aos 40 minutos, quando Yago empatou para o Fluminense com um belo chute após receber de Hudson.

O placar só voltou a mudar na etapa final, e justamente com Fred aos 6 minutos. Caio Paulista cruza para o camisa 9, que cabeceou muito bem para vencer o goleiro Tadeu. Mas aos 21 minutos o confronto voltou a ficar empatado, após gol de pênalti de Rafael Moura.

Porém, a igualdade dura apenas 3 minutos, pois Nenê recebeu de Hudson e bateu muito bem para vencer Tadeu. O quarto gol do Tricolor saiu aos 30 minutos, quando Danilo Barcelos cobra falta para a área e Digão tentou duas vezes para marcar.

O resultado foi ótimo para o Fluminense, que se manteve no pelotão da frente da classificação com 21 pontos, enquanto o Goiás permaneceu na lanterna da classificação com 9 pontos. O próximo compromisso do Tricolor será no próximo domingo, contra o Bahia no Maracanã, já o Esmeraldino visita o líder Atlético-MG no sábado.

Cariocas estão atravessando um momento ruim na competição - Foto: Felipe Oliveira / Bahia

O Vasco segue em queda livre no Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira, os cruzmaltinos foram derrotados por 3 a 0 pelo Bahia, em Salvador.

Com o resultado, os cariocas seguem com 18 pontos e já estão no meio da tabela de classificação da Série A. O Bahia, com 15, se afastou da zona de rebaixamento.

Os donos da casa se impuseram no primeiro tempo e decretaram a vitória com gols de Rossi, Gilberto e Clayson.

Na próxima rodada, o Vasco terá pela frente o clássico contra o Flamengo, no sábado, em São Januário. O Bahia viaja para o Rio de Janeiro, onde encara o Fluminense, no domingo.

O jogo - O Bahia começou melhor, mas viu o Vasco também buscar o ataque nos primeiros minutos. No entanto, os donos da casa abriram o placar na primeira chance criada, aos nove minutos. Rossi aproveitou cruzamento, se antecipou a marcação e mandou para a rede.

O gol foi sentido pelo Vasco, que viu o Bahia dominar as ações na partida. Os donos da casa chegaram a assustar em lances de bola parada, mas pouco produzia na parte ofensiva. Só que aos 31 minutos, Ernando apareceu de surpresa, fez grande jogada e tocou para Gilberto mandar para a rede.

Enquanto o Vasco seguia inofensivo, o Bahia quase chegou ao terceiro aos 33 minutos. Em contra-ataque rápido, Rossi tocou para Juninho na área. Sozinho, o defensor mandou por cima do travessão.

Nos minutos finais, o panorama seguiu o mesmo. O Bahia aproveitou nova bobeada do Vasco para fazer mais um antes do intervalo. Aos 45 minutos, após lançamento na área, Yago Pikachu cortou no pé de Clayson, que mandou para o gol.

No segundo tempo, o Vasco voltou cheio de mudanças e assustou aos sete minutos. Carlinhos arriscou de longe e quase acertou o ângulo de Douglas. Depois, foi a vez de Fellipe Bastos quase marcar em chute de longa distância.

Quando mais o Vasco dominava o jogo, o volante Bruno Gomes recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso. Com isso, os cruzmaltinos passaram a atuar com um a menos. A partir dai, o Bahia teve tranquilidade para administrar o resultado. O Vasco se preocupou mais em não levar mais gols e esperou somente o apito final.

Everton Ribeiro atuou no lugar do camisa 10 em atividade tática - Foto: Lucas Figueiredo / CBF

No trabalho tático orientado pelo técnico Tite nesta quarta-feira (7), na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), a ausência de Neymar chamou atenção. Segundo a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o atacante, que iniciou as atividades da seleção brasileira normalmente, não as concluiu em razão de dores lombares sentidas durante o aquecimento.

“Sem nenhuma história de trauma, ele foi retirado do treino, foi avaliado e já iniciou tratamento na fisioterapia. Nós viajamos hoje [quarta] para São Paulo, ele segue em tratamento, já foi medicado, mas essas próximas 24 horas serão muito importantes para ver como ele vai se recuperar. Uma nova avaliação será feita antes do [próximo] treino e aí nós teremos uma ideia um pouco melhor”, explicou o médico da seleção, Rodrigo Lasmar, à CBF TV.

Conforme os protocolos de saúde da Fifa, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), os treinos da seleção não podem ser acompanhado in loco pelos jornalistas. As atividades têm sido exibidas pelo canal oficial da CBF no YouTube. Durante a transmissão, a ausência de Neymar não foi mencionada. Nas imagens que antecedem o trabalho tático, o atacante participa da roda de bobo com outros atletas, mas, em determinado momento, demonstra incômodo na região lombar (no vídeo abaixo, a partir dos 26 minutos e 53 segundos).

Com isso, Neymar virou dúvida para a partida desta sexta-feira (9), às 21h30 (horário de Brasília), contra a Bolívia, na Neo Química Arena, em São Paulo. O duelo marca a estreia da seleção nas eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, no Catar. No treino tático, Tite utilizou Everton Ribeiro no lugar do camisa 10.

Novidade à vista

O treino desta quarta teve novidades. Diferente de terça-feira (6), quando Bruno Guimarães atuou ao lado de Casemiro, Douglas Luiz foi o escolhido por Tite para auxiliar o volante do Real Madrid (Espanha). Além disso, Weverton foi o goleiro utilizado na atividade em que se esboçou a equipe titular. O arqueiro do Palmeiras disputa o posto deixado por Alisson, lesionado e cortado da seleção, com Santos e Ederson.

Tite posicionou os atletas no gramado, sem adversários (daí o apelido treino fantasma) e os orientou taticamente. Weverton iniciava as jogadas, trabalhando a bola com a linha de defesa formada por Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi. Mais adiante, Casemiro e Douglas Luiz davam sequência à construção ofensiva.

Substituto de Neymar, Everton Ribeiro atuou pela esquerda, mas também apareceu por dentro, ora perto de Roberto Firmino, centralizado no ataque, ora trocando de posição com Phillipe Coutinho. Já Éverton Cebolinha caiu pela direita. Nos movimentos de ataque, esse quarteto ganhava o apoio de um dos laterais, especialmente Renan Lodi, pela esquerda, que tem características mais ofensivas que Danilo.

Com base nos treinos de terça e quarta-feira, o provável Brasil diante da Bolívia terá: Weverton; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi; Casemiro e Douglas Luiz (Bruno Guimarães); Éverton Cebolinha, Philippe Coutinho e Neymar (Everton Ribeiro); Roberto Firmino.

Programação

A exibição do treino foi liberada por cerca de 40 minutos, sendo encerrada antes de Tite iniciar atividades de bola parada. A delegação embarca à noite para São Paulo. Na quinta-feira (8) à tarde, ocorre o reconhecimento do gramado da Neo Química Arena, palco do jogo de sexta.

De sábado (10) até a próxima segunda-feira (12), a seleção trabalhará no Centro de Treinamento Joaquim Grava, do Corinthians, também na capital paulista. Já no fim da tarde de segunda, embarca para Lima, capital peruana, onde enfrenta a seleção local na terça-feira (13), no Estádio Nacional, às 21h, pela segunda rodada das eliminatórias.

Atacante do Everton, da Inglaterra, estava com entorse no tornozelo - Foto: Lucas Figueiredo/CBF

O técnico Tite terá, enfim, os 23 jogadores da seleção brasileira à disposição para o treinamento desta quarta-feira (7) à tarde, na Granja Comary, em Teresópolis (RJ). Recuperado de uma entorse no tornozelo esquerdo, sofrida na última partida pelo Campeonato Inglês, o atacante Richarlison, do Everton, da Inglaterra, foi a campo pela manhã e não manifestou dores na execução de saltos e movimentos de rotação, aceleração, deslocamentos laterais e finalizações.

Com isso, Richarlison foi liberado para treinar com os demais jogadores no gramado, no treino que começa às 15h30 (horário de Brasília). O atacante se apresentou já no domingo (4) à noite, mas não esteve em campo nem segunda (5), nem terça-feira (6). Até então, ele só havia feito atividades na academia.

"Esses dois dias foram importantes para que a gente pudesse recuperar melhor o atleta. Ele trabalhou muito bem hoje [quarta] pela manhã, não relatou nenhuma queixa, sentiu-se muito bem e isso nos dá uma condição de evoluir e liberá-lo para treinar juntamente com o grupo", explicou o médico Rodrigo Lasmar, em entrevista ao site oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Eliminatórias
O treino desta quarta-feira é o último antes da viagem a São Paulo, onde a seleção encara a Bolívia nesta sexta-feira (9), às 21h30 (horário de Brasília), na Neo Química Arena, pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, no Catar. Na quinta-feira (8), Tite comandará uma atividade no estádio corintiano, palco da partida.

Na terça, o técnico deu pistas de que mandará à campo uma formação ofensiva, com quatro homens de frente, com novidade no meio-campo: Bruno Guimarães, atleta do Lyon, da França, que foi chamado pela primeira vez. O provável time contra a Bolívia terá Ederson (Weverton ou Santos); Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi; Casemiro e Bruno Guimarães; Philipe Coutinho, Everton, Roberto Firmino e Neymar.

Programação
De sábado (10) até a próxima segunda-feira (12), a seleção trabalhará no Centro de Treinamento Joaquim Grava, do Corinthians, também em São Paulo. Já no fim da tarde de segunda, embarca para Lima, capital peruana, onde enfrenta a seleção local na terça-feira (13), no Estádio Nacional, às 21h, pela segunda rodada das eliminatórias.

Devido aos protocolos de saúde estabelecidos pela Fifa, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), os treinos não podem ser acompanhado in loco pelos jornalistas. As atividades são exibidas pelo canal oficial da CBF no YouTube. O mesmo procedimento ocorre para as entrevistas.

Rubro-Negro mais uma vez teve bom desempenho - Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

 Mais uma vez com muitos desfalques, o Flamengo provou a força de seu elenco e venceu o Sport por 3 a 0 na noite desta quarta-feira, no Maracanã. Na partida válida pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, Pedro foi mais uma vez o destaque com dois gols. O zagueiro Gustavo Henrique completou o placar.  

Com a vitória, o Flamengo vai a 24 pontos em 13 jogos e se consolida entre os primeiros colocados. Já o Sport teve sua reação interrompida após três vitórias, e perdeu seu lugar no G6.

O Flamengo volta a campo no sábado para enfrentar o Vasco em São Januário, enquanto o Sport recebe o Botafogo na Ilha do Retiro, no domingo.

Primeiro tempo com poucas emoções

O Sport começou a partida bem fechado na defesa e dando a posse de bola para o Flamengo. Com uma marcação muito forte, o rubro-negro pernambucano dificultava as ações do carioca no terço final do campo.

Os comandados de Dome não conseguiam imprimir a velocidade necessária para desarrumar a retaguarda do Sport. Pela direita, Isla era o único a conseguir algumas escapadas. Numa dessas, aos 27, saiu a melhor oportunidade de gol do primeiro tempo. 

Gerson enfiou por entre a marcação para o chileno em profundidade. Ele foi ao fundo e levantou na medida para Pedro cabecear da linha da pequena área, mas Luan Polli fez grande defesa e tocou para escanteio.

A lentidão do Flamengo fez o Sport se arriscar no ataque no final do primeiro tempo, e aos 41, após jogada pela direita, a bola sobrou para Patric na área. Livre, o lateral arriscou o chute cruzado, mas a bola fez uma curva para fora e acabou saindo pela linha de fundo.

Flamengo acorda e liquida o jogo em 15 minutos

O Flamengo começou o segundo com um ritmo mais acelerado e não demorou a furar a retranca do Sport. Com quinze minutos, o Rubro-Negro carioca abriu três gols de vantagem.

Aos 5. em bela troca de passes, Diego abre para Isla na direita e ele cruza do outro lado. Bruno Henrique ajeita de peito e Pedro bate para o gol.

O Sport sentiu o gol e quatro minutos depois levou o segundo. Diego cobrou escanteio da direita e o zagueiro Gustavo Henrique desviou de cabeça e ampliou.

O Sport não desistiu de buscar a reação e abriu mais a sua defesa. Mas aos 14 minutos, Filipe Luís abriu para Bruno Henrique no bico esquerdo da área, ele cortou para dentro e cruzou para Pedro. O artilheiro matou no peito e mandou para a rede.

O Fla diminuiu o ritmo e o Sport, valente, buscou o gol até o final. Mas a equipe carioca soube administrar a vantagem e não correu maiores perigos.

Atacante do Everton, da Inglaterra, estava com entorse no tornozelo - Foto: Lucas Figueiredo / CBF

O técnico Tite terá, enfim, os 23 jogadores da seleção brasileira à disposição para o treinamento desta quarta-feira (7) à tarde, na Granja Comary, em Teresópolis (RJ). Recuperado de uma entorse no tornozelo esquerdo, sofrida na última partida pelo Campeonato Inglês, o atacante Richarlison, do Everton, da Inglaterra, foi a campo pela manhã e não manifestou dores na execução de saltos e movimentos de rotação, aceleração, deslocamentos laterais e finalizações.

Com isso, Richarlison foi liberado para treinar com os demais jogadores no gramado, no treino que começa às 15h30 (horário de Brasília). O atacante se apresentou já no domingo (4) à noite, mas não esteve em campo nem segunda (5), nem terça-feira (6). Até então, ele só havia feito atividades na academia.

"Esses dois dias foram importantes para que a gente pudesse recuperar melhor o atleta. Ele trabalhou muito bem hoje [quarta] pela manhã, não relatou nenhuma queixa, sentiu-se muito bem e isso nos dá uma condição de evoluir e liberá-lo para treinar juntamente com o grupo", explicou o médico Rodrigo Lasmar, em entrevista ao site oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Eliminatórias

O treino desta quarta-feira é o último antes da viagem a São Paulo, onde a seleção encara a Bolívia nesta sexta-feira (9), às 21h30 (horário de Brasília), na Neo Química Arena, pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, no Catar. Na quinta-feira (8), Tite comandará uma atividade no estádio corintiano, palco da partida.

Na terça, o técnico deu pistas de que mandará à campo uma formação ofensiva, com quatro homens de frente, com novidade no meio-campo: Bruno Guimarães, atleta do Lyon, da França, que foi chamado pela primeira vez. O provável time contra  a Bolívia terá Ederson (Weverton ou Santos); Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi; Casemiro e Bruno Guimarães; Philipe Coutinho, Everton, Roberto Firmino e Neymar.

Programação

De sábado (10) até a próxima segunda-feira (12), a seleção trabalhará no Centro de Treinamento Joaquim Grava, do Corinthians, também em São Paulo. Já no fim da tarde de segunda, embarca para Lima, capital peruana, onde enfrenta a seleção local na terça-feira (13), no Estádio Nacional, às 21h, pela segunda rodada das eliminatórias.

Devido aos protocolos de saúde estabelecidos pela Fifa, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), os treinos não podem ser acompanhado in loco pelos jornalistas. As atividades são exibidas pelo canal oficial da CBF no YouTube. O mesmo procedimento ocorre para as entrevistas.

Douglas Luiz (esquerda) e Bruno lideram geração promissora da posição - Foto: CBF / Lucas Figueiredo

“Absurda”. É assim que o volante Douglas Luiz definiu a atual safra de jogadores da posição no futebol nacional. Titular do Aston Villa, vice-líder do Campeonato Inglês, o jogador de 22 anos é um dos expoentes dessa geração, que reúne nomes como Arthur (Juventus, da Itália), Gerson (Flamengo), Patrick de Paula (Palmeiras) e Bruno Guimarães (Lyon, da França). Este último, da mesma idade, também foi chamado à seleção brasileira para enfrentar Bolívia e Peru pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, no Catar.

“Nossa geração de meio-campistas e volantes é muito boa, tem vários jogadores representando bem na Europa, como outros aqui no Brasil. O que tenho que fazer para o Tite continuar me convocando é o meu trabalho, poder dar o meu melhor, me esforçar”, avalia Douglas em entrevista coletiva por videoconferência, exibida pela CBF TV nesta terça-feira (6).

O discurso de Bruno Guimarães é semelhante: “O caminho é o mesmo de todo mundo que está aqui, que é jogar bem, aparecer, ajudar. Fico à vontade para exercer qualquer função no meio-campo e espero poder mostrar meu trabalho para que isso se torne frequente”.

Tanto Douglas como Bruno fazem parte de uma safra da atual seleção com passagem recente pelas divisões de base e (ou) olímpica da amarelinha. Geração que também tem o lateral Gabriel Menino (que atua como meio-campista no Palmeiras) e os atacantes Richarlyson (Everton, da Inglaterra), Matheus Cunha (Hertha Berlim, da Alemanha) e Rodrygo (Real Madrid, da Espanha).

Do grupo reunido na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), apenas o goleiro Santos (Athletico-PR), o zagueiro Felipe (Atlético de Madri, da Espanha) e os atacantes Everton (Benfica, de Portugal) e Roberto Firmino (Liverpool, da Inglaterra) não foram chamados para seleções de base. O lateral Renan Lodi até foi convocado para o pré-olímpico da Colômbia, disputado entre janeiro e fevereiro, mas não foi liberado pelo Atlético de Madrid. Já o goleiro Weverton (Palmeiras) foi titular na conquista da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2016 (no Rio de Janeiro).

“O trabalho que a CBF [Confederação Brasileira de Futebol] tem feito, com o Tite e o [André] Jardine [técnico da seleção olímpica] é muito bom, que acompanha a evolução de cada um. O atleta vai na base, vê a dificuldade que é vestir a camisa da seleção, mas, por outro lado, já se acostuma a ela [quando chega à principal]. Então, é muito legal”, analisa Douglas, que em 2019 foi eleito melhor jogador do Torneio de Toulon, tradicional competição de base disputada na França.

“É a primeira convocação, então ajuda bastante [ter disputado o Pré-Olímpico], pois há outros jogadores que eu já conhecia, outros contra os quais joguei. Então, você se sente mais entrosado”, diz Bruno, que foi capitão da seleção na conquista do torneio de classificação para os Jogos de Tóquio (Japão). “Sou fominha, então, se puder, quero jogar as duas, a Olimpíada e a Copa América”, conclui o volante, em referência aos dois principais torneios da seleção no próximo ano.

Com os 23 jogadores convocados à disposição, Tite começará, enfim, a definir a equipe que enfrentará a Bolívia na próxima sexta-feira (9), às 21h30 (horário de Brasília), na Neo Química Arena, em São Paulo, pela primeira rodada das eliminatórias. O duelo seguinte, contra o Peru, será na próxima terça-feira (13), às 21h, em Lima, capital peruana.

Mais Artigos...

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.