Dor abdominal e varizes pélvicas

Atualidades
Tpografia
  • Mínimo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Fonte Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Principais sintomas são dores na região do abdômen durante e após as relações sexuais e aumento da menstruação

Divulgação

Quando a mulher sente qualquer tipo de desconforto na região abdominal  pode imaginar que é algum problema estomacal ou ginecológico, mas pode ampliar o leque de opções: 39% das dores localizadas no abdômen são consequentes de varizes pélvicas. Se trata de veias dilatadas, semelhantes às das pernas, mas essas ficam localizadas no abdômen, no útero, nos ovários e na bexiga.

A mulher com o problema se queixa de desconforto principalmente dias antes do período menstrual. Elas descrevem que sentem uma sensação de peso na região íntima, dor durante e depois da relação sexual e aumento da menstruação.

“Os sintomas são decorrentes da dificuldade no retorno do fluxo do sangue para o coração, por falha das válvulas ou aumento da pressão venosa”, explica Ary Elwing, angiologista especialista em cirurgia vascular periférica e tratamento a laser. “O hormônio feminino, estradiol, também contribui para a dilatação das veias ovarianas e uterinas”, acrescenta Elwing.

Muitas vezes, há dificuldade no diagnóstico, já que os sintomas podem ser facilmente confundidos com outras patologias. Porém, as mulheres mais propícias a ter o desconforto são aquelas com mais de 30 anos, as que já tiveram duas ou mais gestações, as que têm a síndrome do ovário policístico ou disfunções hormonais.

“A relação da gestação com as varizes se explica porque durante esse período há sobrecarga nas veias ovarianas, levando a lesões e dilatação dos vasos sanguíneos”, ressalta o angiologista.

Muitas mulheres descobrem as varizes pélvicas de forma totalmente acidental, como durante um ultrassom de rotina. Porém, quando o especialista desconfia da patologia, ele pode solicitar um eco-doppler, tomografia abdominal ou pélvica e angiorressonância. A flebografia também pode ser pedida, esse é um exame mais elaborado em que é possível radiografar o sistema venoso.

O tratamento pode ser feito de duas formas. “Começamos com o uso de medicamentos orais que vão diminuir a dilatação das veias, melhorando os sintomas. O uso da meia de compressão também pode ajudar nessa fase. Mas, caso a paciente não responda a essa terapia, é necessário fazer a embolização das varizes. Essa técnica é minimamente invasiva, com anestesia local e feita pela punção na virilha ou na jugular”, explica o angiologista.

O alerta fica para as mulheres que têm as varizes pélvicas e desejam engravidar.

“Trate primeiro o problema, senão o tamanho das varizes será maior e os sintomas mais intensos”, finaliza Elwing.