NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Fumar também põe a voz em risco

Hábito de fumar é uma das causas para o câncer no aparelho respiratório

Divulgação/USP Imagens

Já é do conhecimento de todos que o cigarro faz mal à saúde. Porém, o que poucos sabem é que o hábito de fumar pode ser nocivo também à saúde da voz. Não é à toa que fumantes de longa data têm a voz mais rouca. A fumaça e as substâncias presentes no cigarro podem lesionar o aparelho respiratório e as cordas vocais. “Dependendo da intensidade e da extensão da lesão, a pessoa pode perder a voz”, explica o otorrinolaringologista Cícero Matsuyama.

O hábito de fumar causa uma pane no aparelho respiratório. O fumante inala não somente a fumaça, mas várias partículas altamente nocivas, que vão queimar aos poucos todo trato respiratório. O corpo responde a essa agressão liberando radicais livres, que, em excesso, oxidam as células saudáveis. Além disso, o pulmão sofre com essa toxicidade e, no longo prazo, vai se corroendo. A produção de muco aumenta na tentativa do organismo de liberar substâncias nocivas. Não à toa, fumantes tossem muito.

A rouquidão persistente é um sinal de alerta importante, pois pode sugerir o início de distúrbios graves na região e ser o primeiro sintoma de câncer de laringe. Em estágios avançados da doença, entra em cena a dor, tosse e sangramento. “Alguns sintomas podem indicar que há uma enfermidade grave no aparelho respiratório, decorrente do fumo, como tosse de difícil controle clínico, acompanhada de secreção sanguinolenta, diminuição do peso e fraqueza”, esclareceu o médico.

O câncer de laringe é mais frequente em pacientes do sexo masculino, acima de 50 anos, e que fumam. A rouquidão, por sua vez, pode ser consequência também de uma doença da laringe, conhecida como edema de Reinke, que faz as pregas vocais incharem, modificando o tom de voz de quem possui esse distúrbio. Essa doença é mais comum em mulheres.

Embora possa ter outras causas, o hábito de fumar ainda é o mais importante fator desencadeador do Edema de Reinke.

“Depois de tratada a doença, o paciente precisa parar de fumar, caso isto não ocorra, o edema pode voltar”, detalha o otorrinolaringologista, que aconselha em caso de alteração nas cordas vocais, marcação de consulta com um especialista para evitar danos permanentes.

 
Scroll To Top